AUDI A1 SPORT, NOVO BRINQUEDO DA MARCA DOS QUATRO ANÉIS

Fotos: Audi



O Audi A1 foi lançado no Salão de Genebra de 2010, mas a mais recente adição à linha, o A1 Sport, só começou a ser vendida na Europa em novembro passado. Na última quarta-feira foi apresentado à imprensa brasileira. Por que o brinquedo do título? Com 1.265 kg e 185 cv, sua relação peso-potência é 6,83 kg/cv. Dá para brincar e entrar bem a dentro do "Clube dos 200", pois ele chega a 227 km/h. E deixa muita coisa grande para trás, ao acelerar de 0 a 100 km/h em 6,9 segundos.

A potência vem do motor 4-cilindros de 1.390 cm³ superalimentado por um compressor Roots – o blower (soprador) que os americanos veneram – combinado com um turbocompressor. Só que não é o esquema de primeiro um, depois o outro, mas os dois trabalhando em sociedade. O resultado é uma resposta ao acelerador muito rápida, superior à dos melhores arranjos de turbocompressor que temos dirigido e exaltado aqui no AE ultimamente.

O pico de potência é a 6.200 rpm e o limite, 7.000 rpm. O torque máximo de 25,5 m·kgf ocorre a 2.000 rpm e aí permanece até 4.500 rpm; a 1.250 rpm já produz 22,5 m·kgf, correspondente a 40 cv a pouco acima da rotação de marcha-lenta. É mesmo de impressionar.

Motor de autoentusiasta, sem tirar nem pôr

É  um tração dianteira,, como o A1 que dirigimos, mas sem nada além de um substerço muito discreto, ao contrário do A1 "normal" que se mostrou algo frentudo. Reações estranhas no volante – sem achatamento em baixo, viva! – mesmo com todo esse torque e potência, nada. Há controle de estabilidade e de tração. O A1 Sport anda sobre pneus Continental 215/40R17W, bem dimensionados para ele. E, obviamente, o câmbio é S tronic, robotizado de 7 marchas, com alavanca e borboletas. Não estranhe ao ver na ficha técnica duas relações de diferencial: é exatamente isso, há dois pinhões e uma coroa.

O "coração" do brinquedo: 185 cv e 25,5 m·kgf de 1,4 litro

Agradou bastante o conforto de marcha, o rodar firme e bem-controlado porém sem nenhuma dureza excessiva "de carro esporte", como tenho notado em alguns casos no Brasil. Fiz algumas curvas na faixa 180~190 km/h (não foi em via pública, antes que alguns inimigos da velocidade venham com críticas) e o carro se mantém impertubável, mesmo que a suspensão traseira seja por um simples eixo de torção. A carga no volante é perfeita em qualquer velocidade.

Estilo moderno sem exageros

Como é o esquema da superalimentação "em sociedade"

O módulo de comando do motor calcula de que maneira o ar chegará ao motor para produzir o torque e a potência que o motorista quer. Ele literalmente decide se é o compressor que fará o trabalho sozinho ou se será necessario que o turbocompressor participe do processo.

Imagine o caminho do ar até chegar ao turbo: filtro de ar, tubulação, turbo, interresfriador, coletor de admissão. Só que no meio do caminho, depois do filtro de ar, há circuito em derivação que vai ao compressor Roots e depois deste, de volta para o tubo principal. Há uma válvula-flape para fechar a passagem do tubo principal para que o ar possa ir todo para o compressor Roots.

Quando o carro é movimentado lentamente, a válvula-flape está aberta e o ar de admissão vai todo para o turbocompressor. Mesmo que a turbina dele esteja sendo tocada pelos gases de escapamento, a energia dos gases é bem baixa e pressão gerada pelo turbo é mínima, praticamente nenhuma. Como o acelerador está bem pouco aberto, chega a haver vácuo no coletor de admissão. É como se fosse um motor de aspiração natural.

Quando o acelerador é mais aberto, a válvula-flape fecha-se ou fica parcialmente aberta, de maneira a por aí regular a pressão de superalimentação. O compressor, que é movimentado por uma correia poli-V dedicada, conta com uma embreagem a solenóide (acionamento eletromagnético). No momento em que a válvula-flape sai da posição totalmente aberta o compressor começa a funcionar, a sua embreagem acopla-se. O ar fresco, de admissão, sai do compressor e vai para o turbocompressor, onde é ainda mais comprimido. Com acelerador todo aberto a pressão absoluta no coletor de admissão chega a 2,5 bar, ou seja, 1,5 bar acima da pressão atmosférica normal. Mas isso até 2.400 rpm.

Acima deessa rotação, a pressurização é controlada para não ultrapassar 2,5 bar, que pode ser de duas maneiras. Uma, impedindo que todo o ar chegue ao compressor, que sozinho é capaz de presurizar até 1,75 bar de presssão absoluta, ou 0,75 bar acima da pressão atmosférica normal. O outro controle de pressão máxima é conhecido, é pela válvula de alívio do turbocompressor, mais conhecida por wastegate.

Em resumo, sensores de pressão estrategicamente colocador em todo o trato de admissão ficam informando o módulo de controle do motor o tempo todo e este, como vimos, decide como os dois dispositivos de superalimentação agirão. Parece complicado, mas é relativamente simples, e o efeito final é magnífico.

O motor – chamado pela Audi de 1.4L TFSI Dual Charging (duplo carregamento em razão dos dois superalimentadores) tem tudo o que o autoentusiasta (ou a maior parte deles) quer: duplo comando de válvulas com acionamento por corrente, variador de fase contínuo na admissão, 4 válvulas por cilindro e injeção diireta. Completo! E girador, sobretudo.

O bloco do motor é de ferro fundido e a taxa de compressão é 10:1, responsável pela boa resposta quando o motor ainda está "atmosférico".. Olhando o motor pela frente do carro, o turbocompressor fica na frente e o compressor Roots, atrás. O cabeçote, claro, é de alumínio, como é também a tampa de válvulas.

Tudo o que se quer e precisa está aí

Ótimo e econômico. Os dados oficiais de consumo são 1 L/13,3 km na cidade e 1 L/19,6 km na estrada. Podem parecer números otimistas demais, mas o fato é que na Europa, onde emissão de CO2 virou neurose, o A1 Sport lança apenas 139 gramas do gás (que não é tóxico, apenas dizem que vai fazer o planeta derreter de tanto calor) por quilômetro, ou seja, consome pouco mesmo, já que CO2 e consumo são diretamente relacionados.

A V/1000 em sétima é 43,3 km/h, 120 km/h a 2.800 rpm, velocidade máxima em sexta a exatas 6.200 rpm, a rotação de potência máxima.

O A1 Sport tem preço público sugerido de R$ 109.900 mas pode quase tocar os R$ 140.000 se forem pedidos o ar-condicionado automático, controle de velocidade de cruzeiro, sensor de estacionamento traseiro, destravamento de portas e partida do motor com chave presente, navegador GPS, sistema de áudio Bose, rádio com informação multimídia (MMI), teto solar panorâmico e pintura com arco contrastante. Os preços correspondem ao IPI reduzido que, como se sabe, foi prorrogado até o final de outubro.

Brinquedo meio caro – em termos – mas que vale cada centavo de real para tê-lo à disposição na garagem.

BS



FICHA TÉCNICA AUDI A1 SPORT

MOTOR
Tipo
Ignição por centelha, 4 tempos
Instalação
Dianteiro, transversal
Material do bloco/cabeçote
Ferro fundido / alumínio
Configuração / n° de cilindros / n° de mancais
Em linha / 4 / 5
Diâmetro x curso (mm)
76,5 x 75,6
Cilindrada (cm³)
1.390
Aspiração
Forçada por compressor tipo Roots e turbocompressor
Taxa de compressão
10:1
Potência máxima (NBR ISO 1585) cv/rpm
185 / 6.200
Torque máximo (NBR ISO 1585) m·kgf/rpm
25,5 /2.000 a 4.500
N° de válvulas por cilindro
4
N° de comando de válvulas /localização
2 / cabeçote, com variador de fase de admissão
Formação de mistura
Injeção eletrônica direta
Gerenciamento do motor
Bosch Motronic MED 17.5.5
ALIMENTAÇÃO
Combustível
Gasolina E22 de 98 octanas RON
TRANSMISSÃO
Rodas motrizes
Dianteiras
Câmbio
Robotizado, duas embreagens a seco
N° de marchas
7 à frente e uma à ré
Relações das marchas
1ª. 3,500; 2ª. 2,273; 3ª. 1,531; 4ª.1,122; 5ª. 1,176; 6ª 0,951; 7ª 0,795; ré 4,170
Relação de diferencial
1ª à 4ª 4,438; 5ª à 7ª 3,277; ré 4,176
Velocidade por 1.000 rpm em 7ª (km/h)
43,3
FREIOS
De serviço
Hidráulico, duplo circuito em diagonal, servoassistido, ABS com distribuição eletrônica
Dianteiro
Disco ventilado
Traseiro
Disco
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson com subchassi, braço triangular, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado separados
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidde
Diâmetro mínimo de curva (m)
10,6
Relação de direção
14,6:1
RODAS E PNEUS
Tipo e dimensões
Alumínio 7,5Jx17, 215/40R17W
PESOS (kg)
Em ordem de marcha (kg)
1.265
Carga máxima (kg)
450
CARROCERIA
Tipo
Monobloco em aço, duas portas hatchback, 4 lugares
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento
3.954
Largura sem espelhos
1.740
Altura
1.416
Distância entre eixos
2.469
Bitola dianteira/traseira
1.477 / 1.471
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)
0,34
Área frontal (m²)
2,04
Cx x A (m²)
0,693
CAPACIDADES (L)
Porta-malas conforme VDA (V210)
270 a 920
Tanque de combustível
45
DESEMPENHO
Velocidade máxima (km/h)
227 (em 6ª marcha)
Aceleração 0-100 km/h (s)
6,9
MANUTENÇÃO
Revisões (km)
15.000
Troca de óleo do motor (km/tempo)
15.000 / 12 meses




EQUIPAMENTOS AUDI A1 SPORT

Acionamento de travas e ignição/partida com chave presente
O
Ajuste de altura dos bancos dianteiros
S
Ajuste do volante em altura e distãncia
S
Ajuste elétrico dos retrovisores externos
S
Alarme antifurto
S
Apoio de braço dianteiro entre os bancos
S
Apoio para o pé esquerdo
S
Ar-condicionado
S
Ar-condicionado automático
O
Arcos do teto com pintura contrastante
O
Audi Music Interface
O
Banco traseiro bipartido
S
Bancos dianteiros com mecanismo para facilitar o acesso ao banco traseiro
S
Bluetooth
S
Bolsas infláveis frontais, laterais e cortina
S
Cintos dianteiros com pré-tensionador
S
Computador de bordo com termômetro do ar externo
S
Controlador automático de velocidade de cruzerio
O
Controle de estabilidade e bloqueio eletrônico do diferencial
S
Espelho interno eletrocrômico
S
Faróis de xenônio com ajuste automático de altura
S
Faróis de neblina
S
Lantenas traseiras e 3ª luz de freio a LEDs
S
Lavador de faróis
S
Luz traseira de neblina
S
Luzes de uso diurno a LEDs
S
Navegador GPS com tela de 6,5 pol.
O
Pára-brisa com faixa degradê
S
Pomo da alvanca de câmbio em couro
S
Rádio Concert
S
Rádio MMI
O
Repetidoras dos indicadores de direçào nos espelhos
S
Sensor crepuscular
S
Sensor de estacionamento traseiro
O
Sensor de afivelamento dos cintos dianteiros
S
Sensor de chuva
S
Sistema de áudio Bose
O
Teto solar elétrico panorâmico
O
Vidros laterais e traseiros com isolante térmico
S
Volante esportivo em couro, multifuncional e com borboletas de troca de marcha
S


S = série  O = opcional


 



222 comentários :

  1. Na prática é como se ele tivesse uma reduzida como nos caminhões? ou entendi errado? Klaus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Klaus,
      Mais ou menos. Nos caminhões você escolhe a relação de diferencial para usar com todas as marchas, enquanto nesse não há escolha.

      Excluir
  2. Essa fortuna com painel de Gol G4 e eixo traseiro de torção? Brincadeira...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 01/09/12 12:14
      É, para quem curte um "painel de Boeing", cheio de "reloginhos", esse aí do A1 Sport não agrada mesmo...

      Excluir
    2. Bosley de La Noy01/09/12 13:51

      Anônimo 01/09/2012 12:14

      Continue andando de busão. Você será mais feliz e economizará uma boa grana...

      Ah! O A1 tem o painel parecido com o Gol G5 e não o G4. Nem isso você sabe né???

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio01/09/12 14:34

      Vai saber se também não tem freio a tambor...

      Excluir
    4. Anonimo das 12:14
      Quem desdenha quer comprar..
      Pena que nao é para seu bico e nunca será.
      Jorjao

      Excluir
    5. Lorenzo,
      Tambor? É disco nas quatro.

      Excluir
    6. Ele possui outras coisa também em comum com o Gol da atual geração, como a caixa de direção e os braços da suspensão, que a VWB transplantou da plataforma PQ25 (a de A1, Ibiza e Polo V) para a PQ24 na especificação do modelo mais vendido. Esse é um dos motivos para o Gol NF ter comportamento dinâmico superior ao de Fox e Polo IV.

      Excluir
    7. O Lorenzo Frigidaire está perguntando se o A1 tem tambor traseiro para saber se é igual aquele Dojão véio que ele tem na garagem, com tambor de freio traseiro, eixo e diferencial de caminhão e que queima 1 litro de óleo toda vez que ele sai para atrapalhar o trânsito de fim de semana...

      Excluir
    8. Quem tem dinheiro para comprar esse carrinho maravilhoso tem dinheiro para colocar o reloginho que quiser na coluna...

      Excluir
    9. Reloginho na coluna = Sintoma de Pobreza!

      Excluir
    10. O problema não é o reloginho, nem o painel ou a suspensão (apesar que pelo preço dele aqui é meio ruim ter um painel tão simples e uma suspensão de eixo). O problema é toda essa parnafernália pra fazer um 0-100 e uma máxima que um Golf GTi já fazia há uns 8 anos atrás sendo um carro bem maior. O problema todo é que essa reciclagem que a Audi fez pegando partes de carros maiores e colocando num carro pequeno deixou ele com peso de carro grande. 1265 kg são mais do que um Golf 4 ou 5, aí fica muita coisa pra pouco resultado, vale mais pela economia de combustível que deve ser melhor

      O A1 normal com esse mesmo peso alto mas com 60 cv a menos passa vergonha pra Focus, Corolla e Civic isso com cambio DSG e tudo mais. Carrinho legal mas precisava ou de um regime ou de mais potencia em todas as versões

      Excluir
  3. prefiro comprar um A3 2.0 DE 200CV semi novo ou mesmo zero. muito mais carro pelo mesmo preço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reiter,
      É claro que a sua preferência também é interessante, mas ande nesse e depois me diga.

      Excluir
    2. Filipe_GTS02/09/12 15:46

      Eu prefiro A1 zero do que resto de rico com os bancos peidados. É quase uma questão de orgulho mesmo, fazer o que.

      Excluir
    3. Um A3 novo pode ser resto de rico ou o que for, mas parece um canhão perto do A1 normal e duvido que não seja mais forte que essa versão Sport. A Audi tem produtos cada vez mais interessantes mas viaja cada vez mais nos preços e na colocação deles no Brasil. Acho que já esqueceram que a época que A3 e Audi era sonho já passou

      Excluir
    4. Filipe_GTS//// Se for por isso troca os bancos e seja feliz. Como se tu não peidasse também... Orgulho besta!!

      Excluir
    5. Pior que tem gente que peida e deixa passar algo mais. Aí é dose...

      Excluir
    6. resto de rico com os bancos peidados... kkkk... tá certo carro novo é carro novo... deixa os espertalhões comprarem os usados! Mas tem um porém que já foi falado... com o preço do A1 vc compra um A3 sem peido nenhum... E aí???

      Excluir
    7. Filipe, quando você sai com uma moça bonita no seu carro, coloca um plástico anti-peidos nos bancos? Acredite: mesmo as belas peidam!

      Excluir
  4. Impressionante esse A1 Sport, tanto pelo conjunto quanto pela tecnologia empregada. 185 cv e 25,5 mkgf de torque em um motor de 1,4-litro é de se tirar o chapéu, mesmo em se tratando de motor superalimentado. Interessante possuir duas relações de diferencial, de acordo com a marcha usada.

    Só uma pergunta: o bloco do motor em ferro fundido é para aguentar melhor o "desaforo" dos compressores?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eoad Runner
      É essa a razão do bloco de ferro fundido. Essa das duas relações de diferencial é surpreendente mesmo.

      Excluir
    2. o bloco é de ferro fundido porque todos os motores do grupo VW são de ferro fundido

      Excluir
    3. Lucas
      É claro que não. Informe-se melhor.

      Excluir
    4. Talvez não todos, mas os mais importantes como o 2.0 TFSI e o VR6 tem bloco de ferro fundido. Não se enquadram os de oito cilindros e um que outro menos importante.
      http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Volkswagen_Group_petrol_engines

      Excluir
    5. Santa Wikipedia...

      Excluir
    6. Wikipedia é só uma referência mais mastigada, mas podes verificar você mesmo.
      Não estou criticando, é só uma constatação, quase toda a linha VW/Audi usa esse material no bloco.
      De qualquer modo, acho muito interessante esse 1.4, mas não gosto do visual do A1, prefiro o A3 (reconheço que as propostas são diversas).
      ----
      Parabéns pelo blog, Bob Sharp, leio todo dia.

      Excluir
    7. O bloco ser de ferro fundido para aguentar melhor a sobrealimentação, é no mínimo questionável. Não que seja um defeito, é claro. Quanto à potência específica, nada de mais. Os japoneses já tiravam bem mais cv por litro de motores de 4 cilindros turboalimentados que equipavam esportivos pequenos, há 20 anos atrás, com total confiabilidade e durabilidade, embora distantes em economia de combustivel.

      Excluir
    8. Turno alimentados? não precisa nem ir tão longe. A Honda mesmo já conseguiu em torno de 120cv/l em um 2.0 de aspiração natural (vide S2000) feito em alumínio.

      Tudo bem que não é torcudo em baixa quanto esse audi, mas levem em consideração que isso foi a 13 anos atrás e sem sobrealimentação.

      Pena que não trouxeram o roadster Honda para nossa terra.

      Mendes

      Excluir
  5. Ótima avaliação, como sempre!
    Faltou um vidiozinho Bob! Estamos ficando mal acostumados (risos..). Mas, ao mesmo tempo, acho que um esforço maior neste sentido é válido. Sugiro um formato de vídeo como faz o NA (câmera presa ao vidro ou teto solar), que somado à qualidade dos comentários de vocês e principalmente às fantásticas cambiadas fariam toda a diferença.
    Pensem nisso! Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Celestino
      Iremos incrementar os vídeos, aguarde. Sou de opinião que um quadro vale por mil palavras e um vídeo vale por mil quadros...

      Excluir
  6. Bacana e bonito! Mas muito caro... Olha a lista de opcionais que deveriam ser de série por esse preço!! Tb sou mais do A3.

    ResponderExcluir
  7. Como é esse esquema do diferencial?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio Alexandre
      Estou para receber a informação, desenho, raio-X etc. Haverá post técnico a respeito.

      Excluir
    2. Também estou querendo saber que bruxaria o grupo VW fez para que a transmissão DSG de sete marchas tenha duas relações de diferencial e, mais ainda, que ambas as relações abranjam ao mesmo tempo marchas pares e ímpares, ainda mais que falamos de uma transmissão em que as mesmas estão separadas fisicamente. Será uma solução como a da Nissan, que acrescentou uma engrenagem extra a seu CVT para conseguir relação de diferencial de 7,3 a 7:1 (conforme a cilindrada do motor em que é aplicada a caixa)?
      Seja lá o que for, achei a ideia simplesmente genial, por ter uma relação bem baixa para que as marchas mais baixas tirem o carro o mais rápido possível da imobilidade e permitam que ele ganhe velocidade mais rapidamente e as três últimas serem maximizadas para desempenho e economia de combustível. 120 km/h a 2.770 rpm sem que isso deixe o carro molenga na hora de sair da inércia e obrigue a subir as rotações é muito fantástico para que isso passe em branco.

      Seria interessante saber se essa dupla relação de diferencial pode ser aplicada a transmissões manuais, pois permitiria aí agregar as tais vantagens de menor esforço para sair da inércia e funcionar em altas velocidades com baixas rotações. Dá também margem para saber se haveria alguma forma de se fazer esse sistema funcionar como uma reduzida física, algo que seria útil em veículos fora de estrada com plataforma de carro de passeio (um Tiguan, por exemplo), ou mesmo algo que pudesse ser acionado pelo motorista para ter algo adequado a diversas situações. Imaginemos que o cara está em um percurso majoritariamente plano e queira ganhar mais economia de combustível. Em uma situação dessas daria para sossegadamente sair da imobilidade com 3,277 sem que isso massacre o veículo (ainda mais que a curva de torque é plana). Já em uma subida muito acentuada torna-se interessante manter 4,438 mesmo para as marchas altas.
      Fora isso, o carrinho fica bem interessante se pensarmos em seus 19,6 km/l na estrada e a baixa rotação a 120 km/h. Não tenho dúvida que um número razoável de motoristas conseguiria fazer o carro passar dos 21 km/l sem técnica apurada de condução (hypermiling). 882 km com apenas 45 l de gasolina impressionam de qualquer forma, mas consigo ver potencial para que alguém atinja 1.000 km em apenas um tanque.

      Excluir
    3. O automatizado da Ford também em dois diferenciais.

      Excluir
    4. Harry Stefano01/09/12 20:42

      Bob, e demais autoentusiatas. Segue um link que esclarece mais sobre os 2 diferenciais dos cambios VW/Audi.

      http://caranddriverbrasil.uol.com.br/garagem-cd/oficina/o-misterio-da-quinta-marcha-do-volkswagen-jetta-tsi/2288

      Excluir
  8. Carrinho interessante. Mas se 109 mil é caro, 140 é fora de propósito! Uma pena, mas ainda pretendo comprar um carro pequeno é rápido (melhor coisa para o dia-a-dia ficar mais divertido)

    ResponderExcluir
  9. Visualmente bonito, com excessão desse "arco prateado" que na minha opinião matou o visual. Ainda sim um carrinho admiravel.

    E essa sobrealimentação hibrida deve ser show aliado ao motor pequeno e injeção direta. Só que por aqui é bom lembrar que o consumo será (um pouco) pior devido ao E20 e E25 que temos aqui.

    Pena que é caro (como tudo aqui nesse país), mas pra quem pode pagar imagino ser uma excelente opção.

    Mendes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mendes, o arco na cor prata é opcional...

      Se for só por isso, pode encomendar o seu sem essa pintura!

      Excluir
    2. Mendes
      Também não gosto desse arco.

      Excluir
    3. Eu vi ontem atrasadamente que o arco era opcional. Menos mau pelo menos.

      Mendes

      Excluir
  10. Acho que pela pouca diferença na performance (pelo menos no que indica a ficha técnica) e pela grande diferença de preço, acredito que "foguetinho" por foguetinho eu ainda fico com o DS3!
    O que me dizem, Bob e AK?

    ResponderExcluir
  11. Esse é o meu número, pena que o preço.... Ainda acredito que o brasil (minúsculo mesmo) vai ser um país decente um dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesiel,

      O Brasil (com B maiúsculo mesmo)será um país decente quando nós, o povo que aqui vive, ter a noção exata dos deveres a cumprir e depois (e só depois) dos direitos a exigir.

      A essência do ser humano é sempre a mesma, seja em qual país for. Governos sérios, leis e educação é que fazem a diferença, seja aqui ou na Alemanha.

      Excluir
    2. Por enquanto vai de b minúsculo. Não está fazendo por merecer mais que isso.
      As eleições estão aí pra gente tentar fazer esse "b" crescer um pouco.
      E quanto aos direitos e deveres, por enquanto também é apenas uma via de mão única.

      Excluir
    3. Sem entrar no mérito da política, gostei tanto do DS3 quanto do Audi. Ficaria com o Audi por causa do S-Tronic (uma maravilha da tecnologia), mas acho que vez ou outra ficaria com saudades de passar as marchas do meu carro...

      Excluir
    4. Devo ser trucidado por uns e outros, mas como sempre não resisto.
      Seremos um país com B maiúsculo (no que se refere a carros) quando colocarmos as coisas em seus devidos lugares quer ver: há pouco tempo tivemos aqui autoentusiastas elogiando os dotes “esportivos” de um Toyota Corola, falando de desempenho surpreendente de uma moto Custom e dizendo que um Uno Mile é um excelente carro para um Trackday.
      Se eu trabalhasse em uma fabrica de automóveis eu jamais pensaria em oferecer uma versão mais apimentada, pois eles (os brasileiros) estão tão felizes com o que oferecemos, pagam caro e ainda elogiam.
      Igualmente jamais pensaria e cobrar menos por produto que tivesse uma performance diferenciada, pois os Brasileiros que realmente conseguem por as coisas em perspectiva e podem pagar são tão poucos que é melhor ganhar mais mesmo em pouquíssimas unidades.
      Esta de dizer que “da para se divertir” é verdade mas também dá para se divertir em um parque de diversões com “carrinhos de batida” como eram conhecidos no meu tempo de criança.
      Acosta

      Excluir
    5. Thales
      Mas você passa marchas nos câmbios robotizados. Eu só guio carros com esse tipo de câmbio trocando manualmente, e pela alavanca. É um show!

      Excluir
    6. KzR:
      Num dualogic a troca manual é bem mais rápida que no modo auto.
      Mas Bob, acho que, apesar de se ter esse recurso, a ausência da pisada na embreagem não gera a mesma emoção ou conexão carro-condutor.

      Prefiro geralmente os manuais, mas em certos momentos, a vontade de se ter o modo automatico de trocas é grande... hehehe

      Excluir
    7. Acosta, você teria razão se não fossem colocadas as coisas em perspectiva. O AE precisa fazer mais críticas mas sabe reconhecer as qualidades de cada carro, só ficar criticando tudo por criticar também não leva a lugar nenhum

      Excluir
    8. Hahahahahahahaha Desde quando ELEIÇÕES mudam alguma coisa aqui????

      Vão sonhando....se vai mudar, vai ser pra PIOR. Isso é BRAZIL (com Z mesmo)

      Excluir
  12. Dá de 10 em Toyobaru com motor de motocicleta...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comparação mais sem propósito!

      Excluir
    2. O 86 tem 20 m.kgf a mais de 6500, bem elástico....

      Excluir
    3. O 86 é para outro público, não misture as coisas.

      Excluir
    4. Japonês tem mania de reinventar a roda...

      Excluir
    5. Reinventaram a roda com um carro baixo, leve de tração traseira e feito inteiro pensando na esportividade. Vai ser uma lenda assim como foi o Supra enquanto o A1 pode ser muito bom mas dificilmente será tão bom quanto e será lenda

      Acho estranho que reclamam que não se fazem mais carros entusiasmantes e esportivos e quando aparece um exatamente assim preferem um tração dianteira hatch com suspensão de Polo mesmo

      Excluir
  13. Porque onde tem os lugares para video, para mim só aparece uma tecla de play? Pego a URL e é: http://img2.blogblog.com/img/video_object.png

    No recente post do Roberto Agresti acontece a mesma coisa. Se for problema do meu computador, me desculpem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é pq esse link que vc postou é de uma imagem a terminação .png é de imagem e não de video.

      Excluir
    2. É essa imagem (http://img2.blogblog.com/img/video_object.png) que aparece, por exemplo, logo acima da ficha técnica. Não tô entendendo.

      Excluir
  14. Filippe Barros01/09/12 14:38

    É certo que é um carro rápido mas é muito caro, por esse preço prefiro um Subaru Impreza WRX com seus 270cv e tração integral, esse sim carro de autoentusiasta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe
      To contigo e nao abro
      Adoro o WRX !.... mas esse pequeno Audi da uma coceira danada!
      Pior que o cobreiro que peguei em baixo do braço e nao me deixava em paz!
      Jorjao

      Excluir
    2. Felipe,
      Como assim, "esse sim, é carro de autoentusiasta"? A frase certa, do ponto de vista técnico, seria "esse também é carro de autoentusiata" (e que é mesmo, sem dúvida alguma). Já dirigiu o A1 Sport ou sua opinião é apenas "pilotagem de leitura"?

      Excluir
    3. São carros com propósitos muito diferentes, além do que o WRX, zero, custa mais caro.

      É igual justificar que não gosta de maionese pq laranja não tem antena.

      Excluir
    4. Tração integral x tração dianteira... Comparação entre laranjas e jilós...

      Excluir
    5. Pilotagem de Celta mesmo.

      Excluir
    6. Filippe Barros03/09/12 19:07

      Ok Bob, o audi também é de autoentusiasta.

      Excluir
  15. Lorenzo Frigerio01/09/12 14:38

    2800 rpm a 120 km/h num caro de 7 marchas e 185 hp é um tanto alto, hem? A VW/Audi realmente não gosta de câmbio longo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo
      Voce acertou !
      A Audi nao gosta de cambios curtos ... e nem longos ...
      A Audi gosta de cambios na medida certa .. Como tem que ser!
      Submeta-se a primazia tecnologica

      Excluir
    2. "Submeta-se à primazia tecnológica"
      Rapaz, você deveria ser contratado pelo marketing da Hyundai.
      Imagina essa frase com aquela voz grave do locutor das propagandas.

      Excluir
    3. Qua qua qua! Lucas, mandou bem, tou me borrando de rir...

      Excluir
  16. Vejo aqui as pessoas reclamando do preço desse Audi mas não consigo concordar com isso. Se analisarmos o mercado BRASILEIRO, esse carro não é tão absurdamente caro assim. Esqueçam o tamanho dele, pois não é a lata que custa caro, e sim a marca, a construção, o acabamento e o status. Se levarmos isso em consideração, esse carro é muito superior a uma Toyota SW4 em todos os aspectos possíveis no uso urbano e em estradas pavimentadas, e mesmo assim um SW4 zero km custa mais de 170 mil reais.
    Hj não o temos mais, mas não custa lembrar que mesmo o finado Civic SI custava mais de 100 mil reais, e era um carro nacional. No caso desse Audi, alem do IPI, temos também o II, e o peso da marca, que jogam o preço pra cima.
    A1 Sport e DS3 são carros pra quem não está preocupado com o tamanho do carro, e sim com o prazer em dirigir. O preço está adequado ao padrão de construção, qualidade e segmentação dos carros (compactos premium).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Brasil os carros custam caros, seja pela ganância das montatoras/revendedoras e pela ganância em explorar o brasileiro em impostos! Tão caro quanto comprar é manter um carro seguindo a risca o recomendado em manutenção. Fora o preço dos combustíveis.

      Excluir
    2. Escolheu como paradigma de comparação o SW4, outro carro que como o A1 tem o preço fora da casinha... Que tal comparar com o A1 com o DS3?

      Excluir
    3. Filipe_GTS02/09/12 15:52

      Eu tava gostando, pois também estou de saco cheio com esse chororô de que é muito caro.
      Mas quando falou em SW4, ai ai ai, nada a ver. Esse A1 é feito pra levar 2, SW4 é feito pra levar 7! (e no barro)

      Excluir
    4. Filipe, esse papo de bancos peidados, barro... Freud explica!

      Excluir
  17. Primeiramente, Mestre Bob Sharp que Post Impecável !
    Fico imaginando essa Belezinha com um Câmbio Manual o que Acha ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruann
      Sinceramente, hoje hoje prefiro robotizados (uma ou duas embreagens) a manuais. Motivo principal: em termos de ligação motor-rodas motrizes é um câmbio manual na sua essência, a ligação é tão "seca" como. Com as vantagens de se ter operação automática quando eventualmente desejado, de se trocar marchas manualmente sem ter que "passear" pelo "H", de não ser preciso mais fazer o punta-tacco e de ao parar o câmbio já ir para primeira.

      Excluir
    2. Pena o Punto T-Jet não ser automatizado não é Bob?

      Excluir
    3. É mesmo, anônimo piadista de 18:59? Não tem mais o que fazer não, ficar falando besteira aqui? Outra desse será "calcinado", removido sem deixar vestígios.

      Excluir
    4. Ta bom, mais não se irrite

      Excluir
    5. Não entendi a piada do T-Jet nem a ira do Bob...

      Excluir
    6. tbem nao...

      Excluir
    7. Vejam a resposta que dei ao leitor Ruann e o comentário do tal sujeito logo a seguir, e vocês entenderão.

      Excluir
    8. Hummer Simpson03/09/12 11:11

      Também não entendi a piadinha do T-Jet nem a ira do Bob...(2)

      Excluir
  18. Olhando friamente os numeros não se percebe vantagem em relação aos turbos modernos ou estou enganado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 01/09/12 17:05
      Correto, não há nada de tão especial nos números, embora sejam elevados, como mais 1 m·kgf e 20 cv que o Citroën DS3, que tem cilindrada maior. O ponto forte deste A1 é resposta ao acelerador e consumo/emissões de CO2.

      Excluir
    2. O sr tem razão. Acho que a pega dos turbos não permite tal torque especifico com rotações tão baixas.

      Excluir
  19. Máquina incrível. Chega a ser "chato", de tão perfeitinho que deve ser...

    Imaginem com uma tração traseira...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas
      Claro que seria interessante um carro desses com tração traseira, mas não é o DNA da Audi. Fora que com motor transversal tração traseira não vai tão bem, é preciso colocar um par cônico na trasmissão para mudar o sentido em 90°.

      Excluir
    2. O DNA da Audi é a tração total, desde os tempos do Audi Quattro. Não dá pra reclamar...

      Excluir
    3. Ariadna também chega a ser chata, de tão perfeitinha que deve ser...

      Imaginem se fosse mulher!

      Excluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Bob, como é fica na prática esse diferencial autoblocante eletrônico?

    E o motor não fica numa orquestra de ruídos e chiados por causa do compressor e do turbo?

    E por último, ele arranca como um 1.4 ou é impossível de notar em nenhum momento?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perneta
      O bloqueio na verdade é frear a roda que vai patinar, recurso que vem sendo usado cada vez mais pela indústria. O chiado do Roots foi eliminado com desenho dos rotores e encapsulamento da unidade. Arranca como se não se fosse um 1,4-L. A taxa de 10:1 ajuda nisso, tanto que a Audi não teve receio de dizer em no uso lento o motor funciona aspirado.

      Excluir
    2. Melhor que diferencial com 2 relações, é ter 3 diferenciais como o WRX...

      Excluir
  22. Estava esperando um bom TD deste carro, pois lá fora é opcional a tempos, tanto quanto a tração Quattro, que para aqui, passou longe.

    Imaginem este carro com a tração Quattro ! Foguetinho sobre trilhos.

    Parabéns novamente caro colega Bob, ótimo e rápido teste.

    ResponderExcluir
  23. Marcelo Augusto01/09/12 19:14

    Com o carro movimentando lentamente e pouca carga, o sistema prefere mandar todo o ar para o turbocompressor (mesmo que nessa condição comprima pouco) do que ligar o compressor (que já começaria a dar pressão) mas roubaria força do motor. É isso mesmo ou entendi errado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo Augusto
      Não é nada disso. O texto está claro.

      Excluir
    2. Marcelo Augusto01/09/12 22:56

      Interessante que, sendo necessário, o turbocompressor pode voltar a funcionar sozinho novamente, por isso a minha premissa errônea que era para evitar esforço desnecessário:

      "Upwards of an engine speed of approx. 3500 rpm, the exhaust gasturbocharger alone can generate the required charge pressure atany operating point.The control flap is fully open and the fresh air flows directly to theexhaust gas turbocharger. In all conditions, the exhaust gas nowhas enough energy for the required charge pressure to be producedby means of the exhaust gas turbocharger.The throttle valve is fully open. A pressure of up to 2.0 bar (abso-lute) is present inside the intake manifold.The charge pressure of the exhaust gas turbocharger is measuredby the charge pressure sender G31 and regulated by the chargepressure limitation solenoid valve N75."

      Excluir
  24. Bob
    Caramba 180/190km/h em curva! Parece F1 !
    Eu mal tenho coragem de chegar a isso em reta!
    Barrabas!

    ResponderExcluir
  25. Que carrinho interessante! Mas por uns R$60 mil estava bom né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria um sonho, não um carro!

      Excluir
    2. Mister TURBO03/09/12 12:07

      Nem usado se acha nesse preço!!

      Excluir
  26. Speed mexânico01/09/12 20:28

    Com 65 da comprar um gol 1.6 0km e deixar tão bom e mais confiável quanto esse A1 e andando muito mais.
    Claro que o A1 seria melhor, óbvio, mas nesse país, um A1 custando 110 mil, temos que fazer nossa frente de batalha, e esse gol 1.6 a única desvantagem seria um consumo um pouco abaixo do A1, com módulos novos e boa preparação já é fato que dá pra fazer 16,5 na pista andando dentro do limite de velocidade com gol 1.6 turbo, muuuuito bem feito. Sem falar o tesão de vc ter comprado uma coisa, coloca-lá mais potência, ainda sem tendo uma excelente autonomia, andando mais que um A1 de 110 mil.
    o A1 é melhor que um gol g5 1.6 perfeitamente adaptado e turbo alimentando, mas o que cobram aqui é extra terreno. Prefiro o meu Frankenstein tecnológico adaptado.
    109 mil reais... converta em dólares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, Gol 1.6 mexido = Audi A1... parece até aqueles programas pastelões da rede plim plim, que passam de sábado à noite.

      Outra coisa né, gastar 60 mil num Gol já é piada de mal gosto.

      Excluir
    2. Não precisa de tanto dinheiro assim pra fazer um Gol 1.6 andar mais que esse A1... Com 60 mil, esse Gol 1.6 vai deixar esse Audi quilômetros para trás...

      No mais, o painel é quase igual. Do lado de dentro, a visão pelo parabrisa vai ser parecidíssima!

      Excluir
    3. Filipe_GTS02/09/12 15:59

      Gostei quando disseste "temos que fazer nossa frente de batalha". É um bom pensamento

      Excluir
    4. Que fica mais rápido até vai, mas dizer que fica tão economico quanto ou mais confiável já é groselha. Sem contar que a comparação de carro mexido com carro forte original nunca é boa, o mexido continua sendo um Gol ou um Corsa que voce gastou um monte de dinheiro, o original custa mais caro novo e toma pau mas faz mais curva, é mais seguro, mais equipado e tem garantia e seguro além de rodar sem medo de batidas policiais (coisa que não existe com o mexido)

      Excluir
    5. Importantíssimo o consumo para quem gasta 140 paus num carro... Valha-me Deus!

      Excluir
    6. Cada um cada um colega, quem compra carros de 80 ou 90 mil como Civic ainda costuma se importar com consumo mesmo o carro sendo caro. Consumo é o maior gasto do carro, maior que seguro ou manutenção. Além disso tem gente que simplesmente acha errado carros que consomem muito

      Excluir
  27. Grande BOB, meus parabéns pelo blog. Leio quase todo dia e sou fã de carteira da Volks. O A1 me pareceu um excelente carro.

    Esse motor é o EA211 ? Soube que estão testando motores novos na fábrica da Volks em São Carlos. Sabe dizer se haverá no futuro motores EA 211 sobrealimentados no Brasil ? Um Polinho com motor 1.4 turbo seria ótimo.

    Estou no aguardo de mais informações sobre os dois diferenciais do câmbio. Suponho que o esquema seja parecido com o DSG de 6 marchas usado no Jetta TSI.

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno Fernandes
      Não é o EA211 ainda, que inclusive será feito em São Carlos. Entre as novidades desse motor está o coletor de escapamento integrado ao cabeçote./Sim, o esquema das duas relações de diferencial certamente é o mesmo do 6-marchas do Jetta TSI.

      Excluir
    2. Esse motor do A1 é usado também pela VW???

      Excluir
  28. Bob, me tira umas dúvidas:
    -Não seriam três relações de diferencial, por causa da ré? Caso afirmativo, o porquê de uma relação exclusiva para a ré?
    -As relações estão amarradas a determinadas marchas. Uma exclusiva às marchas 1 a 4, e outra exclusiva às marchas 5 a 7. Essa segunda relação de diferencial não poderia ser compensada variando-se as relações de marchas a ela associadas? Ou essa solução é para otimizar uma relação a um refinamento que não seria possível com a variação de dentes de uma única (ou par) engrenagem?
    -Me desculpe a ignorância, mas o que você quer dizer quando diz que o motor é um "girador"? Penso que seja subir rápido e liso no giro. Seria isso?
    Obrigado e um abraço. O BLOG tá show.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AGS
      Estou esperando um material didático o treinamento da Audi, quando vou ver como tudo funciona e por quê. Por enquanto nada tenho a responder a você./ Motor girador é o vai bem e fácil às altas rotações, com potência. É um jargão.

      Excluir
  29. R$140 mil num ovo de 4 metros com tração dianteira e barras de torção na traseira... Brasileiro é um bicho otário mesmo! Mas enfim, quem compra um bicho desses tá fazendo sua parte pra ajudar a tirar a Europa do buraco...

    Em tempo e falando sobre a concorrência do A1: folheando o Estadão hoje, vi anúncios de MINI BLINDADO. O Brasil deve ser o único país do mundo onde existe uma aberração dessas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi a revolta. Se o cara tem pra comprar, o dinheiro é dele e ele compra o que quiser.

      Revoltante mesmo é essa mania que as pessoas estão em tentar decidir o que os outros devem comprar.

      Tá caro? Tá, mas compra quem quer. Otário é quem se incomoda com o que é dos outros. Se você não quer, simples, não compre.

      Sobre carros blindados, eles são para a segurança do ocupante, independente de ser um MINI ou uma Hilux, a intenção é de proteger os ocupantes de levar um tiro na cara. Sendo assim, se o cara quiser pode blindar até um Gol. Outra mania otária, ficar julgando sobre os cuidados que cada um quer pra si mesmo.

      Excluir
    2. Puxavida! E eu achando que se blindavam os carros para eles ficarem mais pesados e com mais tração nas curvas! Obrigado pelo sábio esclarecimento, Einstein!

      Excluir
    3. Executivo-de-montadora detected!

      Excluir
    4. Onde mais se blindam Minis? No Iraque, talvez?

      Excluir
    5. Anônimo 2/9/12 00:44
      Você está mesmo precisando ler mais o AE – barras de torção na traseira? Não tem nada disso no A1! Também, desde quando preço de carro é relacionado a tamanho e a tração? O Tata Nano de 3.000 dólares é tração traseira...

      Excluir
    6. KKKKK, barra de torção????????????????????????

      Excluir
    7. Acho que ele quis dizer eixo de torção... Enfim, não é multilink. É suspensão de Gol Mil... Um absurdo num carro que chega a 140 mil reais.
      Um Focus custa um terço disso e tem uma suspensão traseira bem mais moderna...

      Excluir
    8. anonimo da suspensão e o que vc acha de neguinho pagar seis casas antes da vírgula numa camionete com eixo rígido na traseira?

      Excluir
    9. Passatinho com seu modesto 1.5L e tração dianteira e eixo de torção na traseira surrava nas curvas os "esportivos" nacionais dos anos 70/80 com motores de mais de 4 litros e tração traseira...

      Excluir
    10. Esportivo com mais de quatro cilindros nos anos 70/80? Se você se refere a Opala, Mavelixo e Dodge Chaleira, esqueça! Carrinhos de quinta feitos para pilotos de sexta.

      Excluir
    11. Em honra ao Passat, vamos convencer a Ford a fazer um Focus com eixo de torção na traseira! Ora, anônimo das 13h33, O PARADIGMA HOJE É OUTRO. Ou quer usar como parâmetro para um carro de 2012 um Passat de 38 anos atrás?

      Anônimo das 11h05, eixo rígido na traseira faz sentido em veículo de carga (usado para carga). Agora, o preço das nossas pick-ups também é obsceno, não tanto quanto esse Audi de bolso para anõezinhos...

      Ass. Anônimo da suspensão

      Excluir
    12. O Golf até pouco tempo atrás usava eixo de torção e andava = ou mais que o Focus...

      Excluir
    13. anonimo da suspensão

      Com relação às pick-ups concordo em parte. No momento em que um veículo destes recebe motores diesel que já chegam na marca dos 200cv e podem chegar com extrema facilidade na casa dos 180 km/h o eixo rígido na traseira é uma temeridade. Se vc levar em conta que um montão de gente compra esse carro e deixa a caçamba tinindo de nova aí, piorou. Neguinho vai pegar um bicho desses e dar tratamento de carro na estrada. Já viu como termina o negócio, né?

      Excluir
    14. Bah, cara achando que eixo de torção é = a eixo rigido...

      Excluir
    15. Golf fazendo mais curva que Focus? No máximo, o Golf anda junto (desde que os dois carros estejam nas costas de uma cegonheira...)

      Excluir
    16. anonimo 3/9 22:29
      Sei muito bem a diferença entre eixo de torção e eixo rígido. Antes de vomitar seu fel aprenda a interpretar textos.

      Excluir
  30. Anônimo das 02/09/12 01:15, você é um otário. E se acha esperto... Vê se na Europa ou nos EUA alguém compra produto overpriced...
    Enfim, paga por um A6 e leva pra casa um A1... ESPERTÍSSIMO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pouco tempo atrás, com o dólar um tantinho mais baixo, levava até um A8 em alumínio, que custa menos de U$ 80 mil:

      http://www.caranddriver.com/reviews/2013-audi-a8l-30t-quattro-test-review

      De todo modo, U$ 70 mil no A1 é um bocado de dinheiro.

      Excluir
    2. Filipe_GTS02/09/12 16:02

      Nós nascemos aqui... Vamos viver nossa realidade. Esqueçam os dólares, nosso dinheiro é real.

      Excluir
    3. KzR:
      Cara, se for falar em questão de preço, até o Mille, Gol e etc. são injustos e OverPriced. Nossa lógica de mercado é assim, por mais que seja desapontador: carros custam muito mais do que deviam.

      Excluir
    4. Deixem de ser bobos, os gringos compram sim carros overpriced e existe muita coisa feita lá especialmente pra esse mercado. Tem até cueca e aparelho eletronico que custa bem mais caro que um equivalente pra ser mais exclusivo ou pra ter tudo que possa ter de melhor. Se o cara compra porque quer e porque tem não é crime nenhum, o problema é o preço daqui de todos os carros ser muito mais caro do que deveriam

      Se for ficar nessa aí também nem Uno se compra e nem usado também, afinal nossos usados também estão entre os mais caros do mundo

      Excluir
  31. Para quem ainda não conhece o "Canal do Otário", segue um dos vídeos que reflete bem o preço desse A1:

    http://www.youtube.com/watch?v=ifp3L0xYmF4&feature=player_embedded#!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô na rede
      Isso, contribua para a caixinha de mais um espertalhão da internet, acessando o VoceTubo dele – cada clique, $$$.

      Excluir
    2. É, o tal vídeo do Otário deve ter mesmo feito a Turma do Calmon subir nas tamanquinhas...

      ...e o que xongas seria "VoceTubo"...? Um site de vídeos de "suve"...?

      Excluir
    3. Uniblab
      Por que será que no vídeo o voz-rouca está com o rosto coberto, hein? Por que será? Vamos ver se você adivinha. / Turma do Calmon subir nas tamanquinhas? Acha mesmo que ele (e eu e muita gente) damos atenção a um espertalhão sensacionalista? / Isso, VocêTubo = suve, acertou.

      Excluir
    4. Engraçado Bob...tanta energia para prestar vassalagem ao Lucro Brasil e nehuma para coibir ou punir a fraude intelectual cometida contra o Corsário no outro post, comentarista sólido e antigo do blog...

      Quanto ao rosto coberto, se os FATOS que ele demonstra são verdadeiros (e não há nehuma PROVA de que não o sejam...), de minha parte não faz diferença alguma...

      Excluir
    5. Confesso que vc é das pessoas que mais admiro e me espelho no mundo do automobilismo, Bob. Mas uma parte de toda essa admiração começou a morrer com esse seu comentário. O vídeo apenas reflete o assunto que está mais que em voga atualmente em diversos setores da impressa, assunto esse que faz com que qualuqer comentário com um mínimo de lucidez seja bem vindo, e que não podemos deixar morrer ou esfriar: os preços escorchantes dos veículos, altíssima magem de lucro dos fabricantes e a pesada carga tributária do país.

      Excluir
    6. Bob, um cara que comentou basicamente a mesma coisa, mostrando a cara e assinando o nome (Joel Leite), você fez questão de justificar pelo aparente dele ser Comunista, o que é lamentável de sua parte.

      Quer dizer que um cara que comenta que estão fazendo dinheiro nas costas dos brasileiros vendendo produtos defasados pelos preços mais abusivos do mundo, lucrando mais do que em países capitalistas, apenas o faz ou por ser sensacionalista ou comunista?

      Excluir
    7. Tô na rede
      Alguém falou "altíssima margem de lucro dos fabricantes" e o povão mordeu a isca, virou verdade. Como é possível saber o lucro dos fabricantes se só um, a Fiat, por ser sociedade anônima publica balanços? E os lucros dela de escorchantes não têm nada. Quem se vale da facilidade atual de publicar vídeos para falar o que quer, sem mostrar a cara, só tem um nome: espertalhão. O vídeo do espertalhão tem vários erros, inclusive não levar em conta as diferencas cambiais. O Fusca iniciou a decadência no mercado americando depois que o marco alemão valorizou frente ao dólar de 1:4 para 1:2,5. só para dar um exemplo. Por que será que ele não se ateve apenas ao custo Brasil, os impostos em cascata que tudo encarece? Não daria retorno, porque todo mundo já sabe disso. Comentário no anonimato não vale como formação opinião. Cada vez que alguém acessa o vidéo do espertalhão a caixinha dele faz plim-plim, dinheiro entrando. Queria ver se o efeito seria o mesmo se o voz-rouquinha estivesse de rosto descoberto.

      Excluir
    8. Anônimo 2/9/12 14:36
      Eu e o Joel Leite somos amigos, como eu disse antes, e o fato de ele ser comunista explica por que ele é contra o lucro, o que não sou, absolutamente. Fabricante de automóveis não é sociedade beneficente, ele existe para dar lucro. O nosso problema é estrutural, é imposto sobre imposto, encarecendo tudo, produtos industriais, comércio e serviços. Mas o que mata toda essa discussão é o fato de mercados autombilísticos como o europeu, com preços supostamente bem menores do que os nossos, estar numa crise sem precedentes. E o Japão, devido ao iene supervalorizado, não tem mais preço nos mercados mundiais. É muito fácil enfiar um saco de papel na cabeça e sair dizendo asneira pela rede mundial de computadores.

      Excluir
    9. O pessoal fala e critica preço de carros como sendo algo primordial pra se viver, mas todo carro tem a mesma função básica, que é locomoção, uns são "piores" outros "melhores", mas se a pessoa quer um carro que vai lá e tira ela da chuva e evita esperar busão, mas não quer gastar muito, compra um popular usado, simples assim.

      Em momento algum a pessoa foi obrigada a comprar, mesmo pq ter carro não é direito do cidadão, direito é ter casa, ter educação e saúde, isso sim deveriam estar fazendo vídeos, criticando e tentando mudar.

      A geração atual reclama muito, mas reclama das coisas erradas. Reclama de preço de jogo, reclama de preço de bebida, reclama de preço de carro... e nem dá a cara ao tapa igual a antiga fazia, agora se esconde atrás de uma máscara anônima e uma voz anterada.

      Muito bom mesmo...

      Excluir
    10. Caro Bob, ele sendo contra o lucro ou não, não justifica o fato de lucrarem mais aqui do que em qualquer outro lugar civilizado. Não há justificativa de impostos para comprarmos um carro mal equipado com motor pequeno por 30mil reais ou 15 mil dolares, com isenção de IPI. Não justifica o fato dos fabricantes terem lucro de ~10% aqui, 5% na Europa e 2% nos EUA e ainda assim, contarem com o apoio estatal na primeira ponta de crise.
      Também não sou contra o lucro, sou totalmente a favor da iniciativa privada e da livre concorrência. Se a Fiat ou qualquer outro fabricante queira continuar cobrando o que cobra, tudo bem mas que o governo abra nosso mercado para a concorrência. E que as nacionais se explodam todas, ou passem a vender os produtos num preço mais aceitável ou mais equipados.

      Os impostos são altos mas já está mais do que provado que não justificam a diferença de preço, muito menos a mesquinharia dos fabricantes aqui em venderem carros sem cinto retrátil entre outras economias de palito de dente.

      Essas críticas são importantíssimas para conscientizar o mercado, venham do Joel Leite ou de um zé mané com um saco na cabeça.

      Excluir
    11. Anônimo 02/09 16:00

      Tenha em mente que esses "10% aqui" foram vazados para a impren$a amestrada logo após a reportagem da Forbes e o vídeo do Otário; sabemos na prática que é muito mais do que isso...

      Quanto ao Joel, no país da piada pronta, em que os ditos "libertários" do site Ordem Livre fazem defesa do Lucro Brasil, não surpreende que um comunista o denuncie...como dizem nos EUA, "até relógio parado tem razão duas vezes por dia".

      E é bobagem perder tempo discutindo com a Turma do Calmon; deixemo-los continuar com a vassalagem enquanto sua credibilidade escorre pelo ralo.

      Excluir
    12. Marcelo Augusto02/09/12 18:19

      Fico espantado com a quantidade de acéfalos que engordam essa turma do Youtube, com discurso sem base alguma, coisa de ADG0068 e agora esse Otário.

      Os caras ganham 3000 reais por mês às custas desses verdadeiros otários que estão inscritos em seus canais. Os nomes acima estão todos lá, Uniblab e etc...

      Excluir
    13. BOB:

      Estou aqui boquiaberto, pois até agora não compreedi essa discussão. Nós, apaixonados por automóveis e formadores de opinião, somos os que mais deveriam levantar essas questões. É indiferente se o cara lá do Youtube ganha ou não por cada acesso em seus vídeos. O que importa é ser mais um que levantou a bandeira de que os automóveis no país são vendidos a preços insanos, e que cabe exclusivamente ao consumidor mudar essa história.


      MARCELO AUGUSTO:

      Vc deve ser o típico consumidor que paga 80 mil por um Corolla. Mas como o importante é ser feliz, a Toyota agradece que existam pessoas como vc.

      Excluir
    14. Filipe_GTS02/09/12 23:42

      Só pela baixeza que ficou a discussão por parte do grupo Tô na rede!/Uniblab, estou do lado do Bob

      Excluir
    15. KzR:
      Não acredito que as margens de lucro dos fabricantes sejam estratosféricas, mas são bem abusivas para o consumidor. Senão, então por que uma empresa acrescentaria agora AirBag2 + ABS para ficar em conformidade com a lei e sem alterar o preço base de certo modelo? Ou então, por que ela daria descontos para um modelo com longa carreira de mercado? Só para mantê-lo vivo é que não é.

      Excluir
    16. KzR:
      De certa forma, há razão entre as duas linhas de pensamento. Primeiro, vejo os videos do Cara de Saco como forma de chamar mais a atenção com respeito a questão dos preços. Pode ser sensassionalista e exagerado, mas consegue cumprir bem esta função. Mais pessoas começaram a se preocupar sobre esse asunto.
      Segundo, o que o Bob falou também pode ser verdade. Há muitos casos de gente que quer se dar bem. E temas polêmicos atraem muita atenção. De toda forma, é bom ficar alerta quanto a isso.

      Excluir
    17. O Bob tem as opiniões dele e vai morrer com elas, mesmo que muitos discordem. Eu particularmente lembro que muitos tiraram sarro quando o Calmon tentou explicar o índice Big Mac. Eu particularmente gosto das notícias do Joel, bem mais que do Calmon. Só acho estranho pessoas esclarecidas tentarem sair pela tangente ao procurarem defeitos que não são o assunto principal, que é o preço absurdo que nós aceitamos. Pode ser o mesmo que discutir o sexo dos anjos, mas ainda sim é melhor do que deixar de lado.

      Excluir
    18. http://click.uol.com.br/?rf=home2011-vertical-H2-direita&u=http://carros.uol.com.br/noticias/redacao/2012/08/31/carro-novo-feito-no-brasil-ja-chega-defasado-e-expoe-nosso-atraso.htm

      Excluir
    19. Viram o vídeo dele do Big Mac? Hilário.

      Excluir
    20. Rafael Ribeiro03/09/12 19:27

      Bom, parece que todos tem razão em alguma coisa, sendo assim, muitos estão sem razão também...

      O fato é que o preço dos carros foi objeto de reportagem do New York Times, que chamou os brasileiros de ingênuos (ou otários mesmo) ao comprar carros que nem são de luxo, como Grand Cherokke, Civic e Corolla, por questão de status, pagando preços de Mercedes, Porsche e semelhantes. E o repórter não ficou no anonimato.

      Na mesma semana, o Jornal O Globo publicou matéria complementar, mostrando que a margem de lucro das montadoras no Brasil (10% em média) é cerca de 300% maior que nos EUA (contra 3%, em média) e quase o dobro do resto do mundo (cerca de 6%).

      Excluir
  32. Para O Bob Sharp na matéria sobre o Audi.
    Bob, uma pequena correção, ao começo do seu texto você referencia o "clube dos 200", que na verdade não é dos e sim das, clube das 200 milhas por hora, muito acima dos 227 km/h de final que você informou sobre o Audi em pauta.
    Abraço,
    Ricardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo
      O "Clube dos 200" vai de 200 km/h a 299 km/h. No caso, 200 milhas por hora, ou 320 quilômetros por hora, já é "Clube dos 300"...

      Excluir
    2. Bem, isso falando em km/h.
      Essa nomenclatura deve ser regional, adotada tal vez recentemente, o que se conhecia e conhece mundialmente é o "clube das 200", que são milhas/h.
      Nesse clube entram pouquíssimos carros de rua que conseguem passar das 200.
      Nunca tinha escutado isso em km/h...

      Excluir
    3. Pára de picuinha, vá!

      Excluir
    4. Onde lê-se vocâbulo, leia-se: vocábulo.

      Excluir
    5. ...ou será vocáburro ???

      Excluir
  33. Baita "downgrade" em relação ao finado A2.

    ResponderExcluir
  34. 19 km por litro na estrada e 185 cv com motor 1.4 ,fantastica a engenharia da Audi.Abraços,Fabio.

    ResponderExcluir
  35. Um baita carro, mas a Audi finca a faca e roda no preço.

    ResponderExcluir
  36. KzR:
    O A1 é um daqueles carros que é muito difícil comparar com outros tipos. Como DS3 e Mini Cooper S... são carros únicos. Acredito que seja hoje a maneira de se conciliar racionalidade, emoção e imagem em apenas um pacote. Racionalidade por causa do espaço e do baixo consumo. Emoção nem precisa dizer no A1: 185cv, 25.5kgfm, baixo peso, Audi... Imagem idem.
    Claro que cobra um alto preço por isso, mas é como o Bob falou: deve valer cada centavo tê-lo a disposição. É carro de AE sim.

    Bob, como foi essa sensação de nada ao volante? Sem comunicação entre as mãos e as imperfeições do caminho? Não se saber como está reagindo o carro impendindo você de antecipar uma ação?

    ABS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KzR
      Como assim? Não há nada faltando, a direção é perfeita. O que não gosto é justamente sentir o piso no volante. Minha sensação num carro se prende às acelerações longitudinais e laterais. É essa, inclusive, a razão de eu não gostar de simuladores.

      Excluir
    2. KzR:
      Bob, pelo que entendi no seu comentário, é que não se sentia nada ao volante, como se ele não comunicasse a reação do carro ao motorista (realmente, sentir o piso no volante é muito desagradável). Pelo que já li sobre o A1, muitos jornalistas acharam a direção do A1 um pouco anestesiada. Disseram também que a do DS3 transmite mais emoção em comparação.

      E concordo com você: não tem como desconsiderar a sensação das forças G agindo sobre o carro e o seu corpo.

      Excluir
  37. Belo carro, a filosofia de um Lancia S4 de rally (menos a tração) para o dia a dia!

    É caro, eu olharia antes - na questão custo/benefício - para um A3 ou um "barato" Jetta que é o mais em conta a ser coroado com essa família de motores; mas isso é problema do meu perfil, e não do ótimo A1 em si...

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anão Gigante03/09/12 10:18

      Também me lembrei das S4 que dispunham da mesma solução ( na época para minimizar o lag ): compressor volumétrico e turbina.

      Excluir
  38. Ainda prefiro o Cooper S , 184cv 0-100 em 6.8s, peso potencia de 6,14 mais estiloso, com o torque de 1500rpm a 6000rpm basicamente em toda faixa de rotação, melhor de curva,

    Mas este audi ficou bacana, é mais em conta que o mini, porem se for olhar preço nada bate o DS3 por 79k

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... DS3 na cabeça. A Mini no Brasil viajou alucinadamente na hora de colar a etiqueta com os preços.

      Excluir
    2. BOB
      O cara aparece com um saco na cabeça e vc não sabe o porquê? Ora essa, medo de tomar um processo nas costas! Mas não adianta mais ninguém espernear, a coisa pegou e muita gente não vai mais dormir direito. Que se danem esses safados.

      Excluir
    3. Anônimo 03/09/12 10:58
      Se o que o espertalhão diz é verdade, não há como ser processado. Não lhe parece claro?

      Excluir
    4. Bob
      Se é verdade ou não, não sei. Mas é visível que os carros aqui são caros pelo pouco que oferecem. No tocante a discussão em torno das margens de lucro acho isso bobagem. Pouco importa se ela é de 10 ou 100 por cento, isso lá é com eles e não serei eu a dar pitaco em como se administra uma fábrica, soaria ridículo até. Pra mim o que importa é que os carros sejam tão bons e seguros como são os europeus ou norte-americanos. Acho que pra isso eles não precisam ter preços na estratosfera, não é mesmo?

      Excluir
    5. Sim, Bob, basta ter razão para não ser processado, ahahahahah! Entendes de carros, mas LHUFAS de direito. Como se contratar um advogado para se defender em um processo - MESMO TENDO RAZÃO - não custasse um bom dinheiro. Sem contar que empresas gigantescas tem acesso às melhores bancas de advocacia do país...

      Excluir
    6. Anônimo 03/09/12 17:16
      Quem não entende lhufas (há quanto tempo não lia esse termo!) é você. Nenhum fabricante seria doido de processar uma pessoa que afirmasse coisas certas, bem fundamentadas.

      Excluir
    7. E faria o quê, então, Bob? Quietos certamente é que não ficariam, daí o receio em mostrar a cara.

      Excluir
    8. Bob, eu nunca fui piloto e por isso não vou discutir com você o jeito certo de segurar o volante ou de fazer punta tacco. Sou, porém, advogado, e me sinto muito à vontade para falar sobre ações judiciais. Conheço alguns casos de fabricantes processando consumidores por conta de relatos na internet...

      Renault:
      http://www.gizmodo.com.br/cliente-cria-site-para-reclamar-da-renault-e-obrigada-pela-justica-a-retira-lo-do-ar/

      Fiat:
      http://www.maritonio.com.br/default.asp?escolha=pagina&tipo=10

      Ou seja: ao menos a Fiat e a Renault são - conclusão sua - fabricantes doidos, por "processar uma pessoa que afirmasse coisas certas, bem fundamentadas."

      Esse tipo de atitude das fabricantes explica o porquê do autor dos vídeos tentar proteger sua identidade.

      Particularmente, teria medo até de coisa pior. Que o diga o saudoso e querido Nehemias Vassão, colega seu no jornalismo que quase levou chumbo na fábrica da VW nos anos 70.

      Em tempo, eu apóio a luta contra o Lucro Brasil das fabricantes.

      Excluir
  39. Bob, conte como aconteceu o Test drive desse A1!
    Foi num evento da Audi ou ficou com ele por um tempo? Testou em que tipo de via?

    ResponderExcluir
  40. Perneta
    Foi num evento. O tipo de via, prefiro não revelar.

    ResponderExcluir
  41. KzR:
    Bob, pelo que entendi no seu comentário, é que não se sentia nada ao volante, como se ele não comunicasse a reação do carro ao motorista (realmente, sentir o piso no volante é muito desagradável). Pelo que já li sobre o A1, muitos jornalistas acharam a direção do A1 um pouco anestesiada. Disseram também que a do DS3 transmite mais emoção em comparação.

    E concordo com você: não tem como desconsiderar a sensação das forças G agindo sobre o carro e o seu corpo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (Desconsiderar por favor)

      Excluir
  42. Bob, você se omitir quanto ao preço dos carros é uma coisa. Agora, dar razão às fábricas e descer a ripa no cara que arranca uns caraminguás do Youtube? Esse cara joga a favor de todo e qualquer autoentusiasta! Deixa o sujeito lá com os vídeos dele, oras...

    Eu dou apoio a todos os que levantam a bandeira da redução de preços de automóveis - seja por menor tributação, seja por redução das margens de lucros exorbitantes dos fabricantes.

    Fossem os preços menos salgados e quem sabe se não teríamos Camaros em nossas garagens, e não Celtas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Focus MkI morreu custando 38 mil reais, não chegava a ser uma pechincha, mas era proporcionalmente bem mais barato que um Gol, além de ser muito mais carro. Toda a imprensa especializada elogiou o carro, mas ele nunca emplacou, nem quando ficou barato.
      Já um Golzinho 1-litro equipadinho encostava nos 40 mil reais, e sempre foi um campeão de vendas. Se eu fabrico Gol, vou baixar o preço porque ?

      Excluir
    2. Anônimo 3/9/12 17:30
      Não existe isso de "margens exorbitantes dos fabricantes". A Fiat, por ser uma S.A., é obrigada a publicar balanços. Analise-os e veja se seus lucros são excessivos. E as demais fabricantes são semelhantes à Fiat, não há por que serem diferentes. O problema estrutural do custo Brasil é um fato. E, de novo, é feio e denota falta de caráter ocultar identidade. E não pense que são caraminguás no YouTubr, não.

      Excluir
    3. Então faça assim, Bob. Escreva uma reportagem provando por A + B que as margens dos fabricantes não são exorbitantes e que o único problema é tributário. Use a própria Fiat como exemplo e compare o que acontece aqui com o que rola no resto do mundo.

      Aproveite e explique porque um Toyota Corolla similarmente equipado, despido de impostos brasileiros e americanos, custa 80% a mais no Brasil na versão básica e 100% a mais em versão topo de linha. Ou ainda porque nossos carros são exportados tão barato, coisa que a tributação não explica...

      Esse blá-blá-blá de "Custo Brasil" é muito conveniente apenas para os fabricantes, que cobram o que querem e vendem, por mera cartelização. Duro ver tanta gente na imprensa dita especializada defendendo essas carroças inseguras (viram o Latin NCAP?) vendidas a preços aviltantes...

      Excluir
    4. Anônimo 04/09/12 09:28
      Já disse e você não quer entender (ou finge que não entende). Veja os balanços da Fiat brasileira. Ou continue a achar que custo Brasil é balela.

      Excluir
  43. Simples pessoal, se eles meterem o pau nos Fabricante eles não vão mais passear de carrão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberto Afiado04/09/12 03:49

      Assim Bob diria: "Bobalhão"

      Excluir
    2. Daniel Barros
      Você está completamente por fora, exemplo perfeito do alienado. Me dá pena em vez de raiva.

      Excluir
    3. Daniel Barros, nada mais lógico. Você emprestaria seu produto para quem divulgar: o que critica ou o que fala, fala, fala e não diz nada? Simples assim.

      Excluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.