LEXUS IS 300, NO USO

Fotos: autor


Depois de dirigir no lançamento, nada como andar com um carro no dia a dia, daí esses posts "no uso" que vimos apresentando aqui no AE há algum tempo. Se àquela altura o Lexus IS 300 deixou boa impressão, agora, depois de 10 dias com um, ela só se reforça.

O japonês enfrenta o "exército alemão" de Audi, BMW e Mercedes-Benz muito bem. É claro que não tem o carisma de marcas seculares ou quase (BMW, 1916), mas cumpre com louvor aquilo que pretendeu há apenas 24 anos, quando a marca foi criada pela Toyota disputar mercado com essas três. Por isso, a compra deste e de outros Lexus, em especial no Brasil, terá que ser produto exclusivamente da razão, sem qualquer traço de emoção e por quem não está atrás de status e/ou que não está afim de ostentar, até mesmo por razões de segurança pessoal nesse clima de quase guerra civil que estamos vivendo.

Elegante, discreto e com dois escapamentos de verdade

O que agrada no IS (intelligent sedan, bem coisa de japonês...) 300 é a percepção de tudo ter sido bem projetado e, a parte mais difícil, executado, em cada detalhe. Nada foi deixado escapar. É uma satisfação estar dentro dele, a começar pelos bancos, de formato e densidade da espuma perfeitos, nem macios nem duros demais. A memorização (três memórias) abrangendo bancos, volante (Ø 365 mm) e espelhos asféricos dá as boas-vindas ao motorista, precedidas da leitura do nome da marca na soleira da porta com as letras iluminadas. Frivolidade? Pode até ser, mas agrada.

Console e alavanca seletora que fazem bem à vista

O mais curioso é ter exatamente a mesma distância entre eixos do Omega nacional (2.730 mm) e apenas 112 mm mais no comprimento e se ter a impressão de não ser tão grande, mesmo sendo as alturas praticamente iguais (1.415 mm no IS e 1.418 mm no Omega). Certamente o porta-malas mais saliente e de capacidade bem maior do Chevrolet (540 contra 378 litros) ajuda nessa questão de "volume visual".

O fato é que o IS 300 é muito bom de andar em meio ao tráfego denso e em ruas e curvas apertadas de bairro, com uma agilidade que cativa. Parecido também com o Omega em diâmetro mínimo de curva, 10,2 metros contra 10,1 metros do Chevrolet, excelentes números considerando o porte dos dois e com certeza resultado das rodas dianteiras livres de acionamento para movimentá-las, já que ambos são de tração traseira. Uma das minhas referências em manobrabilidade é o colocar e tirar o carro da minha vaga no prédio onde moro, com um carro à esquerde e uma coluna à direita: apesar do tamanho, o IS 300 entrava e saía de uma vez só, o que não é possível com outros carros do porte.

V-6 DOHC, 24V, 2.995 cm³, 231 cv
Outro destaque é o silêncio a bordo, pouco do ruído externo penetra na cabine, fazendo o conversar fácil e agradável ou permitindo apreciar o som de alta qualidade. O motor, como dito no post anterior, é absolutamente suave e empurra o sedã de 1.656 kg como se este pesasse 1.200 kg. Ganha velocidade com uma rapidez admirável (0-100 km/h em 7,7 segundos) e nas faixas superiores de velocidade seu Cx 0,28 com área frontal de 2,29 m² o fazem ganhar velocidade com facilidade.

A direção com assistência elétrica torna as manobras fáceis (conjugado com o pequeno diâmetro de curva) e o dirigir na cidade, prazeroso, enquanto na estrada o peso de volante está no ponto certo, além de a direção não se perturbar com pequenos impactos e irregularidades do piso. A estabilidade direcional é perfeita mesmo sem recorrer a grande ângulo de cáster, como nos Mercedes, como se vê quando as rodas estão totalmente esterçadas.

Pouco caimento das rodas totalmente esterçadas, denotando cáster sem exagero
A desenvoltura do IS 300 é conseguida mesmo com câmbio automático epiclíciclo de seis marchas – como venho dizendo, mais marchas que isso é puro exagero – que no caso é "da casa", marca Aisin, um empresa do grupo Toytota. As trocas automáticas são rápidas e perfeitas, sem nenhum tranco e, para quem aprecia, há borboletas no volante. Mas eu gostaria mesmo é de experimentar um IS 300 manual...

O mostrador indica que o controle de tração e estabilidade está desligado

A qualidade de rodagem é cativante em todos os sentidos. Como faz curva mesmo com o controle de tração e estabilidade ligado; desligando-o pouca diferença faz em piso seco, certamente aparece mais no molhado (as chuvas só chegaram depois que foi devolvido...). É um carro que tem os pneus traseiros de diâmetro maior que os dianteiros, pois têm o mesmo perfil 45 e os de trás são de 245 mm de seção e os da frente, 225 mm. As rodas são de 17 polegadas (nada de exageros, ótimo) e os pneus Bridgestone Potenza RE050 são de classificação de velocidade W (270 km/h), com folga para os 235 km/h de máxima do IS 300.

Uma avaliação de consumo mostrou, no computador de bordo, 9,8 litros por 100 km (10,2 km/l) na cidade e 7,4 L/100 km (13,5 km/L) na estrada, mais do que razoável para o porte e o peso do carro. O tanque também é bem conveniente, 65 litros. Por falar em computador de bordo, há uma função que todo carro deveria ter, a indicação da marcha quando em automático. Veja abaixo, é indicado "gear position" numa escala horizontal e se vê claramente os "homenzinhos verdes" do câmbio cuidando das trocas.

Indicador da marcha usada, um útil mimo. Note a clareza de leitura dos instrumentos, só faltava o conta-giros estar à esquerda, embora na versão de volante à direita fique certo; o ponteiro do velocímetro fica vertical a 130 km/h. Marcha-lenta baixa, sossegada, 700 rpm.

A única falta realmente sentida é a do GPS, que faz alguns anos deixou de ser luxo para ser essencial. Seria ótimo que tivesse, embora fizesse aumentar o preço que, como veremos logo adiante, já é alto demais. De quebra, a fábrica poderia adotar o vidro do pára-brisa com faixa degradê, faz falta na nossa latitude.

O problema da compra racional do Lexus IS 300 é o preço: 218 mil reais é muito. O iene supervalorizado está mesmo dizimando os produtos industriais japoneses. Pode-se comprar um BMW 328i básico, já o de sexta geração, 2 litros turbo de 245 cv, por R$ 171.400 (o menor IPI para motores até 2 litros ajuda).. Há versões mais baratas e mais caras na Série 3, de R$ 129.950 (184 cv) a R$ 294.950 (6 cilindros, turbo, 306 cv). O IS 300 não poderia custar mais que esses concorrentes seus, que encara de igual para igual. 

Se custasse um pouco menos faria estrago no exército alemão.


BS


FICHA TÉCNICA LEXUS IS 300

MOTOR
Tipo
V-6 a 60°, duplo comando por corrente, 4 válvulas por cilindro, variador de fase na admissão e no escapamento, dianteiro, longitudinal, gasolina
Diâmetro x curso
87,5 x 83 mm
Cilindrada
2.995 cm³
Material do bloco e dos cabeçotes
Alumínio
Taxa de compressão
10,5:1
Potência máxima (ISO 1585)
231 cv a 6.200 rpm
Torque máximo (ISO 1585)
30,6 m·kgf a 4.400 rpm
Formação de mistura
Injeção no duto
TRANSMISSÃO
Tipo
Câmbio automático de 6 marchas à frente e uma à ré, tração traseira
Relações das marchas
1ª 3,520:1; 2ª 2,042:1; 3ª 1,400:1; 4ª 1,00:1 (direta); 5ª 0,716:1; 6ª 0,586:1 ré 3,224:1
Relação do diferencial
3,727:1
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, braços triangulares superpostos, mola helicoidal, amortecedor pressurizado  e barra estabilizadora
Traseira
Independente, multibraço, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Caixa de direção
Pinhão e cremalheira com assistência elétrica variável com a velocidade
Relação de direção
n.d.
N° de voltas entre batentes
2,9
Diâmetro mínimo de curva
10,2 m
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado de 332 mm Ø, pinça fixa com 4 pistões
Traseiros
A disco de 310 mm Ø, pinça fixa com 2 pistões
Controle
ABS c/ distribuição eletrônica das forças de frenagem e auxílio à frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 17 pol.
Pneus
225/45R17W (D) e 245/45R17W (T)
CONSTRUÇÃO
Arquitetura
Monobloco em aço, subchassi dianteiro, sedã de quatro portas, cinco lugares
Aerodinâmica
Cx 0,28
Área frontal (estimada)
2,29 m²
DIMENSÕES
Comprimento
4.850 mm
Largura
1.803 mm
Altura
1.415 mm
Entreeixos
2.730 mm
Bitola dianteira/traseira
1.535/1.535 mm
CAPACIDADES E PESOS
Porta-malas
378 litros
Tanque de combustível
65 litros
Peso em ordem de marcha
1.656 kg
DESEMPENHO
Velocidade máxima
235 km/h
Aceleração 0-100 km/h
7,7 s
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
Intervalos de revisão
10.000 km
Garantia contratual
4 anos



LEXUS IS 300, PRINCIPAIS EQUIPAMENTOS

ACABAMENTO/EXTERIOR
Acabamento interno em couro e madeira
Lanternas traseira em LEDs
Luzes de uso diurno em "L", a LEDs
Ponteira de escapamento duplas e cromadas
CONFORTO E COMODIDADE
Acionamento elétrico de travas e vidros das quatro portas
Afastamento e elevação automáticos do volante de direção ao desligar motor
Ajuste elétrico do volante de direção em altura e distância
Ajuste elétrico dos bancos do motorista e do acompanhante, com memória para o do motorista
Ajuste elétrico dos espelhos externos, que incluem repetidoras dos indicadores de direção
Alto-falantes (9) e tweeters (4)
Ar-condicionado integrado, digital, frio e quente, 2 zonas
Banco traseiro com descansa-braço central e porta-copos
Bancos do motorista e acompanhante com ventilação e aquecimento
Bancos revestidos de couro
Bluetooth
Borboletas de troca de marcha no volante
Botão de partida do motor
Computador de bordo (consumo instantâneo, consumo médio, autonomia,marcha em uso e temperatura externa
Console com porta-copos e porta-objetos nas portas dianteiras
Controle de cruzeiro
Descansa-braço dianteiro com porta-copos
Desembaçador do vidro traseiro
Destravamento automático de portas e porta-malas por aproximação de chave
Disqueteira para seis CDs
Entrada auxiliar e USB
Hodômetro totalizador e parcial
Luz de cortesia nos espelhos externos
Luzes de leitura dianteira e traseira
Memória para os retrovisores externos
Pára-sóis com espelho e iluminação
Porta-objetos na lateral do painel e nas portas traseiras
Porta-objetos no painel central
Porta-revistas nos encostos dos bancos dianteiros
Rádio AM/FM, MP3 e WMA
Relógio digital
Retrovisor interno eletrocrômico
Retrovisores externos com função abaixar orientação ao engatar ré
Seleção Power/Snow de modo de condução
Sensor de estacionamento dianteiro e traseiro
Temporizador do limpador de pára-brisa
Teto solar de acionamento elétrico
Volante e manopla de câmbio revestidos de couro
Volante multifuncional com controle de áudio, computador de bordo, telefone e controlador de velocidade de cruzeiro
SEGURANÇA
Bolsas infláveis frontais, laterais, de cortina e de joelho para passageiros dianteiros
Chave com comandos integrados (portas, porta-malas e alarme)
Cintos de segurança traseiros de três pontos
Cintos dianteiros com pré-tensionador e limitador de força
Contole de tração e estabilidade
Faróis de neblina
Faróis de xenônio com lavador e regulagem automática de altura
Faróis direcionais
Imobilizador de motor

 

101 comentários :

  1. "Por isso, a compra deste e de outros Lexus, em especial no Brasil, terá que ser produto exclusivamente da razão, sem qualquer traço de emoção e por quem não está atrás de status e/ou que não está afim de ostentar..."

    Já me cativou, mas vai ser triste ver esta jóia automobilística sendo usada por este tipo de gente, que usa BMWs, Audis, Mercedes, Volvos, Land Rovers e Porsches pra isso.

    Pelo menos os Lexus serão mais raros de ver nas mãos de crianças desmioladas, como presente dos papais.

    Espero também que a Toyota não desanime nesta empreitada devido ao volume de vendas, caso este fique abaixo do esperado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Evandro: menos. Abs.

      Excluir
    2. Identificado29/09/12 19:49

      Concordo, Anônimo. Menos, muito menos caro Evandro.

      Excluir
  2. Pode ser um excelente carro, mas sem personalidade nenhuma, como são todos os japoneses, com raras e ótimas exceções.

    Toyota é a marca de carros mais sem sal do mercado. Não estou falando que é ruim, longe disso, mas não tem o carisma de outras marcas alemãs, coisa que até a Hyundai está conseguindo fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Japonês com personalidade é o Subaru, só para esclarecer.

      Excluir
    2. Pelo menos a Lexus tem um supercarro LF-A, coisa que a BMW atualmente não tem.

      Excluir
    3. Perneta
      Bem lembrado.

      Excluir
    4. Perneta,
      E ela ainda teve a ousadia de vendê-los bem mais caros que qualquer outro de nível similar. rsrs

      Excluir
    5. Ha varias excecoes quanto a personalidade de carros japoneses.
      Subaru WRX /Lancer Evo , Mazda Miata, Honda TypeR etc,etc.
      O que acontece é que só uma pequena parcela dos niponicos entram em nosso mercado

      Excluir
    6. FALTA TAMBEM OS NISSAN GTR E 370Z.
      MAS LEXUS BEM MAIS CARO DO QUE O TRIO ALEMÃO??? EU PASSO. QUANDO ENTROU NO MERCADO AMERICANO USOU O MARKETING MAIS POR MENOS, AGORA AQUI NO BRASIL MENOS POR MAIS.
      ELE ATÉ É BONITO, PORÉM ACHO O AZERA ATÉ MAIS INTERESSANTE DO QUE ELE.
      NM

      Excluir
  3. Prefiro um Etios.
    É mais honesto do que esse "3-series wannabe".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Analfa,
      Para voce o mais honesto mesmo, é um par de sandálias Havaianas.

      Excluir
    2. As legítimas?

      Excluir
    3. Não, pode ser um par daquelas que nem o Bolota quer morder...

      Excluir
    4. kkkkkkkk!!!!

      Excluir
  4. Deveriam ter trazido pelo menos uma meia dúzia de unidades do modelo IS 350 F, garanto que chamaria muita atenção para esta marca e faria muito bem para a imagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, se é pra trazer só pra mostrar que tem, que traga o "top"...

      Excluir
  5. V6 24v na legenda da foto. Está escrito 16v lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos
      Claro, 24V, já corrigi. Na ficha técnica está certo, 4 válvulas por cilindro.

      Excluir
  6. Esse carro aqui no brasil sera simbolo de status, pois as baixas vendas devido ao preço colocarão ele no patamar de exclusivo.

    Mais é um bom carro, apesar de que uma 328 por 40 mil a menos me agrada mais, alem de ser uma bimmer que no minimo tem a simpatia qualquer autoentusiasta tambem é um exelente carro

    ResponderExcluir
  7. Lexus = Toyota², a qualidade e a durabilidade desse carro deve como a Mercedes era na década de 70~80.

    ResponderExcluir
  8. "O iene supervalorizado está mesmo dizimando os produtos industriais japoneses."

    Com certeza. E por outro lado, o won desvalorizadíssimo está dando uma ajuda e tanto para a indústria coreana. Mas, ano que vem os japoneses terão outro partido no comando (espera-se), e vai ter fim essa política monetária suicida atual.

    ResponderExcluir
  9. Por maior que seja a excelência mecânica e construtiva que o Lexus atinja, chegando mesmo a rivalizar com os concorrentes, creio que a grande maioria dos compradores desse segmento, ao menos em termos de Brasil, também faça questão daquele "equipamento" que vem de série nos Audi, BMW, e Mercedes: status.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr.Car,
      Nao seja tolo.
      Status é bastante relativo e o publico que compra esse tipo de carro, muitas vezes prefere exclusividade de produto, que ostentar marcas conhecidas.
      O que acha?

      Excluir
    2. Eu acho o que eu já disse: a grande maioria no Brasil faz questão do "equipamento" status, embora realmente alguns possam colocar a exclusividade em primeiro lugar.

      Excluir
    3. E há quem prefira os veículos com a melhor manutenção e maior aceitação no mercado de usados, ou seja, as pessoas com bom senso.

      Excluir
    4. Diogo R Santos28/09/12 15:25

      infelizmente a questão do status é importante, principalmente entre pessoas que vivem de "aparências" e que não são poucas.

      Mas existe o lado bom da coisa: como é discreto e não muito "popular", é bom pra quem quer algo bom, discreto e fora do "mainstream", fica carro pra "entendido" e não "metido"

      Excluir
    5. Mr.Car
      Concordo com voce.
      Infelizmente, muita gente, faz tudo por Status e quer se aparecer.

      Excluir
  10. Talvez a direção elétrica seja a descoberta da América na arte de reduzir o diâmetro de giro em caixas de pinhão e cremalheira, vide os 70 cm a menos que a Ford conseguiu na reestilização do Fusion (que de 12,4 passou para 11,7 m, tendo o mesmo entre-eixos do IS e do Omega A, esses dois com diâmetro digno de carro pequeno, menor que o de um Audi A1, por exemplo). Ainda assim não deixa de de surpreender o fato de a popularização das caixas de pinhão e cremalheira ter tido com contrapartida desagradável o tal aumento de diâmetro de giro (que ao menos no caso do IS está sendo adequadamente contido.
    Porém, inadequadas estão as dimensões externas de um carro com pretensão de concorrer com o Série 3 F30. 4,85 m são 23 cm a mais que o sedã da BMW, sendo que o resto das dimensões está igual ou menor que o do alemão (vide o entre-eixos 8 cm menor do Lexus). E esse comprimento a mais não se traduziu em mais espaço interno que o F30, como prova o porta-malas de 378 l (contra 480 do alemão). Ao menos o Lexus tem a tal vantagem do diâmetro de giro 1,3 m menor. Aliás, de onde é que a BMW conseguiu fazer o Série 3 virar em enormes 11,5 m? Um E36 virava em 10,4 m, um E46 em 10,5 m e um E90 ficava em 11 m, sendo que todos estes casos são de veículos com direção hidráulica (e portanto tubulações e outras peças que limitariam o ângulo possível de esterçamento), enquanto o F30 tem direção elétrica, que poderia perfeitamente ser usada para dar um diâmetro de giro mais próximo ao do Lexus.

    Aliás, uma comparação entre o IS e o F30 acaba mostrando sintomas interessantes em ambos, sendo o primeiro não tão espaçoso quanto deveria ser para seus 4,85 m (quase o comprimento de um Série 5 F10 e sintomático da onda de carros excessivamente grandes para sua categoria, algo que aflige igualmente a modelos que não são de luxo, como Passat, Insignia e Mondeo/Fusion), enquanto o F30 não aproveita na plenitude as benesses que uma direção elétrica proporciona para fazer seus 4,62 m parecerem ainda menores com um diâmetro de giro digno de carro pequeno como tem o IS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 23cm a mais estão facilmente na frente mais "pontuda" do IS.

      Excluir
    2. http://2.bp.blogspot.com/-watJ1CdQ9Hc/UGTTRLMBzFI/AAAAAAAAFto/5yNM5tT5_88/s1600/DSC04956.JPG

      Nesta foto realmente dá para ter a impressão de que a frente dele é mais comprida que a do F30. Note-se que há um ralado provavelmente causado por uma "narigada" em uma valeta, coisa comum de ocorrer com carros de balanço dianteiro pronunciado (mas que não deveria ocorrer em carros de tração traseira justamente por tal condição permitir balanço dianteiro bem curto).

      Excluir
    3. vou mostrar os 23cm pra vcs...

      Excluir
  11. tá parecendo mais um coreano que lembra um lexus

    ResponderExcluir
  12. Ontem, vendo a NFL, vi uma propaganda da Lexus, daquelas que ocupa 1/10 da imagem, e o Galvão deles se cala e entra um narrador ... ou seja, não é considerada uma marca de alto luxo por aquelas terras, como aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nos EUA, os BMW usados desvalorizam mais que os Lexus, o que mostra bem qual é o ponto forte deste.

      Excluir
  13. Ainda que um dia eu seja pobre, nunca comprarei este Hyundai versão para taxistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah vá!
      Nao pisa na gente assim que dói!

      Excluir
  14. Bob, interessante mesmo o diâmetro das rodas. Acho que roda grande demais é uma firula que só traz perdas. A vitória da forma sobre a função.

    Sobre a marca Lexus, quem optar por ela provavelmente vai se beneficiar da confiabilidade dos Toyotas, já que os alemães de luxo não são exatamente famosos pelas confiabilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, uma roda maior do que a ideal traz perdas, mas que "veste" o carro, veste!
      E viva a harmonia das formas!
      Uma bunda redonda não é mais agradável do que uma achatada?

      Abs.
      Anônimo (óbvio)

      Excluir
    2. Anônimo II (mais que óbvio)28/09/12 18:41

      Meus Deus! O cara tá comparando roda com bunda...

      A diferença é que a bunda da sua namorada não fica amassada no primeiro buraco que cai, ao contrário da roda 20 do seu Opalão de Mano...

      Excluir
    3. Anônimo II: faz mais de 10 anos que uso rodas 17 nos carros que tive nesse período e nunca tive problemas com rodas e pneus, exceto com a suspenção, que admito que sofre mais.
      Quanto a comparar bunda e rodas, também admito: adoro ambas!
      A bunda da minha mulher tem 36 anos parecendo 20!
      Abs
      Anônimo II

      Excluir
    4. Anônimo III29/09/12 12:08

      Claro que você nunca teve problemas com os rodaum aro 17. Problemas tiveram seus carros...

      Mas esquece esse negócio de rodas! Agora fiquei curioso para ver essa bunda!

      Excluir
    5. O Anônimo II tá fazendo "merchan" da bunda da patroa dele ou é impressão minha?

      Excluir
  15. Bob
    Sem querer ser chato , só um pequeno acerto no OTIMO.
    "As rodas são de 17 polegadas (nada de exageros, órimo)"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 28/09/12 14:26
      Esqueça, não tem nada de chato, pelo contrário, até agradeço; corrigido.

      Excluir
  16. Não é o meu "carro".

    Eu acredito que o caminho da elite para futuro, serão os carros menores e não menos luxuosos como o Aston Martin Cygnet, Audi A1 e os novos lançamentos da Mini, que estão a mudar muitos conceitos.

    E mesmo longe de eu ser elite, não me apraz esse tipo de veículo.



    ResponderExcluir
  17. São quase 60 mil reais a mais que o Camry quem também vêm com apreciável qualidade de construção e 277 cavalos sobre o capô....

    Realmente é muito caro, apesar de parecer ser um grande carro!

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 227 cavalos sobre o capô? Vai danar tudo esse capô! rsrsrs

      Excluir
    2. Ha um Kia sedan que alardeia ter 292 cvs? Nao sei o modelo..

      Excluir
    3. O Kia Cadenza, no Brasil, tem 290 CV.

      ABRAÇO
      Sergio S.

      Excluir
  18. Caro Bob Sharp,

    Quando você escreveu: "As trocas automáticas são rápidas e perfeitas, sem nenhum tranco e, para quem aprecia, há borboletas no volante. Mas eu gostaria mesmo é de experimentar um IS 300 manual..." Pensei a mesma coisa. Imagina um carrinho deste no câmbio manual.

    Pelo que vi em alguns catálogos americanos, nem todos os Lexus têm disponível a versão manual, isso confere?

    Sei que o mercado americano adota, quase na totalidade, o câmbio automático, mas como seu fã do câmbio manual, sempre que viajo para lá se consigo alugar um carro com câmbio manual eu prefiro (via de regra tenho de reservar aqui no Brasil, antes da viagem, a carro com câmbio manual, pois quase não há disponível para alugar).

    Assim, consegui alugar um Jeep Wrangler 2012 com câmbio manual de seis marchas que é um absurdo de bom... muito melhor que o mesmo carro no automático. Gostei mesmo deste câmbio no Wrangler e a reação do carro com ele.

    Também aluguei, já há uns anos, um PT Cruiser com câmbio manual (meu irmão tinha um automático aqui no Brasil... eu adoro esse 'carrinho esquisito'), e posso dizer que, mesmo sendo um câmbio de 5 marchas simples, o carro desenvolve bem melhor do que com o auto. Perde aquela "lentidão". Uma diferença e tanta.

    Agora, sonho mesmo com um Chrysler 300C com câmbio manual. Mas pelo que vi, este não é disponível nem nos EUA...

    E imagino este Lexus com câmbio manual... ai, ai...

    Grande Abraço de um leitor que o acompanha, desde a adolescência, ainda na revista "Oficina Mecânica", "Quatro Rodas", "BestCarWebSite" etc.

    ResponderExcluir
  19. Victor Gomes28/09/12 15:44

    E o Lexus ES?? Onde ele entra nesse mercado? Se o IS é concorrente natural da BMW Série 3, qual seriam os concorrentes do ES?? O Lexus GS vêm para o Brasil?

    ResponderExcluir
  20. Leo
    Agradeço sua leitura esses anos todos. São mais de 20 anos! Não há opção de manual nos EUA, só no Japão, como nos foi dito no dia do lançamento. Não haveria dificuldade maior em especificar câmbio manual para o Brasil também. O bom dos manuais atuais é que a maioria das embreagens têm comando hidráulico e os conjuntos platô-disco estão cada vez melhores, tudo levando a cargas de pedal mais baixas. O único contra, portanto, cansar no anda e pára dos grandes centros utbanos, não existe mais. E os comandos de câmbio a cabo tornam a alavanca muito precisa e sobretudo leve de engatar. Num vou esquecer quando andei num Plymouth Prowler, aquele hot rod "de fábrica", motor 3,5 V-6, transeixo traseiro e todo o chassi de alumínio, independente nas quatro etc, só com automático de 4 marchas, que desperdício! O carro era um coisa louca de andar, como fazia curva. E iinha um som de escapamento mais ruidoso de propósito, só que com câmbio automático era de dar dó.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob, Sem querer te chamar de velho, mas eu tenho algumas Autoesporte de 1982 em que você assinava os testes (Fusca à álcool deve ser a mais velha que achei em sebo), então ele pode ser seu leitor a mais de 30 anos!

      Excluir
    2. Braulio,
      Bobagem, já disse aqui em faço 70 anos em novembro, realmente é assunto que não me incomoda nem um pouco. Como o leitor Leo falou em Oficina Mecânica, e comecei lá em 1989, são 23 anos.

      Excluir
    3. Marcelo Augusto29/09/12 12:19

      Acho que mata mesmo o carro essas caixas de 4 amrchas que patinam a mdoa antiga, as de 5 e 6 atuais já não dá desgosto.

      Excluir
    4. Marcelo Augusto
      Voce esta totalmente errado. O que mata é pai de noiva gravida abandonada no altar.
      Se cuida!
      Jorjao

      Excluir
    5. Caro Bob,

      Pois, concordo totalmente mesmo... E imagino como ficaria mesmo o "hot" Plymouth Prowler (verdadeiro carrinho de corridas de fábrica) com um belíssimo câmbio manual. De fato, um brinquedinho de gente grande :)

      Li, não me lembro em qual veículo/mídia, que o fabricante gastaria cerca de um milhão de reais para "legalizar" cada câmbio no Brasil, ou seja, se trouxerem um manual e um auto, o gasto seria de dois milhõezinhos para o Governo. Não sei mesmo se procede.

      E nesses seus 23 anos de jornalismo especializado (e outros de pista, imagino) foi com grande surpresa e alegria que conheci "Auto Entusiastas", através de um link, recentemente, no BestCarsWebSite (havia uma citação pessoal - um elogio - com link direto para cá).

      Lembro, e já comentei isso em outro post, que comprava a Oficina Mecânica porque você era um dos poucos que escrevia sobre aspectos relevantes do carro, como 'peso e relação da direção', 'estabilidade direcional' e aspectos mais técnicos de como o carro se comportava em determinadas situações, coisa de quem mesmo gosta de carros e direção. Matérias feitas por quem gosta e para quem gosta, também, não apenas uma apresentação do carro.

      Inclusive, a reportagem em questão, era sobre um carro argentino, baseado no Lotus 7, se não me engano com mecânica AP1800... do qual também não lembro o nome.

      E, agora, com belíssimos textos na coleção "Carros Inesquecíveis do Brasil".

      Parabéns por tantos anos de trabalho e dedicação aos carros e aos leitores, que agradecem.

      Leo-RJ

      Excluir
    6. Oi Bob,

      Eu sou apaixonado por carros desque me conheço por gente e sempre gostei das tuas matérias.
      Parabéns por continuar na ativa e compartilhar conosco a tua experiência.
      (uma matéria antiga que lembro bem é aquela que você falava sobre as vantagens de um câmbio mais longo)

      ABRAÇO
      Sergio S.

      Excluir
  21. Realmente uma pena que chegue tão caro. Quebra o argumento da racionalidade pagar mais que um BMW ou um Mercedes de mesma categoria num Lexus. Para alguns, talvez valha só por não ser "da grife".
    Aumenta um pouquinho a raiva de ver que é a mesma fábrica por trás desse projeto e do Etios nacional: Eles sabem fazer coisas fabulosamente bem feitas, bonitas, eficientes, de alta tecnologia, e, nos EUA, com custo/benefício melhor que a concorrência. Por que lançar aquela traquitana cara por aqui, então?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque a gente paga, Braulio. Só por isto. Fazer o que? Abs.MAC.

      Excluir
  22. O que mata esse carro é o preço alto e a semelhança com a dupla Vovorolla/Camry.

    Por menos que isso dá pra comprar um Omega australiano ou uma versão do Serie 3...

    ResponderExcluir
  23. Bob, concordo inteiramente com você quando fala sobre a "quase guerra civil que estamos vivendo". Só não vê quem não quer.

    Talvez andar num carro luxoso, mas discreto, melhore a sensação de segurança do dono.

    ResponderExcluir
  24. Bob,

    Realmente o preço está alto, iria sem hesitar no novo BMW de 170 mil

    0-100 em 7,7 s mesmo? Sai junto de DS3 e Civic Si?

    ResponderExcluir
  25. Caro Bob;Ótimo post. Gostei das comparações com o Omega. Caramba, quantas coisas parecidas. Dimensões , rodas, espaço interno...O consumo foi surpreendente. Ganhou longe do Omega, embora os 292 equinos aqui precisem de mais "proteína'para fazerem zero a cem em 6,8 como dizem...Tá valendo tudo no Brasil, os preços loucos..paguei menos da metade do valor do Lexus no Fitti. Não creio que um destes Lexus valha mais que o dobro, embora reconheça a qualidade deles. Aproveitando, conheci o Mahar aqui no Rio este ano e falei que leio vcs a 30 anos. O tempo passa, hein? Motor 3...Boas lembranças. Vcs fizeram história. Falamos de um encontro, dia destes, se possível, com vc, o grande JLV, ele..Seria do grande K....como diz o Mestre. Vê se anima e vem ao Rio passear. Tem um bom vinho ou chopp gelado te esperando.Abs e tudo de bom.JAT.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JAT
      O tempo passa rápido mesmo. Que seria bom um papo desses, sem nenhuma dúvida. O duro é tirar o JLV da toca dele. Chopp gelado só se for no Sindicato do Chopp da Farme de Amoedo...
      Abraço!

      Excluir
    2. Beleza, tá valendo! Vamos armar no sindicato. Precisamos descobrir uma viajem que seja instigante para o JLV. A isca pode ser um carro clássico aqui no Rio para ele testar.Certamente o Mahar sabe de algum. Se bem que para ele que já andou e testou de tudo, inclusive um Duzzie...Quem sabe não vem pelo papo e pelo chopp? Bom vamos tentar trazer vcs aqui. Te damos notícias. Abs.JAT.

      Excluir
    3. Oi Anônimo28/09/12 23:17,

      Eu acabei de comprar um Omega CD 2011, só que o meu não é da série Fitti.
      Obrigado pelo seu comentário lá na matéria Omega, o invisível, pois também ajudou na minha decisão.

      GRANDE ABRAÇO
      Sergio S.

      Excluir
  26. Que tal um Jetta TSI por menos da metade do valor...sem o apuro no acabamento dos sedans premium nem a tração traseira...mas com o almejado GPS(se incluso na lista de opcionais por 3 mil dilmas), o melhor câmbio 6 marchas da atualidade...e de quebra um desempenho pra deixar dono de Lexus encafifado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só não tem o espaço necessário... para vc cuidar da vida no banco traseiro enquanto o motorista te leva para o seu compromisso.

      Excluir
    2. Não tem o mesmo conforto, nem o mesmo acabamento, nem a mesma proposta nem o espaço, etc

      Excluir
  27. Para um comprador em potencial de carros do segmento, seria muito mais negocio o BMW serie 3, que estreou faz menos de 1 ano, enquanto que esse IS já esta no mercado desde 2005, e prestes a chegada da terceira geração...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 29/09/12 00:11
      Lógico que não tem o mesmo acabamento...isso eu falei, em termos de conforto a diferença já não é tão grande...em termos de espaço, bom você realmente conhece o Jetta mk6?...Proposta? Proposta de que? Haa já sei, proposta de pagar 110 mil dólares num carro que nos Eua custa 40 mil...bacana!
      Agora, ao emparelhar com um Jetta TSI por aí...melhor você desviar a atenção e fingir que está curtindo o acabamento.
      E pra não bater a tecla só na VW, se o problema for a obrigatoriedade de ostentar uma marca de luxo, o melhor exemplo é a 328i turbo que o Bob exemplificou, por quase 50 mil a menos e dessa vez, sem dever absolutamente nada ao Toyota...muito pelo contrário.

      Excluir
    2. A proposta do Jetta é ser um sedan esportivo que pra um mercado de 1º mundo é menos acabado e mais simples. A do Lexus é ser um sedan de luxo que mesmo no 1º mundo é de luxo

      Excluir
  28. Na verdade, tá todo mundo com saudade é do fusca; mais mió de bom nas pirambera, na lama, prá levá galinha, porco e piru; e aquele desenho bunito, num tem igual; depois do uso, uma manguerada dagua, uma cerazinha e o danado fica novo prá fazê inveja pros vizinhos. Qui lecsus, que nada! nóis gosta é de fusca; nóis pode comprá é f u s c a!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mermão, volta pro interior, que ocê é de lá e de lá nun deve sairr. Jeca!!

      Excluir
  29. Novo Azera: mesmo carro, talvez mais bonito, por 100 mil a menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E sem contar que é "o melhor do mundo, do planeta e da Terra"!

      Excluir
    2. Mesmo carro não, pois tem tração dianteira. A comparação mais adequada ao Azera é com o Lexus ES. Só haveria um concorrente possível ao IS na Hyundai-Kia se fizessem um sedã sobre a plataforma do Genesis Coupe.

      Excluir
    3. Hyundai-Kia ainda não tem carro que compete nesse segmento. Ela tem carros do mesmo porte, mas não no mesmo segmento (de luxo). Mas já tem planos para lançar em breve, não se sabe se com uma nova marca, como fizeram as japonesas, ou sob a própria marca Hyundai.

      Excluir
    4. Melhor do mudo, de marte, de tudo. Curuz! Gosto e mal gosto não se discute mesmo, né. Não leva a mal...Entrei num Bling Bling barbatanado destes, com samambaia na janela,etc. O carro não me coube...E olha que são só 1,88! Nada anormal.MAC.

      Excluir
  30. Mas sabe ser lindo esse carro né?

    Porém, se fosse p/ torrar uma pequena fortuna num Lexus, pegaria logo o IS-F V8!

    http://www.webmotors.com.br/comprar/lexus/is-f/5-0-sedan-v8-gasolina-4p-automatico/4-portas/2008/8938563

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sai mais barato fazer um tratamento de auto-estima baixa.

      Excluir
    2. Anônimo29/09/12 18:42

      E vc tá esperando oq p/ começar?

      Excluir
  31. LEXUS = MERCEDES PARAGUAIA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelamordedeus, homem! Tá doido? toma gardenal?

      Excluir
  32. É tão difícil compreender uma comparação entre carros de categorias bem distintas, porém que reúnem características que acabam tornando adversários indiretos??
    É lógico que uma série de vantagens estariam a favor do carro mais caro...porém, alguns outros predicados aparecem no modelo 3 vezes mais barato, é tão difícil compreender a possibilidade desse duelo??
    Lembrem-se que pra início de conversa, temos descompensações tributárias que se nos Eua o jornalismo automotivo ruma cada vez mais para a abordagem do "custo benefício", aqui mais do que lá deveria-se pensar com essa mentalidade.
    O problema é que ainda estamos na cultura do Brasil pré-colonial...aonde índio queria espelho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bla bla bla amigão, é claro que o Jetta tem coisas que se comparam ao Lexus mas no fim não tem nada a ver uma coisa com a outra. Se fosse todo mundo comprar por custo benefício Jetta também tava fora

      Excluir
    2. Essa é a visão obtusa da ignorância que assola este país. Procure se interar um pouco mais sobre jornalismo automotivo. Você infelizmente ainda é um daqueles consumidores que põe o nosso mercado pra baixo, pois se te vender estrume de vaca com uma fita dourada vai se sentir o "tal".

      Excluir
    3. Ai amigão, vai te catar vai. Compra seu Jetta e vai achar que está salvando o mundo vai (o carro custa metade do preço nos EUA e vem pra cá sem impostos por ser mexicano). Ninguém tá falando de comprar Lexus nem Jetta e sim que são mercados completamente diferentes, o Lexus concorre com BMW e Mercedes, o Jetta concorre com Corolla. Todos são mais caros do que deveria, é Brasil, colocar fita dourada em estrume é por Jetta pra concorrer com Lexus. Um é um carro esportivo e outro é de luxo e várias categorias acima é difícil entender isso? Chamar os outros de ignorante sendo o maior deles pega mal

      Excluir
    4. Jetta é carro de pobre nos EUA, e pobre não é classe média baixa. A própria VW foca suas propagandas no público de sub-empregados e biqueiros, ou jovens em busca do 1.o carro. Vc quer comparar um carro de suposto luxo, feito para um comprador high profile com um Jetta? Que sem noção! O obtuso aqui é você!

      Excluir
  33. Por respeito ao Bob Sharp e ao blog que estimo muito, não vou dar a resposta que você merece e faço minha última visita a este post com esta mensagem...aposto que você não é "biqueiro" o suficiente pra comprar um Jetta...high profile? hahahahahahahahahahahahhaaa....tá pagando o carnezinho do celta e recolhendo a xêpa da feira e vem dar uma de bacana, é o próprio Gérson Brasileiro! Se enxerga seu ignóreo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí ficou bem claro, o cara tem/quer um Jetta e nada pode ser melhor que ele e ninguém pode ter algo melhor que ele. Isso sim que é ser gérson! O que o amigo disse sobre o Lexus ser high profile não parece ser motivo de risada, no mundo todo Lexus é de luxo e precisa de um comprador com bala já que não são nunca baratos

      Excluir
    2. Bala de hotelã ou de morango serve?

      Excluir
  34. Sem querer tomar partido, me parece que esse tipo de discusão está bem abaixo do nível desse blog.

    ABRAÇOS
    Sergio S.

    ResponderExcluir
  35. Digam o que quiserem, mas R$ 218 mil num carro desses é demais até mesmo nesse país de absurdos e distorções do mercado. Pode ser o melhor, mais durável, mais rápido e mais luxuoso (não é nada disso) que não bate uma BMW 328i, pra ficar no exemplo do Bob, por 50 MIL REAIS A MENOS!

    Fora que comprou, casa e não separa pq o "divórcio" desse Lexus dá pra comprar outro carro de luxo. BPMW, Audi e Mercedes tem muito mais aceitação, mas nem autoentusiasta mais fissurado em japonês pega um carro desses com 2 ou 3 anos de uso. Pode-se argumentar que status é frivolidade, mas quem vai pagar tudo isso pra ter "menos" status e um produto que não é 25% melhor (se for melhor...) do que uma BMW 320? Ridículo.

    Não entendo mto do assunto mas como apaixonado por carros e comprador (e empresário) não consigo imaginar qual a estratégia e os objetivos da Lexus no BR. Ou a operação deles é MUITO cara, ou as margens são surreais ou então eles levaram esse lance de "posicionamento da marca" muito a sério.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Num país que paga 90 mil num Corolla e que o Civic Si custava 100 e ainda era barato perto da concorrência, achar 218 mil demais nele é que é demais. Além de tudo é coisa de mercado de luxo, onde a razão e custo benefício são diferentes. Acho essa babação de ovo para os alemães algo que cega bem, já que lá fora custam muito menos também e um 320 4 cilindros depenado com certeza fica bem para trás desse Lexus e até mesmo de carros bem mais baratos como Omega. A desvalorização deles também é enorme, principalmente da Audi (essa a pior de todas, com os produtos mais simples e os preços mais caros, mas como é alemã...)

      A única coisa que é verdade em tudo isso é que um Lexus tem menos status e revenda mais difícil que essas outras marcas, mas não é justamente aqui que se reclama tanto da compra ser feita por status e sempre pensando na revenda mais fácil?

      Excluir
  36. Pois eu acho a Audi a que mais oferece em relação aos preços que cobra, comparando com Mercedes e BMW. Digo isso com algum conhecimento de causa, pois há alguns anos tenho carros nessa faixa (A3, 125, 320, C200, etc.) e pesquisei bastante cada vez que fui trocar o que cada uma oferecia não apenas em termos de "mimos" mas de construção e qualidade de fato.

    A BMW e Mercedes "pelaram" seus carros de entrada, abusando dos plásticos duros e tirando os acessórios sem mudar o preço, numa estratégia típica da indústria de alimentos. O A4 custa 10% mais que uma 320 e o mesmo preço de um C200, só que vem com motor de 200cv, câmbio Tiptronic, farol bixenon ajustável, som de qualidade com BT e mais uma lista de coisas legais de se encontrar nessa faixa.

    Pega uma X1 118i e parece um Gol por dentro, muito simples mesmo não tem pinta de carro de luxo a menos que a intenção seja apenas se mostrar. Não vou nem falar do motor, fraquinho e que bebe horrores. Idem pra B180. Na faixa do A3 vc pega uma 118i ou 120i, mais caras e com muito menos motor, câmbio e luxo. Farol de parábola simples, roda 15", somzinho básico...

    E olha que não entrei no mérito dos acabamentos: vc não vê uma cabeça de parafuso, pedaço de lata, solda, vão oco, rebarba, encaixe malfeito, nada. As portas são sólidas e fecham com aquele som de qualidade. Os japas então... mesmo de linhas superiores não tem sequer acabamento na tampa do porta-malas, é tudo levinho. Carros bons e práticos sem dúvida, mas é outro nível de qualidade e detalhe.

    Agora, basta andar em qualquer um deles (Audi, BMW ou Mercedes) e vc vai ver que a "babação" pra cima dos alemães é justificada. Pq são todos muito bons de dirigir, seja numa estrada ou na cidade. Mesmo os básicos de entrada tem direção impecável, suspensão na medida, bancos impecáveis, posição de dirigir quase perfeita e desempenho dinâmico muito superior a qualquer americano ou japonês da mesma faixa. E duram bastante tb, se souber cuidar.

    ResponderExcluir
  37. Sem entrar na controvérsia feio/bonito- q. parece demais o Versa, parece mesmo...

    ResponderExcluir
  38. Quem fala que BMW de entrada é simples demais não tem conhecimento de causa. Até nos carros de topo os interiores dos BMW são mais simples que da concorrência. Eu andei em um Audi A4 Avant 2012, o painel segue essa moda péssima de colocar os instrumentos em molduras profundas, que dificultam a leitura. E não deixa de ser um monte de enfeite de plástico duro pendurado e que fazia barulho. Moda não tem muito espaço no interior de um BMW, o interior de um BMW sempre vai ser o mais convencional e conservador possível. Hoje em dia, que os carros tem trocentos comandos, isso deixa o carro mais amigável. Sem contar que não é verdade que o Audi 10% mais caro que o 320i vem com motor de 200 cv, é de 180 cv. Ou seja, 4 cv a menos que 320i... No 0-100 dá 0,6 s de diferença por causa da eficiência da tração traseira. Existe muito mais diferença entre um VW e um BMW que quatro argolas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A verdade é que o problema de alguns raciocínios é conceitual.
      Em mercados equalizados como o americano dá pra debater se A compensa mais que B porque tem atributos similares e é 3% mais barato, por exemplo.
      Aqui é mais simples, disparidades tributárias entre as diferentes procedências e também fatores como volume de vendas e método operacional distinguem claramente opções de compra dentro e fora do bom senso. Principalmente nesse mercado de importados de 100 mil pra cima. E tornam sim, possíveis comparações entre veículos de faixa de preço bizarramente distantes, tomando como pressuposto que o objetivo principal de um veículo está na amplitude de sua utilização e a questão do status pelo menos em tese, não deveria ser a principal ou única razão de compra como é para muitos.
      Se alguém quiser insistir apenas pra ser excêntrico, provavelmente vai tirar "estórias" da cartola pra justificar o engôdo.
      Nesse caso do Lexus o buraco é ainda mais embaixo, pois até uma Bmw 328i que é melhor que o nipônico em rigorosamente tudo, custa bem menos.
      A defesa então passaria a ser um porta estandarte de alguém que nem sabe ou conhece aquilo que carrega, mas como fica chato dar o braço a torcer, continua insistindo.

      Excluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.