NOSSO CARRO É CARO, MAS ESTAMOS MELHORANDO

                                                               Gráfico: jornal O Globo



Comparando o preço dos carros hoje com os praticados cinco anos atrás, concluímos que se mantiveram estáveis, com pequenos aumentos em alguns casos, contra uma inflação no período que ultrapassou os 20%. Sendo assim, podemos dizer que atualmente os carros estão mais acessíveis, ainda que permaneçam algo mais caros do que em outras partes do mundo, se bem que a comparação depende do câmbio, estivesse o real menos valorizado (uns 3 por 1 em relação ao dólar americano) e a diferença seria bem menor.

Observamos melhora também em relação ao nível de equipamentos de série oferecidos hoje em dia, superior ao observado há cinco anos. Nos carros de entrada não mudou quase nada, mas na faixa imediatamente superior já percebemos vários modelos oferecendo bolsas infláveis e freios ABS, além de um interior mais caprichado, em parte graças aos importados que chegaram recentemente custando o mesmo ou até menos do que os carros fabricados aqui e oferecendo um pacote de equipamentos mais generoso.

Ultimamente andam batendo com freqüência nessa tecla, a do preço dos carros, como se os fabricantes devessem baixar os preços da noite para o dia por filantropia. Um Chevrolet Cobalt, que é um carro de bom espaço interno, desempenho aceitável e razoavelmente equipado, custa por volta de R$ 40 mil. Um Corolla, que não é muito maior nem muito mais equipado, usa motor de quatro cilindros, rodas e pneus de dimensões parecidas e esquema de suspensões com arquitetura similar, custa aproximadamente R$ 20 mil a mais. Vale? Na percepção do brasileiro sim, pois o Toyota vende bem.

E o que dizer do Corolla Altis? É o mesmo carro do exemplo acima, apenas mais equipado, e o preço aumenta mais R$ 20 mil. Tem compradores, senão não existiria. Acho que com essa diferença toda de preço, o carro deveria ser um Camry, mesmo que com motor 4-cilindros. Nos EUA um Corolla, um Civic e um Sentra custam praticamente o mesmo, aqui no Brasil o Sentra custa por volta de 10 mil reais menos e vende 10% do volume de um dos concorrentes.

Se você fabricasse carros e o seu modelo vendesse 10 vezes mais mesmo sendo 10 mil reais mais caro do que um dos concorrentes diretos, você abaixaria o preço? A presidente Dilma anunciou medidas para melhorar a competitividade de nossa indústria, entre elas a redução das tarifas de energia elétrica, com percentual de redução maior para a indústria. É uma medida que vai ter impacto direto nos custos de produção, vamos ficar de olho se haverá a proporcional redução do preço ao consumidor.

Foi comentado pela Presidente que essa redução seria apenas nos encargos federais, e que os estados poderiam oferecer alguma redução no ICMS, um dos impostos mais pesados sobre o preço da energia elétrica e também sobre os carros. Basta consultar o preço de um carro vendido a taxistas com isenção de ICMS para perceber o quanto esse imposto impacta no preço final do automóvel. Temos espaço para tornar o automóvel ainda mais acessível e, conseqüentemente, de melhor qualidade.

Não acredito em um mercado tão maior que o atual,  mas já será uma grande vitória se o carro de entrada for um Palio novo ou Gol G5, com bolsas infláveis e freios com ABS de série, com vendas na faixa de 20 a 30 mil unidades mensais. Dois degraus acima, na faixa de 40 a 50 mil reais, o carro de família passe a ser um sedã do porte do Civic, com motor de 140 cv e vendas acima de 10 mil unidades por mês. E que na faixa de 70 mil reais possamos escolher entre sedãs de maior porte, como Sonata, Malibu ou Accord, entre outros. Seria um claro sinal de estarmos caminhando para um amadurecimento do mercado, comprando mais mas, principalmente, comprando melhor.

AC


220 comentários :

  1. Já se percebe melhoras em alguns casos, com carros completos (por completo, entenda-se para os padrões tupiniquins, com aqueles ítens de conforto mais exigidos + abs e duplo air-bag) por menos de R$40.000,00, mas ainda tem muita estrada para se poder dizer que temos carros por preços justos. Se todos pudessem comprar com esta mamata dos taxistas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr. Car, agora eu entendo pq o pessoal implica contigo e pelo visto com razão!!!
      Mamata dos taxistas???
      Baseado em que vc fala um absurdo desses??

      Excluir
    2. Mamata SIM, pois que é um privilégio indevido. Um representante de vendas também tem no carro um instrumento de trabalho. Um médico que precise sair às pressas na madrugada não vai ficar esperando a chegada de um táxi, ou a passagem de um ônibus. Então, absurdo é algum idiota (ou alguns idiotas) decidir(em) que para os taxistas, o carro custará menos. E além dos mais, não existe almoço grátis: para os taxistas pagarem menos, alguém está pagando mais. Quem será? Um doce para quem adivinhar.

      Excluir
    3. Mr. Car, completo é o veículo com todos os opcionais disponíveis em sua versão. Se conta com todos os opcionais, é completo. Se não conta com todos os opcionais, não é completo. Ou seja, o veículo que dispõe de todos os opcionais em sua versão é completo. O que não conta, não é.
      Não existe completo tupiniquim e completo não tupiniquim, o que existe no meio automobilístico são modelos, motorizações e versões. Exemplo: dado veículo de determinado modelo em uma versão com motorização tal. Se neste dado veículo de determinado modelo em uma versão com motorização tal estiverem equipados de fábrica (e é importante dizer que o veículo completo só pode ser de fábrica, uma vez que saído da linha de montagem, o veículo nunca poderá ser chamado de completo, se não o for. No máximo poderá ser feita uma observação de que determinado equipamento foi adicionado) todos os opcionais, este veículo é completo.

      Excluir
    4. Correção: na mensagem anterior, leia-se "além do mais".

      Excluir
    5. Anônimo 11/09/12 13:41, essa explicação é perfeitamente dispensável. Todos aqui entenderam o que eu quis dizer por "completo".

      Excluir
    6. Mr. Car....
      Realmente você merece com louvor todas as zoadas da galera daqui do AE....
      A sua resposta sobre a "mamata do taxistas" soa como alguém que tem esquizofrenia e não sabe o que está falando ao certo....

      Excluir
    7. Engana-se o senhor. A minha observação (e não explicação) é mais atual do que nunca.
      Se não conta com todos os opcionais, não é completo.

      Excluir
    8. Realmente você está coberto de razão, mas só não utilizaria o termo mamata, pois quem é o malvado nesta história é o governo e sua desoneração sob medida, que atinge apenas algumas categorias. Porque somente para taxistas custa menos?

      Excluir
    9. Pois eu concordo a respeito da mamata dos taxistas. Perdoem o assunto paralelo, mas também acredito que é uma facilidade indevida. Meu pai comprou um caminhão para trabalhar em 1978, autônomo e tudo mais, pagou MUITO mais caro sem nenhum incentivo. Porque o taxista é "mais bonito"?

      Excluir
    10. É mamata sim! Também quero...

      MFF

      Excluir
    11. Anônimo 11/09/12 13:59 hs: minha resposta sobre a "mamata dos taxistas", para as pessoas sensatas (e elas já começaram a aparecer), soa como justa e sensata. Se sensatez para você é sintoma de esquizofrenia, problema o seu.

      Anônimo 11/09/12 14:02hs: todos aqui sabem o que é completo ao pé da letra, e o que se chama comumente de "completo" no mercado. Se foi explicação ou observação, não importa: foi desnecessária.

      Excluir
    12. Taxista no rj tem quase uma obrigação de trocar de carro de 3 em 3 anos, numa jornada diária de no minímo 12 horas por dia, numa das maiores frotas de taxi do planeta e portanto falta cliente.....
      eu acho engraçado que todo mundo aqui está falando "mamata do taxista", mas eu garanto que todo mundo quando quer pegar um taxi quer andar de carro novo, conservando, limpinho, zerinho.... muitos aqui não trocam de carro por obrigação, o taxista é praticamente obrigado, se o incentivo não fosse dado, com certeza teríamos uma frota caindo aos pedaços e todo mundo também estaria reclamando....

      Excluir
    13. Seria muito legal um monte de taxista com polaras (porcarias) andando pelas ruas...

      Excluir
    14. anonimo 15:44

      Engraçado, estive no RJ faz uns três anos e peguei um táxi de um senhor de origem libanesa, sujeito falante, bem humorado e educado. Sabe qual era a viatura? Uma Parati ano 91 ou 92, não lembro bem, portanto, daquelas quadradas e de duas portas. Acho que ele não estava muito á par dessa obrigação de trocar de carro a cada três anos...

      Excluir
    15. O mercado (entenda-se: fabricantes, lojistas e vendedores safados) chama e os tontos aceitam. Os tontos, não eu. Completo é o veículo que dispõe de todos os opcionais. Os que não dispõe não são.

      Excluir
    16. Mr.Car
      Depois do discurso da nossa presidente Dilma , barateando o custo da energia elétrica, seu comentário(tese) caiu no vazio... Caiu no vago ,ficou no escuro , fez água, desandou, ruiu e voce deu com os burros n' água!
      Por favor, coloque sua massa cinzenta para funcionar.
      Analise e "pense fora da caixa"....

      Excluir
    17. anonimo do completo incompleto

      Esse termo "completo" é só mais uma dessas artimanhas inventadas por anunciantes, vendedores e toda essa corja para confundir e ludibriar o consumidor, da mesma forma que o termo "semi-novo", esse, então, o melhor.

      Excluir
    18. Mr.Car:
      Loganeiro fanático,
      Motorista seteiro
      Agora eleito (por unanimidade) Presidente vitalício do "LOGAN CLUBE DO BRASIL"
      Voce tem o direito de ter a carteirinha número 001 e foto na parede da sala de reuniao da sede.
      Agora ninguém mais segura o nosso Brasil!

      Excluir
    19. Anônimo 11/09/12 16:15, incrível como as pessoas se deixam enganar facilmente. E quando alertadas ainda se viram contra quem tenta livrá-los das trevas.

      Excluir
    20. Autoentusiasta bem disposto11/09/12 16:29

      Mr Car ganhando mais uma vez a minha admiração.
      Fala besteira (muita besteira por sinal), toma borrachada por todos os lados, mas não desiste nunca!
      Siga em frente Miss Mobilete atomica!

      Excluir
    21. Anônimo 11/09/12 15:44hs: taxista relaxado tem que trocar de carro até mesmo com menos de três anos. Já aquele que cuida...

      Então tá, anônimo espertalhão 11/09/12 15:57hs: procure seu carro completo "completo meeeeeeeesmo" em qualquer concessionária. Não vai achar, e se achasse, custaria o bastante para pegar um carro de categoria superior. E outra: virá com coisas que você mesmo acharia absolutamente dispensáveis mas teria que comprar, por conta dos famigerados "pacotes". E fim de papo: todo mundo aqui sabe o que vem em um carro quando se usa o termo completo , e sabe também que não vem com tudo que poderia vir, ou seja, sabe que não é o entendimento ao pé da letra do termo.

      Anônimo 11/09/12 16:01hs: aquele discurso da guerrilheira não foi para mim, foi para a legião de retardados de pai e mãe que vai acreditar em mais essa farsa que é parte do pacote do do P.A.C (Plano de Aceleração da Campanha). Vai abaixar a energia, e subir todo o resto. E os tolos deste país batendo palminha. Cuidado para as maõzinhas não ficarem ardendo.

      Excluir
    22. Autoentusiasta bem disposto: eu não tomo borrachadas, os otários como você é que pensam que dão. É bem diferente, mané. he, he, he, he!

      Excluir
    23. Realmente há opcionais de que nunca fiz uso como o air-bag. Já os freios ABS usei em algumas oportunidades, não muitas, é verdade. O sistema de som utilizo bastante, o temporizador programável do limpador do para-brisa só quando chove porque não costumo ligá-lo com tempo seco. Enfim, há outras coisinhas, sempre úteis.
      Bem, os tolos caem na conversa dos fabricantes, dos concessionários, faz parte. Os tolos caem e os retardados ainda reproduzem o discurso deles. Faz parte também.

      Excluir
    24. Pra quem deseja um Polara e tem um Logan, qualquer lixo que ande é mais do que completo mesmo.

      Excluir
    25. Anônimo 11/09/12 17:49hs: só um idiota (você se enquadra na categoria, certamente) vai julgar que por "opcionais dispensáveis", estou falando de air-bags. Os não-idiotas sabem que falo de coisas como enfeites inúteis, por exemplo.

      Anônimo 11/09/12 18:09hs: ponha aqui uma foto da maravilha infinitamente superior ao Logan em que você anda. Seria um Audi A8 ou coisa assim? Estamos todos ansiosos para ver.

      Excluir
    26. Em muitas cidades do interior, vários politicos liberam as praças de taxi para correligionários. Vejo muitas pessoas que nunca colocaram o carro para alugar, mas sempre compram os carros com placa vermelha. Isso não é ninguém que me diz, eu vejo diariamente.
      Quanto ao RJ, estive na Cidade Maravilhosa faz 15 dias, e em muitos lugares sofri para pegar um taxi (eram locais turisticos e/ou muito movimentados), sem contar que em 50% das vezes quando o taxista percebia o meu sotaque, já queria me enrolar...
      Outra fato desabonador sobre os taxistas do RJ, fui até o Cristo Redentor de taxi, paguei a corrida da Barra até o Cristo cerca de 70 reais. Conheci o ponto turistico e na hora de descer, não teve um taxista que se dispôs a me levar até o Pão de Açucar cobrando no taximetro. Todos eles só falavam em me deixar na base do morro, cobrando a mesma coisa do bondinho (22 reais) e por pessoa, então como era eu e mais 3 pessoas, pagaria 88 reais apenas para o taxista me deixar na base do morro e lá eu teria de pegar um outro taxi para me levar até o Pão de Açucar. Isso para mim tem um nome: LADRÃO!!!
      Então, concordo com Mr. Car, tem que acabar com essa MAMATA, ou então se estenda a outras categorias que precisam de locomoção, como médicos, policiais e bombeiros, autonomos, etc, etc.
      Quanto ao fato de se falar que a pessoa é melhor que a outra por causa do carro que possui, isso sim é uma completa besteira, pois não se pode balizar inteligência de nenhuma pessoa através de suas posses, pois desse jeito, quem tem um Audi ou um mercedes vai ser melhor do que uma pessoa que tem um chevrolet. E isso é um tremenda idiotice...

      DPSF

      Excluir
    27. Também sou a favor da isonomia fiscal. Quando um imposto é alto, é alto para todos que o pagam. A única coisa que deveria garantir isenção de impostos deveria ser a filantropia. Mas há muitas isenções piores que as da compra de veículos para táxi.

      Excluir
    28. "P.A.C (Plano de Aceleração da Campanha)"

      Kkk, é por essas que vale a pena ler os comentários.

      Excluir
    29. Mr.Car
      Eu gosto dos seus comentários
      Você tem boa cultura boas idéias e sabe expressa-lãs
      Acontece que tem tem opiniões formadas,conteúdo e personalidade forte , acaba imcodando os outros
      Continue comentando e defendendo seu ponto de vista!

      Excluir
    30. vou ser sincero, não acho que o cara (mr car) falou nenhuma besteira. isto é um forum e devemos ler e respeitar as opiniões dos outros... concordo que hoje carros "mais equipados" estão realmente menos caros e mais acessiveis - deixaram de ser mico.

      Excluir
    31. Agora o taxista é o "marginal" da vez....
      agora ele será colocado ao lado dos prf's, pf's, e com certeza futuramente estará aqui no banco dos réus ao lado dos já citados acima os carteiros que entraram em greve hoje....

      Excluir
    32. A gente falando sobre carros e o cara vem falando de Logan. Precisa mudar de assunto?

      Excluir
    33. A isenção que o Taxista tem não é tão grande assim. Ele ganha o IPI e o ICMS. Uns 25% a 30% dependendo do carro. O mesmo percentual dado aos defientes físicos. Mas estes tem que ficar com o carro por no mínimo 4 anos.
      Empresas contribuintes de ICMS, empresas de transporte e produtores rurais tem direito a abatimento do ICMS. Neste caso, pode chegar a 17%, dependendo do estado.
      Este imposto funciona na base de crédito e débito, onde o vendedor sempre credita o imposto a ser pago pelo comprador (ou revendedor).
      Sem contar que automóveis e autopeças estão no regime de substituição tributária, ou seja, o ICMS é calculado e pago pelo fabricante, na origem.
      Portanto, basta ser contribuinte de ICMS para ter redução no preço do automóvel. Muitas empresas compram veículos para seus representantes PJ, que os pagam com desconto nas suas comissões. No término do financiamento, o transferem para o PJ. Tudo de forma legal.
      Portanto, não só os taxistas tem benefícios. Quem produz algo também é beneficiado com reduções.
      Agora, queria ver um médico sair de noite da sua casa pra atender emergência! Em que país vc vive, heim?

      Excluir
    34. "A isenção nem é tão grande assim, 25 a 30%". De 1/4 a quase 1/3 do preço, e o sujeitinho acha pouco. Não vou nem perder meu tempo com mais este anônimo he, he, he!

      Excluir
    35. Se podemos chamar de mamata, eu não sei...

      Mas as tarifas de taxi são caras pra kct, uma parte considerável dos profissionais fazem picaretagens pra levar vantagem, e...

      A maioria esmagadora dirige mal e fica costurando que nem besta.

      Fora que sempre quando vc realmente precisa de um taxi, nunca consegue....

      Excluir
    36. Mr. Car, você pode me chamar de idiota e de tudo o que quiser, mas uma coisa não mudará. O veículo completo vem com todos opcionais. Aqueles que não vem, não são completos.
      Claro que a Volkswagen, a Renault, a Ford e outras continuarão a usar desta artimanha para enganar os bobos. Mas só os bobos caem nessa.

      Excluir
    37. Melhor chamar o completo de "TOP DE LINHA".
      Engraçado, nunca vi um carro usado vendido em loja que não fosse "TOP".
      Discussãozinha inútil essa...

      Excluir
    38. Faz o seguinte miss mobilete, compra uma autonomia e vai ser feliz!!
      só não vai fazer a besteira de comprar outro logan!!! hahahaha!! só pra dizer que se deu benzão comprando um logan com 30% de desconto!!!
      Mas lembre-se a autonomia não vale para o polara!! hahahah!!

      Excluir
    39. Anônimo 12/09/12 00:20hs, você pode se iludir o quanto quiser, mas ao entrar em uma concessionária procurando por um carro completo, qualquer pessoa que entenda um pouco do nosso mercado saberá que este carro não virá com todos os opcionais, apesar de ser chamado de completo.

      Excluir
    40. Brasil:

      Completo + Air Bag!

      Discussãozinha inútil essa (2x)

      Excluir
    41. Mr. Car ainda cai na onda dos trolls.
      Aliás, o que troll mais gosta é de quem comenta a sério com inteligência como ele.
      Mamata sim, e pior, mania de brasileiro de criar a regra abusiva para poder depois criar as exceções vantajosas e ganhar voto.
      O rodízio de SP também é assim, proibem de usar, daí começam as regalias: tal setor pode, outro também, etc etc...
      Abaixo os privilégios!

      Excluir
    42. O veículo que não dispõe de todos os opcionais não é um veículo completo. O público que busca um veículo completo já sabendo desta artimanha dos concessionários, pede o veículo com todos os opcionais. Ao ser informado do preço pelo vendedor(a), comenta - por que este preço tão baixo, se no site do fabricante o preço sugerido é de tal valor?
      Há outros detalhes, os quais prefiro não comentar. Pessoas mal intencionadas podem colher informações neste espaço com o intuito de enganar os consumidores.

      Excluir
    43. anonimo 11/9 23:47

      Não sei em que cidade vc vive e como são os médicos daí mas aqui em São Paulo é muito comum um médico ter que sair de madrugada ou até mesmo voltar à pressas de uma festa ou viagem para atender à uma emergência. Isso se chama profissionalismo e dedicação. Medicina não é profissão para preguiçosos.

      Excluir
    44. Mais um detalhe: não se trata de ilusão; na minha garagem há um veículo completo.

      Excluir
    45. Como assim, completo? É um Audi A8, BMW série 7 ou coisa parecida? Não? Então não é, sinto muito.

      Excluir
    46. O veículo completo é a versão de um modelo que conta com todos os opcionais. Audi A8 bem como seu concorrente bávaro da Série 7 são sedãs de luxo, os quais são oferecidos com opções de motorização e opcionais. Os que dispõe de todos os opcionais é chamado de completo.

      Excluir
    47. Essa discussão é uma bobagem completa, com todos os opcionais. Mr. Car, pare de discutir esse assunto, é claro que todos entenderam o que você disse. Esse tumulto é só para atrapalhar. Não ligue para isso.

      Excluir
    48. Bobagem ou não, o importante é dizermos que completa é a versão de determinado modelo de veículo com todos os opcionais. Se não fosse assim, não haveria nenhum motivo para qualificá-la como completa.

      Excluir
    49. Daqui a pouco aparece um e diz que é melhor comprar o peladão. Pelo menos ele não vai precisar discutir essa tese do completo pois terá certeza de que pegou o incompleto. E fim de papo.

      Excluir
    50. A versão pelada também conhecida como pé-de-boi, ou de entrada existe. É uma opção, mas em alguns modelos itens oferecidos como opcionais são imprescindíveis; desembaçador, limpador e lavador do vidro traseiro nos modelos hatchback, ar-condicionado para veículos que rodam por cidades com temperaturas altas, e por aí vai...

      Excluir
    51. PQP!!!!
      Isso não tem fim?

      Excluir
  2. Comparar o nosso mercado com ao estadiunidense é perda de tempo. Não temos o mesmo volume, competição e política fiscal.
    A maior parte das fabricantes brasileiras são de origem europeia, e seus acionistas fazem suas projeções em Euro. Esta moeda é mais valorizada que o dólar e quando os preços em reais são convertidos para euros, os preços dos carros ficam mais próximos aos praticados na europa.
    Portanto, amigo Gerson, jamais iremos comprar carros com preços de EUA enqyanto o euro for mais forte que o dolar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O jeito então é torcer para que a Hyundai faça seus preços baseado no desvalorizado won, e force os demais para baixo.

      Excluir
    2. Eu não reclamaria de pagar o preço que é pago na Inglaterra, por exemplo, com a mesma qualidade dos carros vendidos lá.

      Excluir
    3. Anônimo 11/09/12 12:20
      Podemos pagar preços equivalentes aos da UE, mas e a qualidade?
      Gerson? Ta de sacanagem? Querer a mesma qualidade e equipamentos nos carros que pagamos quase o mesmo que eles é ser Gerson? Qual vantagem teríamos sobre os europeus se pagássemos o mesmo que eles nos carros com a mesma tecnologia e qualidade que eles?

      Excluir
    4. Anônimo 11/09/12 15:43

      Qual a diferença de qualidade que há entre os carros europeus e brasileiros? Os carros que são vendidos lá não aguentariam 2 anos de uso aqui sem os devidos reforços, tanto em carroceria quanto em suspensão.
      Esse reforço acaba onerando o preço dos carros, sim.
      Quanto a acabamento, os plásticos são os mesmos! Por ex, o interior do Logan vendido no Brasil vem de... Portugal! Pegue uma peça qualquer e veja a gravação no verso. Os Suzuki e os Subaru fabricados no Japão possuem plásticos de aparência frágil, inferior ao usado no Mille.
      Portanto, o que realmente difere qualidade de acabamento aqui é a cor do tecido. Pelo menos eles podem comprar um carro com interior claro, ou com cores vivas.
      Lembra do interior azul do mille?

      Excluir
    5. Reforço (para "tropicalizar" o carro) custa caro? Depende, no Astra G por exemplo, saiu barato. Substituíram o sub-chassi dianteiro, originalmente em alumínio, por de aço mesmo. Mais pesado, mais resistente, e mais barato. Outras partes da suspensão continuaram iguais, e o carro se mostrou muito robusto e durável nesse quesito aqui no Brasil. O Civic Hatch, quando chegou ao Brasil importado e sem alterações na suspensão, surpreendeu os jornalistas da revista "4 rodas" ao final do teste de 60 mil km, devido a esta estar em ótimo estado apesar de terem até entortado rodas em buracos de pista no período. Ou seja, carro que precisa de reforços (caros) para suportar o piso ruim daqui são os que já eram frágeis, como foi o caso do Tempra e Uno original, por exemplo.

      Excluir
    6. Anônimo11/09/12 23:58,
      Você deve ser daqueles que não vêem diferença de qualidade entre um Polo e um Gol. Tranquilo, minha esposa também não vê muita diferença entre carros..

      Excluir
    7. Anônimo 12/09/12 09:00

      Lamento pelo mau gosto da sua esposa. Recomendo que a leve a um oftalmologista. Pelo seu comentario vejo que ela n encherga muito bem.
      Aproveita o plano de saude e marca um psiquiatra tbm. Pra ela e pra vc!

      Excluir
    8. Anônimo12/09/12 09:29,
      Também lamento pelo seu mau gosto, e recomendo o mesmo a vc.

      Excluir
  3. O carro com melhor custo benefício do mercado é o Logan. Começa com 25 mil, na versão pé de boi autentique, sem calotas, até a Expression Automática, completa, com almofadas e abs.
    Preço de carro pequeno com espaço interno melhor que carros de 80 mil.
    "menos vc não quer, mais vc nçao precisa"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Expression Automática custa 41 mil, e ainda leva o som 2 din com comando satélite e bluetooth.

      Excluir
    2. Nada mau, pra quem compra carro por m³.

      Excluir
    3. Os donos de Logan que me perdoem, mas beleza é fundamental.
      Joca Mello

      Excluir
    4. Ninguém merece esse carro feio; nem pra táxi.

      Excluir
    5. Logan feio?

      Bonito é o Cobalt, Voyage renovado, Graaaaaand Siena, Prisma, Classic, Versa, entre outras aberrações...

      Os caras pagam 10 mil dilmas a mais só por conta de meia dúzia de cromados na traseira...

      Excluir
    6. Marlon José, devolver dinheiro é uma coisa, reduzir o preço é outra. O que temos no momento é o anúncio de uma redução. Não se trata de algo dado, é uma política deste governo.

      Excluir
    7. Logan é mais feio que bater na mãe por causa de mistura.

      Excluir
    8. O Fiesta é melhor que o Logan.

      24000 reais por 1100 kg. Vinte e um reais por kg. Mais barato que muito pedaço de carne.

      Excluir
    9. Eita comparação mais infame. Pior que a carne vendida é de quase sempre de terceira. Não a do açougue, a do revendedor autorizado da marca.

      Excluir
    10. Hum... alguem defendendo o Logan
      Só pode ser a mando do Mr.Car (Loguaneiro) fanatico, alem de ser um motorista seteiro e roda presa!
      Mr.car , voce foi eleito , por unanimidade, presidente vitalício do "Logan Clube do Brasil"
      Voce tem o direito de ter a carteirinha número 001.
      Agora nosso pais vai para frente!

      Excluir
    11. Não tome todo o pessoal aqui por um fraco sem personalidade como você, que obedece com o rabinho entre as pernas qualquer ordem que lhe seja dada, e que se presta viver sob os mandos de alguém. Eles podem não gostar da comparação.

      Excluir
    12. Pior é quem compra táxi com desconto e o utiliza apenas como carro particular.

      Excluir
    13. Taxista o "marginal" do momento....
      hahahahah... amanhã serão os carteiros....
      povinho bem volúvel.... hahahah

      Excluir
    14. O Logan é mais feio q cachorro com dor de dente chupando picolé na chuva... E é ruim, uma carroça e das brabas !!!

      Excluir
    15. O Logan é que nem aquela mulher magrela que não chama a atenção, mas qdo vc leva pra cama, se revela uma ótima trepadeira.

      Existe vida (e engenharia) inteligente fora da VW e Fiat (lixos...)
      Guiem um antes de falar groselha!!!

      Excluir
    16. Anônimo12/09/12 00:05

      Boa!!!!!

      Excluir
    17. Mr. Car,

      Deixa esse povo falar groselha a vontade. Isso é coisa de gente invejosa e arrependida que compraou Gol G5 com plataforma requentada e Palio travestido Punto em 84 prestações e acha que tem uma máquina digna de fazer inveja pro vizinho da vila.
      O Logan é o único dos carros pequenos que é vendido na Europa!
      Pergunta prum alemão se ele sabe o que é um Gol???
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    18. Eu gosto do Logan. No caso de sequestro relâmpago, se me puserem no porta-malas, eu não passo aperto. Espaço e conforto é tudo em quaçquer momento. Aliás, dá pra abrir a tampa do porta-malas por dentro, nesse carro?

      Excluir
    19. O alemão pode saber o que é um Dacia Logan e não saber o que é um VW Gol, mas quando souber vai rir do mesmo jeito.
      O Fox já foi vendido na Europa (com uma séria de melhoramentos) como substituto do antigo Lupo, mas isso não faz dele algo melhor.

      Excluir
    20. Meteu o dedo na ferida: VW vendeu Fox na Europa com MELHORAMENTOS. E porque não ter esses melhoramentos por aqui? Vale para todas as fábricas instaladas no Brasil. Não merecemos coisa que preste e ainda temos de pagar mais caro? Uma banana pra essa corja!

      Excluir
    21. O Fox fez tanto sucesso na Europa, que qdo teve a reestilização de 2009, a VW ainda mandava o antigo pra lá, enquanto o substituto não chegava.
      Tudo pra não ter que investir em peças num carro que iria sair de linha por lá em poucos meses.

      Excluir
  4. Os preços dos carros estão estáveis, de 2007 para cá? Acho que não é exatamente isso o que acontece...

    ResponderExcluir
  5. "Ultimamente andam batendo com freqüência nessa tecla, a do preço dos carros, como se os fabricantes devessem baixar os preços da noite para o dia por filantropia."
    Lembrando que não é só carro que é muito caro aqui, muitos produtos industrializados e serviços também custam bem mais aqui do que em outros mercados com renda maior.

    ResponderExcluir
  6. Não quero filantropia. Quero que eles façam o mesmo que fazem para os mexicanos para que carros brasileiros como Gol e Civic, por exemplo, custem menos lá do que aqui.
    Aproveitando o assunto, eis um vídeo interessante:
    http://www.youtube.com/watch?v=ifp3L0xYmF4

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só é fazer por onde: Não compre por preços altos... Fuja de financiamentos (que tiram o poder de barganha do consumidor), e assim começaremos a melhorar nosso mercado. Mas enquanto houver quem pague, não tem porque baixarem preço ou melhorar qualidade.

      Excluir
  7. Victor Gomes11/09/12 12:54

    Vai contra a natureza de qualquer empresa abaixar o preço se há quem os compre. Como diz o texto, as montadoras nunca farão isso.
    As medidas para ter um carro melhor tem que partir do governo, porque conscientizar a população de que não vale a pena comprar um Corolla Altis é perda de tempo quando sabemos que a esmagadora maioria compra por emoção, e não por razão.
    Não acredito que reduzir preço dos automóveis seja a solução, pelo contrário, seria um pesadelo. Imaginem vocês, que já perdem um bom tempo presos no transito congestionado de cidades médias e grandes, com muito mais carros na rua, devido ao preço mais acessível...
    As fabricantes no Brasil se situam em uma zona de conforto. A legislação é branda, a concorrência é fraca (apesar deste quesito estar mudando) e o lucro é alto.
    O governo poderia muito bem melhorar o transporte público. "Só" com esta medida, as montadoras teriam concorrência. O cidadão pensaria "para que comprar um carro se posso fazer tudo que preciso com transporte público de qualidade?" Algum atrativo a mais as montadoras teriam que oferecer ao consumidor em potencial.
    Outra medida seria impor normas de segurança e emissões de poluentes mais rígidas. Desta forma não haveria tanta discrepância nos projetos desenvolvidos aqui, se comparados com os desenvolvidos nos EUA, Japão e Europa. Obviamente que de início as montadoras passariam os custos mais altos de produção para o consumidor. Mas, preço geral mais alto, vendas gerais mais baixas. As montadoras teriam que reduzir sua margem de lucro se quiserem ter bons resultados nas vendas.
    Liberar importação de veículos usados com 10 ou 15 anos de uso. Mesmo que fosse com altíssimas cargas tributárias e com pré requisitos como já vir equipados com ABS e Air Bags. Só o fato de poderem ser legalizados ao aportarem aqui, seriam concorrentes aos carros 0km e "pelados". O volume de importação seria baixo, mas o suficiente para evidenciar o atraso tecnológico dos carros vendidos aqui, conscientizando o consumidor na compra de um veículo novo.

    Enfim, a solução não está nos carros mais baratos e sim nos carros que com o mesmo preço que temos agora, possam nos oferecer muito mais em questão de conforto, segurança e qualidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Imaginem vocês, que já perdem um bom tempo presos no transito congestionado de cidades médias e grandes, com muito mais carros na rua, devido ao preço mais acessível..."

      Típico pensamento medíocre da classe média frustrada e sofredora...

      Carro não é luxo, é necessidade. O cara que precisa de carro e não tem dinheiro para comprar um novo vai comprar um carro com 25 anos de uso e com uns 20 anos que não vê revisão, poluíndo, quebrando nas ruas formando trânsito e botando em risco seus ocupantes e quem está perto dele, por problema em freios, motor, pneus, etc.

      Se os carros fossem mais baratos teríamos menos trânsito, respiraríamos um ar menos poluído nas metrópoles e morreria menos gente.

      Esse pensamento para mim denota desvio de caráter, igual aquele que põe engate no carro para ameaçar quem se atrever chegar perto do carro.

      Excluir
    2. Esse é pobre, mas é pobre de espírito e de noção. Quer dizer que pobre não pode ter carro? Porque? Não quer ter que dividir a mesma pista que um favelado?
      Porque ao invés de pensar que a solução é deixar os carros só pros mais afortunados nós não começamos a imaginar soluções para o trânsito? Estradas de boa qualidade, fim da pista única em todas as Br, capacitação de verdade para os futuros motoristas, punição a altura pra quem desrespeitar a lei.

      Sei que é difícil que isso se torne realidade, mas querer consertar os problemas restringindo o acesso das pessoas a um bem tão necessário não é a solução

      Excluir
    3. Victor Gomes;

      Excelente ideia a sua de importar carro usado! Vamos trazer carros japoneses, mudar apenas o volante e os pedais de lado e mandar quem trabalha na cadeia automotiva catar latinha no lixão!
      Jesus, ele não sabe o que fala!

      Excluir
    4. Victor Gomes12/09/12 01:32

      Sim, sou classe média. Sim, eu sofro. Mas não, não me sinto frustado, a qualidade de vida está melhor do que a dez anos atrás. Portanto, não é um pensamento medíocre, pobre de espirito e de noção. É uma visão diferente de enxergar o ambiente em que estamos envolvidos.

      Vamos pensar: "Carro não é luxo, é necessidade". Não podemos generalizar. Se a pessoa trabalha com o carro, como um taxista ou um representante de vendas, carro é necessidade. Se a pessoa mora em um lugar onde não há transporte público ou este é escasso, carro é necessidade. Mas se vc mora em uma grande ou média cidade, que em prováveis 90% do municipio em questão há opções de transporte público, convenhamos que carro é luxo, já que haverá a opção de escolha.
      Para ajudar mais ainda na compreensão da minha visão, vou usar como exemplo a cidade onde moro, Niterói, que fica na região metropolitana do Rio de Janeiro. Cidade com uma população de 487.000 habitantes (2010) e com 160 mil carros, um para cada três habitantes.
      Todo dia, vou de ônibus para o trabalho e para a faculdade. Sempre pego trânsito. Niterói é conhecida por ter um trânsito pior que o da cidade do Rio. Um trânsito que simplesmente para. Devido ao QUANTIDADE de carros que tem por aqui. É nessas horas, que a gente fica parado no transito dentro do ônibus, q a gente acaba puxando um assunto com a pessoa ao lado, como passatempo. Não raro, converso com alguém que se lamenta de não poder ter condições para comprar um carro para ir trabalhar. Pergunto "Mas pq vc gostaria de ir de carro?" As respostas são mais ou menos as mesmas: Dá pra ouvir uma música sem pertubar que está do lado; Teria um ar condicionado pra refrescar; Teria mais espaço...
      Sempre digo, que ao menos aqui em Niterói ou em boa parte do Rio, não vale a pena. Experiência própria. Tenho carro, comprado usado com mais de 10 anos (custou menos que qualquer carro 0km), é espaçoso, muito confortável, câmbio AT, tudo é elétrico, imponente e veio com um brinde que é a robustez japonesa. Usar-lo quando posso pegar um ônibus é um luxo. Não vale a pena. O tempo gasto pra ir ao trabalho ou à faculdade é de 5 min a menos caso fosse de ônibus. Ainda tenho que ficar o tempo todo prestando atenção no trânsito, para não bater. Preocupado para que nenhum carro ou moto bata em mim. Tem ainda a preocupação em achar uma vaga quando chegar ao meu destino. Vc já chega estressado no trabalho assim. Dentro de ônibus não há estas preocupações. E gastaria mais com combustível e manuntenção do que com passagem de ônibus. Carro é só pro fim de semana, para encher-lo de tralhas e viajar por aí. Na cidade, não compensa. Dito isso, a maioria das pessoas com quem converso repensam na idéia de ter um carro para ir trabalhar. Elas percebem que carro é um luxo praticamente desnecessário de segunda a sexta.

      Excluir
    5. Victor Gomes12/09/12 01:33

      Continuando:


      Imaginem então se todos tivessem acesso a carros novos mais baratos. ÓBVIO que haveria mais carros na rua. E o que vc acha que aconteceria com aqueles usados de 25 anos de uso que não vêem manuntenção a uns 20 anos? Eles simplesmente deixariam de ser usados? Claro que não né? Pense! Eles ficariam mais baratos ainda. E continuariam sendo comprados e usados, causando os mesmo problemas como já acontece.

      Não adianta deixar-los mais baratos. Não resolveria o problema do transito das metrópoles. Se fosse assim, não haveria trânsito, mortes e poluição nos países ditos desenvolvidos.

      Creio que enquanto não tivermos avanços significativos em infraestrutura urbana (ruas e transporte públicos), enxergarei o carro Okm mais barato como uma ameaça à qualidade de vida das cidades médias e grandes, que é o destino final da maioria dos carros vendidos neste país.

      E não tem nada haver com o fato da pessoa ser rica ou pobre. Tem rico que não vê o uso de carro como prioridade ou necessidade e tem pobre que não tem onde cair morto mas que anda de carro todo equipado com xenon e sonzão.

      É tudo uma questão de pensar no coletivo. Não quero dizer em restringir o acesso ao carro zero, ele já é restrito por si só e continuará sendo mesmo que fique mais barato. Só não concordo com a adoção de medidas que o deixe mais acessivel que já é (ou não), caso não haja mudanças para melhorar a vida no coletivo.

      Excluir
    6. ao Victor Gomes,

      Então o correto é parar o progresso porque não há infraestrutura? Não seria melhor construir mais infraestrutura?

      E como você explica a Alemanha, que tem muito mais carros por km2 que o Brasil? Nesse seu pensamento, a Alemanha estaria sempre travada e nas Autobahns seria impossível trafegar a mais de 40 km/h.

      Vamos encher o Brasil de carros. Carros significam empregos: empregos nas montadoras, nas oficinas, nos postos de combustíveis, nas fábricas de acessórios. E empregos significam riqueza na mão dos pobres e redução da desigualdade social, que é um dos grandes tormentos de nosso país.

      Excluir
  8. - a Dilma teoricamente não baixou a tarifa de energia, ela simplesmente está devolvendo ao consumidor, R$ 7bi que foram cobrados de forma incorreta, conforme ordenado pelo TCU.
    Segundo, adoro o mercado de usados, ele está bem desvalorizado e está ótimo para pegar um carro um pouco mais completo sem precisar pagar o "preço do 0km".
    - outro ponto, as montadoras de veículos são empresas como qualquer outra, que buscam o lucro. Se o produto vende bem, com a margem 'polpuda', teria que ser muito Ignorante jogar essa margem fora e baixar o valor. Ninguém faria isso. É o mesmo caso da Apple com seus produtos. Existem similares por metade do preço, mas ela vende bem com a margem atual, para que baixar??
    Os números estão ai, recordes de vendas por vários meses seguidos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso que o recado não é para os fabricantes e sim para os consumidores que compram.

      Excluir
    2. Desculpe chamar a sua atenção sr Marlon os 7bilhões estão aguardando decisão judicial sobre a forma que serão devolvidos ,nada a ver com o anuncio de redução das tarifas de energia eletrica.O poder judiciario é independente do poder executivo e a pres Dilma não manda no poder Judiciário.

      Excluir
    3. Marlon José, como o governo federal pode devolver algo se não existe decisão final sobre este processo?

      Excluir
    4. Sr. Totiy, o TCU faz parte do poder Legislativo, e não Judiciário, ele tem pleno poder sobre essa decisão, e sabemos que esse 'desconto' que será dado, não virá de graça, com toda certeza será utilizado para reembolsar o valor.
      Mas não iremos sair do foco principal do post.

      Excluir
    5. vejo que o sr não esta a par do assunto,as concessionárias alegam que "não tem o dinheiro para devolver" por isso as partes estão decidindo na justiça como será feita a devolução desses 7 bi ao consumidor final e não é desconto , serão retirados completamente a CCC (Conta de Consumo de Combustíveis) e a RGR (Reserva Global de Reversão). A CDE (Conta de Desenvolvimento Energético) será reduzida em 25% do seu valor atual.

      Excluir
    6. Marlon José, devolver dinheiro é uma coisa, reduzir o preço é outra. O que temos no momento é o anúncio de uma redução. Não se trata de algo dado, é uma política deste governo.

      Excluir
    7. Será que tem gente tão ingênua assim à ponto de acreditar que o (des)governo vai devolver alguma coisa? Só rindo mesmo.

      Excluir
  9. Filantropia my ass. A questão é pagar muito mais caro por um produto sempre inferior em equipamentos e qualidade de construção.
    Motores com injeção direta, 6 airbags e o escambau já são padrão em carros como Civic, Focus etc. Aqui, air bag duplo de série e ABS pelo dobro do preço.
    March europeu com 4 estrelas no EuroNcap, March brasileiro se desmontou no mesmo teste. E ainda assim, custa mais caro.

    Fora as quedas bruscas de preço que acontecem quando chegam concorrentes (as vezes, quedas que beiram os 10k reais) e ainda vem um Fernando Calmon da vida dizer que a culpa é dos impostos.

    Óbvio que o carro aqui custa mais caro. Nada mais natural, temos N impostos que o americano não tem, além de um governo minimamente menos lobbista. Mas o que fazem aqui é total exagero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem carro? Então você deu uma pequena colaboração para a manutenção desses preços.

      Excluir
  10. Ainda acho que para reduzir preço, tem que reduzir a procura e para isso é imperativo que reduzam o prazo de financiamento. Que adianta aumentarem o prazo para ajudar o comprador se o fabricante também aumenta o valor do carro, pois se o cara pagava R$ 500,00/mês em 36x, quer dizer que ele pode pagar os mesmos R$ 500,00/mês mesmo que em 72x.

    ResponderExcluir
  11. AC,

    Faz um favor pra gente. Explica isso pro Bob. Talvez alguém próximo o faça entender...

    ResponderExcluir
  12. Essa comparação não inclui a margem de lucro das concessionárias, que reza a lenda é uma das maiores por aqui também.

    ResponderExcluir
  13. Legal, AC. Muito oportuno e sensato. Permita-me fazer algumas colocações.

    Curiosamente, em recentes comentários meus, cito questões expostas em seu post. A primeira delas é a quastão da estabilidade dos preços. Não concordo totalmente, pois em vários casos houve redução, e em alguns casos significativas. Veja por exemplo o Fiesta 1.6 com air bag e ABS. Esse carro custava entre 45 e 50, e hoje pode ser encontrado por 34. Se fizermos a correção atuarial daquele valor, chegamos a insanos 55/60. Ou seja de 60 para 35... Fica dificil acreditar em lucros reduzidos de nossa indústria automotiva.

    Por falar nela, indústria tem que lucrar sim, concordo absolutamente. O problema, insisto, somos nós, que aceitamos pagar. Comentei há dez minutos no post do PK sobre Paris do quão surreal foi assistir Civics e Corollas intermediários custando mais que Azera. E vendendo muito mais!

    Não acedito que as medidas a serem tomadas por nossa presidente possam refletir um menor preço dos carros. Ora, quem determina o preço é o consumidor! É ele que vai falar se vale ou não! Enquanto reinarem sandices do tipo "Honda é Honda!" e " Carro é Volkswagen!" nosso mercado não mudará pois o fabricante sabe que o consumidor paga a mais por acreditar nessas besteiras.

    Um bom modo para aferirmos se uma carro está caro ou barato em nosso mercado, é analisarmos seu preço de modo relativo, comparando-o com seus concorrentes em mercados sensatos, tais como voce fez no caso Civic-Corolla-Sentra. Virão à tona casos bizarros, como o Camaro, que se lá custa o dobro de um Sentra básico, aqui custa QUATRO vezes mais, embora este último pague menos impostos, mas longe de justificar tal diferença.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, bem colocado, o exemplo do Fiesta mostra como tem gordura nos preços de vários modelos.
      Pior ainda são as motos, 1/2 Uno ou Ka uma simples 250, com um motorzinho de um cilindro. O que uma 250 tem para custar o dobro de uma 125 ? E uma 600 custar mais do dobro de uma 250 ?
      É evidente que se uma 125/150 custa 6 mil, uma 250 poderia custar 8 dando o mesmo lucro. Se custasse 8, capaz de vender mais 250 do que 125. É isso que falta aqui. Difícil de fazer a projeção, mas se um Corolla custasse 50 mil, quantos seriam vendidos ? Eu acho que passava de 5 mil/mês para 15 mil/mês, porque pegaria os compradores de Cobalt, Grand Siena, Polo, Ecosport e de vários outros modelos. Ao contrário, vão lançar o Etios, que se bobear vai custar os 50 mil. E se vender bem, só vai provar que estão certos.

      Excluir
    2. Por favor, me diz onde você acha esse Fiesta (eu entendo que é o modelo novo) a 34 mil. Eu quero comprar.

      Excluir
    3. Fiesta a 34 mil? Nem gosto muito do modelo, mas:
      "Eu quero comprar." [x2]

      Excluir
    4. Anonimos:

      é claro que se trata do modelo antigo, que por sinal é um excelente carro. Anda muito bem, comportamento dinamico bem acima da média, e bem robusto. Interior simples, é verdade, mas satisfatório. Não, não tenho um. Mas tem na família e com conhecidos próximos.
      Vejam este:

      http://www.webmotors.com.br/comprar/ford/fiesta/1-6-rocam-hatch-8v-flex-4p-manual/4-portas/2012-2013/8639231

      Cruvinel,

      no caso das motos, é interessante colocar que muito dos custos não são proporcionais à cilindrada ou à potência. Ora, o custo de transporte de uma Hornet é o mesmo, ou muito próximo, do de uma Biz. Um motor quatro cilindros não é quatro vez mais caro que um mono, considerando-os em paridade tecnológica. Mas o problema (para eles) é que abaixando o produto top, o básico tem que abaixar também, caso contrário ocorre canibalização.

      Vejamos, por exemplo, o Camaro. Acredito que poderia ser vendido aqui, já com um bom lucro, por 100 contos. Sim, pode, sim: é o valor que estão pedindo no Omega Fittipaldi, carro em que há até o compartilhamento de peças. Outra: peguemos o Azera, Cadenza e Passat. Custam lá nos EUA, por volta de 30 e poucos mil dólares, o mesmo preço do Camaro, e aqui são vendidos por 110.

      Continuando, o que pega é se o Camaro for 100, como justificar o Cruze a 70? Complica. Então vamos abaixar Cruze para 50. Agora lascou foi com o Cobalt! Então o Cobalt tem que ser uns 30. Agora fu, ops, prejudicou o Celta. E por aí vai...

      O preço é colocado levando-se em conta a gama de produtos oferecidos pela marca, não como produto isolado. É incrível, mas o preço estratosférico do top consegue arrastar para cimao preço do carrinho básico!

      Mas é aquilo que voce disse: é possível reverter a lógica de só ganhar no básico, é possível ganhar também no mais sofisticado. E, Cruvinel, quanto ao Etios, não se assuste: ele até pode vir com um bom preço de tabela, mas as concessionárias cobrarão ágio, e as pessoas pagarão. O nome Toyota já se consolidou como coisa de alta qualidade, o que sabemos que não é uma verdade absoluta.

      Veja por exemplo, a Honda motos. Lançou a CB 1000 R por um preço de fato muito bom, 37.8. Interessado em uma, nunca a vi por menos de 39.5. Agora a NC 700, uma moto simples, de tabela 27.8. A mais barata que vi, 29.9. Por outro lado, a CBR 250, encalhada, pode ser encontrada pelo "preço sugerido", 15.5.

      Insisto: quem faz o preço somos nós. Quando o modelo não vende quanto se espera, a verdade começa a vir à tona e percebemos um preço mais real. Ou não causa espanto a Gran Tour 0Km a 44?!

      http://www.webmotors.com.br/comprar/renault/megane/1-6-dynamique-grand-tour-16v-hi-flex-4p-manual/4-portas/2012-2013/8565805

      Abraço!

      Lucas CRF

      Excluir
    5. CRF

      E o que vc me diz do relançamento da Falcon? 19K, 1 cavalo a menos e continua com aros e balança traseiro em aço. Fim da picada, né?
      Aliás, reparou que a Honda tirou ela do site? Porque será?

      Excluir
    6. Perfeito, Anonimo!

      Cara, a sensação que tenho é que os preços das motos e carros no Brasil devem ser definidos num alegre happy hour, e quando os caras já estão cheios do mel, começam a definir os preços. Imagine a cena: um deles, já bem doidão, diz " a gente bem que poderia poderia colocar a Falcon de novo no mercado (hic!)..." Um outro, menos chapado, completa: Será o brasileiro vai ter coragem de comprar? hahaha! " Um terceiro, doidaço, argumenta: "Rapaz, eles acreditam que "Honda é honda", vamos por 20 contos naquela catilanga que vai ter é fila pra comprar!" Os outros pensaram, "esse aí bebeu demais, corta o alccol dele!".
      Sabemos que ele deve ter sido é promovido na semana seguinte...

      Brincadeiras á parte, é na vida útil do produto é que se revela quanto o preço cobrado já foi um dia afastado de seu custo. E nas motos também há isso: Vejamos por exemplo a Suzuki B-King. Na época de lançamento (2009?), chegou a ser comercializada por 75. Hoje, a mesma moto, zerinho, pode ser encontrada a 43. Que diferença, hein!

      Obs: nada contra a Falcon. Gosto dessa moto. Acho-a legal. Mas nunca que ela vale os 19.9 pedidos!

      Abraço!

      Lucas CRF

      Excluir
    7. Apenas pra constar: A ford fez uma "Promoção" no final de Julho e minha namorada comprou um Fiesta 1.6 ( ar/direção/vidro/trava/abs/air_bag) preto, e como ela "brigou" consegui por R$ 32.900,00

      Isto porque segundo eles era um carro 2012/2012, só que quando ela foi pegar o carro era um 2012/2013.

      Concordo plenamente com o LUCAS CRF

      Excluir
  14. Se eu fosse um industrial - ainda por cima estrangeiro - eu cobraria o preço o mais alto possível pelo carro aqui, sem sombra de dúvida.

    País instável em que as políticas públicas quando existem são caluniosas... eu ia ganhar o meu cacau e danem-se os outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro anonimo 11/09/12 13:28
      Nossa como voce é cruel e insencível!
      Ass.
      TIO SAM

      Excluir
    2. Meu caro TIO SAM, o correto é insensivel.
      De nada

      Excluir
    3. O cara está mais do que certo. Empresa não é instituição filantrópica. E, se falir, ninguém no Brasil vai ajudar. Então tem mais de ganhar dinheiro mesmo.

      Como disse Milton Friedman (única coisa em que concordo com ele): A única função das empresas é gerar lucro para seus proprietários.

      Excluir
  15. Uma dúvida que sempre tive: Sempre dizem que a culpa é dos consumidores que aceitam. Pois pergunto: O que seria não aceitar? Seria ficar com o carro durante 15 anos e cair na mão dos mecânicos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A indústria não aguentaria 1 ano em queda, sem que abaixassem os preços dos carros...

      Excluir
    2. De fato. A indústria não fica 1 ano em queda. Fecha as fábricas / reduz capacidade produtiva (ou simplesmente não a renova), diminui modelos e opções, não renova produto e... mantém margem.

      Excluir
    3. Convenhamos, Fábio: há uma enorme distancia entre trocar de carro todo ano (ou de dois em dois anos), e ficar 15 anos com o mesmo carro (o que não vejo problema algum). Eu conheço várias pessoas que trocaram de carro simplesmente por trocar, por puro gosto, sendo que antigo se apresentava em perfeitas condições, com pouca idade e quilometragem. Se as pessoas segurassem um pouquinho o ímpeto na hora de comprar, o mercado seria outro, acredite.

      E aceitar, Fábio, inclui também o comprar por moda, por status, pagar por equipamentos que não serão utilizados. Só para refrescar a memória. Sabe quanto pediam no New Civic EXS na época de seu lançamento, em 2006: 100 paus!!! E vendiam!!!!!!

      Respondida sua dúvida?

      Lucas CRF

      Excluir
    4. Sempre tive carros por achar um absurdo o preço de carros novos, porém sento no bolso essa opção, por mais que você seja cuidadoso, você sempre cai nos mecânicos, não tem jeito. Carro dura 5 anos e depois começa, é feito para acontecer isso, para quebrar após esse período e não é falta de manutenção, ou você acha que numa manutenção preventiva alguém vai trocar selo da bomba de água, mangueiras de DH, AC e água, MAP e coisas do gênero. Então como disse, depois de 5 anos se você foge da fábrica, cai no mecânico e convenhamos que não são os profissionais mais honestos que temos. Concordo que trocar todo ano é coisa de louco, visto a perda de valor no primeiro ano,mas acho que em 5 anos é necessidade.

      Excluir
    5. Fábio, por força do ofício, não posso nem passar perto do mesmo bairro de alguém que tenha carro zero. Talvez por isso, conheci diversos mecânicos, aprendi muito de mecânica e posso dizer: existem profissionais honestos soltos por aí. E posso garantir, só pelo que conheço das pessoas, que deve ser tão fácil achar uma concessionária que tente levar o cliente a gastar mais do que o necessário quanto uma oficina independente.
      Aliás, quais são os profissionais mais honestos que temos? Advogados? Médicos? Engenheiros? Pastores/padres/rabinos/xamãs/etc? Picaretas, charlatães, e pessoas interessadas num dinheiro fácil estão em qualquer profissão.

      Excluir
    6. 5 anos é um bom tempo com o carro. Mas o caboclo fica 2 e já quer trocar de carnê.

      Excluir
    7. Braulio
      "Por força do ofício..." Não entendi o que vc quis dizer.

      Excluir
    8. O meu ja tem 5 e não vou trocar tão cedo, já perdi um absurdo no valor do carro numa eventual revenda, isso somado ao valor absurdo de um zero km me faz pensar que mesmo com manutenção é mais vantajoso financeiramente ficar com meu carro por pelo menos mais 5 anos.
      Corsa 07-08 e ninguém paga mais que 16 mil, para comprar outro do mesmo nível eu teria que desembolsar mais uns 15 mil brincando, fala sério, com 15 mil mantenho o carro inteiro por 5 anos tranquilamente

      Excluir
    9. Anônimo11/09/12 16:03,
      Mantem tranquilamente mesmo, afinal a maior parte do custo anual de se ter um carro é igual ou maior quando ele é novo. Manutenção é de menos, a não ser que funda o motor, quebre o câmbio, etc.., coisas que são raras.

      Excluir
    10. "5 anos é um bom tempo com o carro. Mas o caboclo fica 2 e já quer trocar de carnê."

      x2

      Excluir
  16. Engraçado, as pessoas comumente falam em respeito ao consumidor.

    RESPEITO NÃO SE PEDE, SE CONQUISTA.

    Otário sempre será tratado como otário...

    ResponderExcluir
  17. Ora, alguem consegue guiar dois carros ao mesmo tempo? Então, a medição do "caos" no trânsito deveria ser por base na emissão de CNH, nénão??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas sempre houve e ainda há maior quantidade CNH emitidas e válidas do que automóveis.

      Excluir
  18. Eu sai do mercado há uns 10 anos atrás. Pelo preço de um carro 1.0 comprei uma F-1000 pra viajar, um Fusca pra andar na cidade e uma Honda Tornado pela praticidade e pra dividir a quilometragem com os carros. Faço manutenção preventiva, e nunca fiquei a pé.

    De 10 anos pra cá foi só satisfação com a minha escolha. Enquanto a política de preços for esta, continuarei com minha própria política.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, eu também compartilho desta opinião e vivo desta forma: tenho minha própria política.

      O problema é que é 1 brasileiro a cada 100mil que pensa e vive desta forma. Pelo menos não é meu dinheiro que vai pro bolso do governo e empresários gananciosos.

      Excluir
    2. Não adianta chorar. De um jeito ou de outro você sempre sustenta essa corja. Ou vai dizer que você não come, se veste, se locomove...

      Excluir
    3. Quem vê pensa que no Brasil só vivemos de carro. Todos estão inseridos no sistema, até mesmo quando compra um pãozinho, paga as contas de luz e telefone, paga o combustível, o pedágio, etc.. Não adianta, nem faz sentido, ficar tentando escapar. É o mesmo que ser ativista do Greenpeace, ser vegetariano, etc., mas se alimentar dos produtos da agroindústria (arroz, trigo, milho, ...), que usa exterminar em larga escala insetos e pequenos animais, considerados pragas.

      Excluir
    4. Pois é, não acho que tenha santo nessa história não, mas as tais fábricas que fabricam os carros, compram esse pão caro para o lanche, pagam esse telefone caro, com certeza gastam muito com contadores e advogados para se enquadrar nessa confusão que é nossa estrutura fiscal.

      Tudo é caro, muito caro aqui.

      Excluir
  19. Me parece que alguns jornalistas apostam na ignorância ou estupidez do leitor para formular teses que justifiquem o preço abusivo dos nossos desatualizados automoveis, O ultimo texto do Fernando Calmon então é uma perola de preciocidade ,precisariamos ter outra moeda,além é claro dos impostos,por curiosidade fui procurar saber sobre a carga tributaria em outros países e ncontrei essa tabela:
    Carga tributária - 2009
    País Carga tributária/PIB
    México 17,5%
    Chile 18,2%
    Estados Unidos 24%
    Turquia 24,6%
    Irlanda 27,8%
    Japão* 28,1%
    Suiça 30,3%
    Espanha 30,7%
    Nova Zelândia 31%
    Canadá 31,1%
    Brasil 33,1%
    Reino Unido 34,3%
    Média OCDE 34,8%
    Alemanha 37%
    Luxemburgo 37,5%
    Hungria 39,1%
    Noruega 41%
    França 41,9%
    Bélgica 43,2%
    Itália 43,5%
    Suécia 46,4%
    Dinamarca 48,2%

    Fonte: OCDE
    a Pobre inglaterra ainda tem a desvantagem de ter uma moeda como a libra,oh céus e os carros populares de US$ 7 MIL do Itamar,mesmo em Us$ a desculpa da infla ção não me convence,também optei pela solução do Josiel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. totiy,

      ao culpar o governo (por intermédio dos impostos) as montadoras ganham a simpatia do consumidor, no sentido de " olha, elas estão fazendo o melhor que podem! Estão do nosso lado!" e aí, pronto: tá lá o feliz consumidor, sábado de manhã na concessionária, que mais parece uma feira, tamanha a quantidade de gente! Todo mundo feliz e satisfeito por ter pago o justo, afinal, como dizia aquele antigo quadro do Jô Soares, A CULPA É DO GOVERNO! Nós não temos culpa de nada, nem de botar os governantes lá...

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
    2. Concordo Lucas,mas quem está culpando o gov são certos jornalistas especializados,que deveriam orientar o consumidor sobre como fazer importação direta e não pagar IPI que o importador paga em vez de culpar o governo,mesma coisa com o setor alcooleiro ,a culpa da alta do alcool é sempre do governo,nunca mencionam as tramoias dos usineiros que aproveitam da alta do açucar para exportar açucar em vez de fabricar alcool e o País que se foda ,afinal o lucro é o objetivo final do capital investido.

      Excluir
    3. Totiy. Troque o governo da Dilma por um do, vejamos... José Serra. Você manteria a sua opinião? Sim, pois eu sei que você é petista de carteirinha. Só falar mal do atual governo e aparece você para socorrer.

      Ah, sim!, já ia esquecendo, são TODOS uns safados, governo e empresários.

      Excluir
    4. Estavamos falando do preço dos carros e não do governo,pelo menos até agora.
      o regime é democratico ,basta que o Serra ganhe as eleições que darei minha opini
      ao sobre ele

      Excluir
    5. Totiy
      Você diz isso pois sabe que ele nunca mais vai vencer porcaria nenhuma. A ganância do Serra em ser presidente abreviou sua carreira política.
      Pra terminar: O assunto necessita que se fale do governo, afinal ele é parte na questão.

      Excluir
    6. Totiy
      Aliás, bem malandra essa sua resposta, hein! Escorregadio feito quiabo o rapaz.

      Excluir
    7. Totiy, ele não ganhará. Na verdade a ida dele ao segundo turno está ameaçada pelo Haddad. A briga agora é pelo segundo lugar, o Russomanno será eleito.

      Excluir
    8. Já que falaram em ranking de carga tributária...
      http://lista10.org/dinheiro/os-10-melhores-e-piores-paises-no-retorno-a-sociedade-dos-impostos-pagos/

      Excluir
    9. Pô sr anônimo ,o governo baixa juros ,promove um periodo de isenção fiscal ,corta custeio de produção (enregia eletrica e redução de tributos em folha)e ainda quer que eu meta o pau no governo ,o PSDB andou por lá fazem 10 anos que saíram ,não fizerm metade disso ,pelo contrário foi o PSDB quem mais aumentou a carga tributária qdo esteve no governo isso é historico até o setor produtivo do País está de acordo com essas medidas de estimulo a economia ,não preisa ser petista ,basta ser um pouco mais patriota né?

      Excluir
    10. Só faltou mencionar em que situação a tucanada bundona pegou o país em 94 e tudo pelo que passou até 2002. Depois compare com os tempos do ignorácio e seu poste, mesmo assim a carga tributária subiu, a máquina inchou e as instituições e agências reguladoras viraram piada. Esses benefícios são dinheiro de pinga perto do que roubam em troca dos serviços porcos que nos oferecem. Patriota eu sou mas não tenho motivo algum pra me ufanar.

      Excluir
    11. "a Pobre inglaterra ainda tem a desvantagem de ter uma moeda como a libra"...

      hahaha, chorei!

      O Calmon não vê isso porque primeiro: é engenheiro, não economista; segundo: parece ser pago.

      Aliás, alguns colegas de relações públicas dizem que quase não há jornalista que não seja "pago"...

      Excluir
    12. Jornalista é uma profissão remunerada, qualquer um sabe e entende isso. A questão é QUEM remunera e o quê o sujeito vai escrever em troca. Aí o bicho pega. Cabe a cada um que lê saber filtrar e julgar "esse presta' ou "não presta".

      Excluir
    13. Anônimo das 16:36: Concordo. O PT gosta muuuuuito de impostos, tanto ou mais que o PSDB. Se não gostassem teriam feito a reforma tributária que o Lula prometeu e nunca fez. O que ele 'fez' foi prosseguir com a situação que existia antes de seu governo e a qual ele criticava sem dó enquanto não estava sentado lá e que depois achou o máximo e disse que era dele. Se está havendo incentivo agora no governo Dilma ele é muito tímido e está atrasado uns 10 anos. Tem também o protecionismo à indústria nacional cujo resultado em defasagem conhecemos bem. Desculpe, mas não dá para apoiar ainda esse governo, não.

      Excluir
  20. Lorenzo Frigerio11/09/12 14:28

    O problema, no Brasil, não são apenas o "lucro Brasil" e os impostos.
    O que "pega" é a RESERVA DE MERCADO para as "montadoras" de carroças. Ainda lembrando que só elas têm o direito de importar do México com alíquota zero. Eu, ou um importador independente, não podemos. E as importações de outros países têm alíquotas e burocracia punitivas. Então, a indústria CARROÇOMOBILÍSTICA vende o que quer ao preço que deseja, pois não tem concorrência nenhuma. Ela é um verdadeiro cartel.
    E finalmente, a ANFAVEA não divulga custos e margens de lucro; portanto, Cruvinel, de onde você tirou que o "lucro Brasil" é de só 10%? Este artigo não foi encomendado, foi?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo, não faço a menor idéia de quanto é o lucro, apenas coloquei a figura, extraída de uma reportagem do jornal O Globo, para ilustrar o post.

      Excluir
  21. Com certeza o luro das fábricas daqui são bem mais do que a figura inicial do post mostra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou isso, ou só o preço para produzir, distribuir e vender um carro aqui já é maior que o custo final de um carro nos EUA...

      Excluir
  22. Cuidado hein!
    A patrulha do Calmon pode aparecer aqui e apagar com vocês todos!

    ResponderExcluir
  23. Filipe_GTS11/09/12 17:42

    Eu tenho a solução!

    1) Compre um bom carro zero e pague caro por ele. 1.1) Na hora da compra, faça um bom test drive, avalie bem se vai gostar ou não, pesquise com outros donos, pesquise seguro, manutenção, desempenho, segurança, etc. 1.2) Avalie financiamentos, empréstimos, arrendamentos ou o que for, pesquise juros baixos (caso não compre à vista). 2) Não venda seu carro antes de 5 anos ou 100.000 quilômetros. 2.1) Faça manutenções prévias regularmente, na concessionária antes de acabar a garantia e fora dela depois. 3) A partir dos 100.000km ou 5 anos, repita o procedimento. Obs.: Não pense que seu usado valerá muito.
    Noutras palavras: não troque de carro com 10.000km por vaidade (a não ser que bata o carro e o conserto fique ruim, ou outros motivos relevantes); pense bem antes de comprar para não se arrepender e trocar precocemente; cuide bem do que tem, para que não estrague e dure o tempo previsto.
    E pronto!

    ResponderExcluir
  24. Acontece que o brasileiro ficou muitos anos convivendo com um mercado automotivo de baixa qualidade, leia-se anos 80 e 90. A noção de valor foi distorcida.
    Hoje começa-se a enxergar fatores que antes eram indiferentes, como qualidade e preço.

    ResponderExcluir
  25. Chego a achar o artigo tendencioso, o cobalt é derivado de um carro inferior... o Aveo/Sonic... é em suma derivado de um subcompacto, feito para mercados emergentes... O corolla pode não ser o ultimo, mas não foi derivado de um carro simples e feito para mercados emergentes... Se for pra pensar que basta ter rodas, volante, tamanho parecido, desempenho parecido, qualquer carro pode ser igual. Concordo que o Brasileiro tem culpa, mas nesse blog mesmo foi dito pela depenação... O carpete pelo de rato isso quando tem, as barras estabilizadoras e as forrações acusticas que somem... então o carro continua o mesmo preço porque caiu (e muito!!) de qualidade nos ultimos 10 anos.
    E a margem é bem simples, o imposto é colocado na ponta final, e ele vai encarecer mais o produto a medida que esse tiver uma margem ainda maior, já que o imposto não é cobrado pelo preço de custo, e sim o final total (incluindo até o transporte).
    Então, é bem facil pras fabricas subirem sua margem, e culparem os impostos, a carga trabalhista, o custo de mão de obra, de energia eletrica...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo das 17:58, apenas tentei traçar um paralelo entre custo e preço. Veja o preço de uma Yamaha 660, uma simples moto, com motor monocilíndrico, duas rodas, pneus mais estreitos, e que é vendida por quase 30 mil reais. Olhando dessa maneira, um Palio 1.6 16V a 37 mil reais bem equipado parece muito barato.

      Um amigo que trabalhou na indústria me disse que a diferença de custo de um tecido aveludado para um tecido simples é quase nada, poucos reais. Minha Zafira, comprada usada, custava por volta de 60 mil reais 0km e tem uma forração interna digna de Uno Mille. Resultado, uma amiga nossa, fã de Zafira, comprou uma Grand Livina, pois pelo mesmo dinheiro levou bancos de couro, rodas de liga, freios com ABS, etc...

      Eu continuo defendendo que, mais do que simplesmente abaixar o preço, temos que cobrar conteúdo. O Corolla vendido nos EUA, versão intermediária, já tem uma telona no meio do painel, com GPS integrado. Aqui, nenhum tem. A Fiat cobra 3 mil reais pelo RadioNav, no já caro Bravo Absolute. Parece até que estão mostrando espelhinhos para os índios...

      Excluir
    2. Entendi seu ponto de vista mas usou de exemplos pouco comparaveis (a moto e o carro) mas o da zafira foi mais razoavel... Mas não concordo com relação aos acessorios, eles são importantes sim para quem dá importancia a eles. Vi gente comprando agile porque vem cheio de firulas, e por baixo daquela roupagem é um carro velho cheio de bugigangas... Me desculpe, mas é exatamente o caso da Zafira, não sei de que ano é, mas é um carro velho de tecnologia velha e que mesmo que tiver bancos de couro e um robozinho pra dirigir pra você continuará a ser velho e nem deveria ser comprada depois de 3 anos do lançamento.
      .
      O que penso: Tem que ser cobrado tecnologia construtiva, segurança, desempenho e aproveitamento energetico (baixa emissão CO2)... o resto é resto, carro tem que ter a premissa de levar do ponto A ao ponto B da melhor maneira possivel, essa é a essencia dele... Não ter wifi, bluetooth, tela no console, ou bancos de couro...
      Mas não cobramos isso q é primordial, carros seguros, de qualidade, e o que enche os olhos do brasileiro é essas porcarias tecnologicas ou o design da moda ou a lei de gerson de 'levar mais' pelo mesmo preço.
      O um pouco a mais, eu concordo... Isso em qualquer area, as vezes por um pouco a mais a pessoa pode comprar um computador de qualidade, mas vai lá e compra um positivo, kennex, e etc... q em um ano pifa tudo.
      Com o carro é a mesma coisa, e na minha opnião o brasileiro tinha q se recusar ativamente a comprar qqr carro que não tivesse:
      - Qualidade construtiva (engenharia e tecnologia que fosse pelo menos da ultima decada) garantindo qualidade (rigidez da estrutura) segurança (NCAP) e ter uma suspensão, freios, e dispositivos (ABS airbag) voltados para o melhor em segurança e dirigibilidade;
      - aproveitamento energetico - motor 2.0 de 100cv... tão de brincadeira com a gente...
      A unica diferença clara q concordo é não termos o ultimo corolla, ou os ultimos modelos aqui de todas as marcas, mas eu não me importaria, e acho q a maioria dos brasileiros tb não, se tivessemos o ultimo em design e tecnologia, mas com preço acessivel... mesmo abrindo mão de uma tela no painel se viesse pelo mesmo preço q pagam lá fora otimo... mas por exemplo, se o corolla lá custa 46 mil reais (completo)... e aqui custasse na ultima versão o mesmo, e tivesse uma "pelada" de 35 mil... muito mais um corolla sem tela no painel por 35 mil do que siena pelado por 29 mil... É mais ou menos ai que convergimos, e só.
      Enfim, sou contra alguns carros e acho que não vou lembrar de todos (mas seguindo a linha de raciocinio pra quem conhece algum outro fica facil imaginar), mesmo gostando de alguns pela proposta sincera não valem o que custam e são eles:
      - Golf, Polo, Gol G4... (Plataformas velhas, motores idem...)
      - Mille, siena antigo, palio antigo (ainda vendidos em paralelo aos novos) e doblo. (Mesmo caso)
      - Ka, Fiesta Rocam, e até o focus q não esta em linha com o disponivel lá fora.
      - Celta, prisma, Corsa, S10, zafira, classic, agile, montana (Plataformas velhas, motores idem...) e outros GMs que vem com "motor de monza" ou não estão em linha com o mercado europeu ou americano.
      - os importados, na mesma linha, logan, sandero, 206, "207"...
      Ou seja, recusar carro pra emergente, desatualizado, ou carro de baixa qualidade (notadamente a maioria dos chineses entram aqui)

      Excluir
    3. Entendo seu ponto de vista, mas nunca teremos os mesmos veículos vendidos na europa ou EUA, por um simples motivo:
      Não temos o mesmo tamanho de mercado.
      Jamais vamos vender 13 milhões de carros por ano aqui. Não somos uma base de produção como o japão. O mais longe que um carro nacional vai é pra Africa do Sul.
      Mesmo com altos custos de produzir na europa, pelo tamanho do mercado deles ainda compensa mais produzir localmente. Aqui no Brasil, é complicado diluir o custo dessas novas tecnologias que todos queremos num mercado com escala muito menor.

      Excluir
    4. Isso é conversa pra brasileiro acreditar... Então tá, se não tem mercado... A espanha tem a Seat... Acha que vende Seat a rodo? Ele deveria ser bem caro, local ou não, afinal é um carro para o mercado espanhol, para o gosto espanhol. Um carro de nicho. O mesmo ocorre com a Škoda, porque eles tem carros baseados em carros mais novos?

      São mais baratos e de tecnologia infinitamente superior, em mercados muito menores que o nosso em vendas.

      Excluir
    5. Anônimo 12/09/12 18:00
      compartilhando as mesmas peças dos VW, e fabricados nas mesmas unidades, e vendidos não só na Espanha ou Rep. Tcheca, mas em toda europa.
      O mesmo que fazia a Gm com a Buick, Olds...
      contra fatos não há argumentos.

      Excluir
  26. Rafael Ribeiro11/09/12 18:13

    Concordo com quase tudo, mas desculpe discordar desse trecho: "Um Chevrolet Cobalt, que é um carro de bom espaço interno, desempenho aceitável e razoavelmente equipado, custa por volta de R$ 40 mil. Um Corolla, que não é muito maior nem muito mais equipado". O Cobalt em questão é o básico 1.4. Use como comparação a versão LTZ 1.8 recém lançada, mais parecida com a versão de entrada do Corolla, e a diferença passará a ser muito menor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, isso demonstra uma das distorções do nosso mercado, que é o preço abusivo (mais do que o carro em si) nos equipamentos. Praticamente qualquer modelo nacional quando equipado com todos os opcionais fica absurdamente caro. Quem não lembra dos Palios 1,0-litro de menos de 30 mil, que quando recebiam ar condicionado, direção assistida, bolsas infláveis, freios ABS, rodas de liga, etc... custavam bem mais de 40 mil reais ?

      O Cobalt já devia ter nascido 1,6 ou 1,8 no preço atual. Aí lançam 1,4 para poderem aumentar 2 mil reais na versão 1,8. Por outro lado achei bem atraente o automático de 6 marchas por 3 mil reais a mais, infinitamente melhor que o dualogic por 2300 reais. A Toyota cobra 3800 pela caixa de 4 marchas, caro.

      Excluir
  27. Acho os carros até baratos, pois está todo mundo comprando. Porque tanto importador e tanta fábrica com interesse aqui? Porque aqui dá-se a vida pra ter um carro.

    ResponderExcluir
  28. Se a VWB retomasse a produção de Fusca, teria comprador !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza ! Eu compraria um !

      Excluir
    2. Você compraria um Fusca hoje pelo preço atualizado em relação a 1986?

      Excluir
    3. Maximus, depende de como seria essa atualização: 7000 doletas de 94 dariam uns R$ 14000,00. Daria para pagar e sair dando risada (mas legal mesmo seria conseguir um Lada 2107 por ainda menos...). Mas US$ 7000,00 eram 126,51 salários mínimos, o que daria hoje R$ 78.690,00, aí, nem amor de mãe é forte o suficiente para justificar a compra...
      Quanto a 1986, não há como comparar: O plano cruzado deisou a ecomomia maluca, com preços congelados por alguns meses e inflação de quase 300% poucos dias antes ou depois. Até procurei as tabelas dos preços congelados, mas parece que ninguem quer lembrar do que foi aquele tempo...

      Excluir
  29. Caro editor,
    Nem de longe essa proporção está correta.
    Quando comprei meu fusion V6 em 2010 - paguei exatos R$96.000,00 devido as negociações na CCS - o preco cheio era de R$ 104.000,00.
    Para minha suspresa ao receber o veículo - dentro do manual do proprietário esqueceram os documentos de importação com nota fiscal original e documentos aduaneiros - sabe quanto era o valor final do carro para a Ford Brasil?? Pasmem-
    R$ 67.000,00
    Lucro absurdo - onde??????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Digamos q seu carro foi comprado em sp, são 12% icms...
      (11520 reais)
      custo agora, R$84480
      6,5% de IPI (R$5491)= R$78988 (isso SE ele já não estivesse na nota de imp)
      .
      Total de lucro (montadora+CSS)= R$17012
      Porcentagens:
      Custo real (produção+importação) = 67000 = 69%
      Governo = 17011 = 17%
      Montadora + CSS = 17%
      .
      Vemos 2 casos...
      1 Não procede o valor do imposto alto!
      2 A montadora ja ganhou lá no mexico, o preço de nota já tem o lucro dela lá... nem é o de custo real, só da pra mostrar o ganho da operação de importação... que sim, é grande pra um produto tão caro onde só há a operação de venda... é igual um imovel... 5% não é um valor bom para um corretor? Ele só tem que vender, e o produto é caro. agora imagine um corretor com margem de 17% num imovel...

      Excluir
    2. Anônimo 12/09/12 09:46

      Quem ficou com o lucro de produzir o carro foi a Ford do México, não a do Brasil.
      A daqui vai lucrar apenas com a venda.
      Desses 17% de lucro, o cara ainda tem que pagar os outros impostos federais, (6%) os alvarás municipais para manter a operação, os encargos sociais dos empregados, o custo logístico, contábil, remunerar o capital investido e ainda bancar as despesas de vender esse carro (publicidade, força de venda, etc) e remunerar o investimento em estoque de peças que precisam ser importadas para manter esse carro rodando após a venda.
      Abra uma empresa, sinta na pele o custo brasil e depois a gente conversa se 17% de lucro simplista da sua conta é alto ou não.

      Excluir
    3. "Quem ficou com o lucro de produzir o carro foi a Ford do México, não a do Brasil."
      Então, imagine quanto é isso de custo?? Imagina por quanto esse carro sai limpo, e sendo produzido aqui quanto custaria (sem o lucro do mexico e o dinheiro q tanto ford mexico qto ford brasil tem q mandar pra matriz)

      A nota que ele descreve já tem esses encargos de importação, inclusive até o transporte até a aduaneira... São 67 mil que veio limpo para ford. (mas coloquei até o ipi por desencargo), claro que há o gasto da cegonha - aduaneira até a CSS e os tramites aduaneiros, mas 11 mil cobre isso sossegado.

      São 11 mil reais numa unica venda... se disso sobrar 6 mil, ainda é otimo... lembrando que ela abdicou de 8 mil!!

      E não é simplista... imobiliarias vivem com 5%... Assim como é mostrado no grafico dessa materia que o ganho medio das montadoras lá fora é exatamente esse, e nos EUA é de 3%... Imagine se vc vendesse ferraris e usasse o "lucro padrão do comercio" de 30%??
      Uma ferrari custando 1 milhão de custo, seria vendida por 1 milhão e 300 mil reais e seu lucro bruto seria de 300 mil reais em uma unica venda???
      Não é simplismo... É ter o foco no custo real. E mesmo que for de meros 10% ainda é absurdamente irreal para um produto desse preço de venda.

      Excluir
    4. Considero, sim exorbitante um corretor de imóvel ganhar 5% de comissão ao vender um imóvel, receber seus cheques no ato da entrada e depois não pagar o imposto de renda, como deveria fazer.
      Isso é extorsão e sonegação fiscal!
      Sem contar que qualquer imóvel furreca custa muito mais que um carro.
      Gerson!

      Excluir
    5. Se cobrassem 17% de comissão num imóvel ia ser inviável a venda na maioria dos casos com o preço que eles tem. Já num carro, que custa várias vezes menos que uma casa mesmo sendo um modelo mais caro a margem de lucro pode ser maior

      Excluir
  30. ou seja,
    tem que cortar pela metade o vermelho e verde para entrarmos na média (e a média só é tão alta pelos mercados absurdos como o Brasil),
    estamos ferrados mesmo...

    governo e multinacionais tiram muito do negócio, difícil imaginar algum movimento para tornar os preços mais honestos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso se for levar em consideração os dados dos gráficos como reais,
      o que eu duvido ser o caso, segredos guardados a sete chaves, muitos interesses...

      Excluir
  31. Olhem, é a 1ª vez que escrevo aqui, mas meu nome é Antonio Teixeira, nasci e cresci em Brasília, vim morar em Portugal na cidade de Porto aos meus 16 anos que atualmente estou em 34, mas sempre que posso dou um pulo ai em minha terrinha linda, porem o que me fez acentar me em meu teclado é justamente em uma especie de critica e desabafo para como os meu país e meus patriotas, que justamente esta na forma em que as cosia estão indo de mal a pior por ai, e como voces brasileiros não estão fazendo praticamente nada para melhorar estes problemas todos que estão somente piorando ao longo dos anos. Vejo que o povo não se preocupa mais com a educação, saúde, emprego, desenvolvimento coletivo social/econômico e outros fatores determinantes para o básico de um país. Vejo que infelizmente os Brasileiros, mesmo os mais antigos, perderam a educação e o bom senso, cada vez mais vejo que ninguém reclama de seus direitos e deixaram de cumprir seus deveres com a sociedade, em que isso, se já tornou comum e normal, pois voces simplesmente não querem mais evoluir coletivamente, mas só querem evoluir individualmente - o que é um grave erro que, só agrava toda a ordem comum e cria um efeito em cascata as demais diretrizes da sociedade. Amo meu país, amo carro e qualquer coisa que tenha motor com rodas, mas vejo que como um autoentusiasta, aquela frase que se dá nas propagandas televisionadas "Brasileiro é apaixonado por carros" não se perdeu não, o que se perdeu foi o foco do povo brasileiro em tudo. Hoje aqui na europa não estas fácil não realmente, o dinheiro esta dificil e o emprego esta muito selecionado, mas o povo aqui, na maioria dos países da europa, sempre mandaram no seu país, sempre foi assim, a diferença é somente essa, em que o povo brasileiro precisa mandar no seu próprio país, o resto vem numa boa.

    Um olá aos meus compatriotas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resposta simples pra ti,
      http://www.youtube.com/watch?v=nLPv8R2L6ZE
      Não tem nada mal aqui, esta tudo lindo e maravilhoso... Nosso emprego esta mantido, estamos crescendo (pib positivo) somos a 6° economia mundial.
      Temos defeitos, temos sim... Mas não temos que nos preocupar com 2 meses de neve, calefação, furacão, terremoto, temos um clima perfeito, temos um ar limpo, e temos tanto, mas tanto terreno em area que temos uma unica cidade com o tamanho de portugal no estado do Pará (foi falado no sabado no programa terra da gente)...
      O problema do brasil é só um, é aquele grandalhão que não sabe o pontencial que tem e toda hora vem a TV (globo) colocar medo e defeito aqui... E coloca o conformismo como unica solução... calma, uma hora o povo acorda, acho que já esta acordando, e esse grandalhão vai mostrar, como a china mostra hoje que nosso país PODE SIM ser forte.

      Excluir
    2. O problema não é que o povo aqui não manda, e sim justamente porque manda, elegendo só os governantes que mais fazem propaganda, que mais gastam com marketing.
      Quero que o Brasil acorde, mas não como a China, afff...

      Excluir
    3. Acho que o anonimo portugues mandou muito bem, depois chegou um zé ufanista que ainda acredita que está tudo bem porque não temos neve e que a economia está crescendo. Pior ainda é falar que nosso clima é perfeito e com o ar puro, no norte só chove, no nordeste e centro é muita seca e no sul e sudeste o clima é horrivel o ano todo. Só falta acordarmos como a China acordou ainda por cima, aí está tudo bem porque todo mundo vai ter emprego (escravo)

      Tipico zé propaganda do governo, ainda não acordou nem sequer pra saber que a TV que ele critica ganha e pensa exatamente igual a ele. Tá um monte de problema mas tudo bem, a gente tá vendendo tanto. Troxa

      Excluir
  32. Os Brasileiros querem que só politicos mandem,por isso que temos corruptos como lula e seu mensalão,o povo só quer samba,futebol e feriado prolongado....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... e carro barato pra ficar na garagem

      Excluir
  33. Logan, elogiado aqui eh projeto para o terceiro mundo.
    Me sinto ofendido.
    Acosta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ofendido?
      E o Brasil é o quê senão terceiro mundo?

      Excluir
  34. Aléssio Marinho12/09/12 09:11

    Poxa, o pessoal pegou pesado dessa vez.

    Tenho um irmão que mora na Europa. Está voltando pro Brasil aos poucos. Está assustado com preço de tudo no país. 1 kg de feijão aqui está custando mais caro que lá. E olha que feijão na europa é coisa estravagante, ao contrário daqui.
    Tudo no Brasil ficou caro de uns anos pra cá, pois nosso poder de compra subiu muito, graças aos aumentos reais do salário mínimo, o consumo, os desejos reprimidos por muitos anos puderam ser realizados de uma hora pra outra.
    O povo está todo encantado com a possibilidade de poder ter um carrinho, uma moto, uma tv lcd, um celular bacana, ou simplesmente, poder comer num restaurante legal de vez quando, ou levar a galerinha no parque infantil, coisa que muita gente não teve condições de fazer na infância.
    Num ambiente ávido pelo consumo como vivemos atualmente, o pessoal aproveita mesmo e cobra quanto quer. O cara, paga, satisfeito, pois pra quem nunca comeu melado quando come se lambuza.
    Espero que essa onda passe logo, tenho medo de onde vamos parar.

    ResponderExcluir
  35. 32% roubados da gente. Como pode? Num carro de R$50.000,00, lá se vão R$16.000,00 limpinhos para as mãos dos vagabundos.

    ResponderExcluir
  36. Agora você entendeu. Demorou, mas entendeu: se o cara quer um carro completo ao pé da letra, PEDE todos os opcionais, pois ele já sabe de antemão que aquilo que o mercado costuma chamar de carro "completo", não vem com tudo, de fato. Êita dificuldade!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não comentou no lugar certo, mas tudo bem. Nem sempre a denominação dada pelo mercado para isto e muitas outras coisas é a correta. Mas não podemos nos render às imposições das empresas, precisamos ter personalidade e impor nossa posição. Uma questão de ética.

      Excluir
    2. Eu disse que era a denominação correta? Eu disse que era denominação usada no mercado, e que está associada a um veículo com determinado pacote de equipamentos, não a um veículo totalmente equipado.

      Excluir
    3. Dá-lhe Mr.Car!
      Ensina essa molecada como se argumenta e se defende idéias de forma culta e bem educada.
      Esses frangotes tem que comer muito arroz e feijao para poder argumentar como adultos!
      Temos que ter paciencia .. de certa forma temos que ter esse papel de educador mesmo...

      Excluir
    4. O veículo completo é a versão de determinado modelo com todos os opcionais. Caso contrário não há porque chamá-lo de completo.

      Excluir
    5. Pois chamam. Mas querendo, você pode ir a cada concessionário deste país explicar isto.

      Excluir
    6. Não preciso ir a cada concessionário explicar, pois o meu contato trabalha na fábrica. Quando vou adquirir um veículo, fico com um exemplar do modelo pretendido por alguns dias e se decido comprar, encomendo.

      Excluir
  37. Reclamar que taxistas tem um privilégio não vai fazer com que este privilégio seja estendido a todos - vai fazer com que este privilégio seja tirado dos taxistas. E não pensem que este dinheiro que voltará ao governo (impostos)será repassado aos demais compradores - o governo, com certeza, vão embolsar feliz da vida. A categoria ganhou este privilégio tendo força política, tendo representantes no governo. Bom para eles, organizados, e ruim para nós, que só sabemos reclamar. Deixem os coitados em paz! (não, não sou taxista, não tenho parente taxista, não ando de táxi!).

    ResponderExcluir
  38. Dr. Renato Aragão12/09/12 16:11

    Mas que besteira!

    Os carros(ças) para os brasileiros não podem baixar de preço!!!!

    Eu quero andar pelas ruas com minha limosine Kia Opirum tranquilamente e sem perdas de tempo por causa dos engarrafamentos.

    Os pobres que viajem de onibus ou trem!

    E tenho dito.

    Dr. Renato Aragão
    (se me chamarem de Didi eu demito!)

    ResponderExcluir
  39. Thor Batista12/09/12 16:14

    Que andem de bicicleta!!!

    Eu passo por cima!

    Thor Batista

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.