EXCESSO DE VEÍCULOS? MENTIRA!

De tanto ouvir a mentira "excesso de veículos" nos noticiários de trânsito acabamos achando que é verdade. No entanto, é uma deslavada mentira.
A grande prova de que essa mentira corre solta foi a inauguração do trecho sul  (em azul escuro) do Rodoanel Mário Covas, na região da Grande São Paulo, dia primeiro último, que tornou a problemática avenida dos Bandeirantes uma via para se passear despreocupadamente. Era tanto caminhão e carreta que mais parecia uma enorme composição ferroviária. Duas composições, lado a lado.
Quantos anos a população sofreu com os engarramentos-monstros causados pelo transporte de carga que tinha de passar pelo meio da cidade para chegar ao porto de Santos ou dele sair para distribuir as mercadorias! Tudo por inépcia de governantes.
A lentidão da obra é impressionente. O primeiro trecho (em amarelo) a ficar pronto foi o oeste, de 32 quilômetros, inaugurado em 11 de outubro de 2002. Seriam necessários pouco mais de sete anos para termos o segundo, o sul, de 61 quilômetros. O próximo trecho a ficar pronto é o leste (azul claro), de 45 km, que proporcionará ligação da Baixada Santista com as rodovias Dutra e Ayrton Senna, desafogando o trânsito da zona leste. Sua inaguração é prevista para fevereiro de 2011.
E o quarto e último trecho, o norte, em vermelho no mapa, de 44 km? Nem tem data nem para começar a ser construído. A quem devemos "agradecer"? Ao ambientalistas, ou ecochatos, seu nome mais apropriado, que temem a degradação da Mata Atlântica e têm feito de tudo para impedir que o trecho seja feito.
Somos mesmo um povo sui-generis ou não? Os ecochatos anteveem um adensamento populacional na região, como a que houve com a represa Billings. Pergunto: polícia existe para quê? Invadiu, tira, e ponto final.
Aliás, o mesmo medo de adensamento levou o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) de São Paulo a proibir posto de abastecimento no rodoanel. Fim do mundo! É a falência  da capacidade do poder executivo de manter a ordem. No trecho sul são 61 km sem nenhum tipo de apoio, loucura total.
Mas pode esperar o leitor que o trecho sul seja a mais nova filial da fábrica de dinheiro chamada Multa S.A.: a velocidade máxima é de 100 km/h. Como pode? Ainda não há controle de velocidade, mas conhecendo a turminha é certo que não demorarão a aparecer por lá os radares e detectores.
Outra coisa foi afirmarem que ainda não será cobrado pedágio no trecho, mas para acessá-lo a partir da rodovia dos Imigrantes, "plin-plin", pedágio na saída: 4 reais. Esse pessoal perdeu mesmo o resquício de vergonha que tinha na cara.
Mas o que importa é que não existe essa coisa chamada excesso de veículos. O que há é falta de vias. Falta de hospitais? Tolice, é excesso de doentes...O metrô anda superlotado? Que é isso, gente, é excesso  de passageiros!
BS

29 comentários :

  1. Bob,

    O que existe é falta de planejamento. Não adianta planejar 10 anos depois, tem que planejar 10 anos antes.

    Aqui, em todos os estados, é assim. Você faz antes para não chorar depois.

    Trânsito é algo idiota, custa para o pais e para a economia.

    Uns anos atrás eu li um paper sobre trânsito o quanto custa para o pais. Se um cara não está trabalhando por causa do trânsito, também não está consumindo (lazer, cinema, shopping, o que for) e isso custa muito ao país.

    Deveriam enxergar isso no Brasil e parar com tanta conversa e briga.

    ResponderExcluir
  2. Vi outro dia uma entrevista com um senhor que participou do projeto Rodoanel em 1970.

    Segundo ele, São paulo já devia ter esta via pronta a no mínimo 30 anos.

    Dentre outras coisas, só faltou nos chamar de burros.

    Vai explicar que não...

    Um abraço ao amigo,

    Rafael Aun

    ResponderExcluir
  3. Isto de "excesso de veículos" faz parte de velha mania do Estado, de arranjar um culpado ou um responsável, pelos problemas que decorrem da incompetencia crônica dele, Estado. É mais ou menos como aquele papo de que "todos somos responsáveis pelos menores de rua". Todos, vírgula! Eu não sou responsável por pivete abandonado nenhum, e no que dependesse de mim, ninguém poria cinco, seis, sete filhos no mundo, quando tem condições de cuidar de um, e olhe lá. Mas vá se falar em um programa de controle de natalidade: a turminha dos "direitos humanos", das Ongs, e dos políticos interessados na indústria do assistencialismo se esforçam em fazer crer que ali está nascendo um novo Hitler.

    ResponderExcluir
  4. Carlos Scheidecker
    É isso, planejamento. Mas é uma coisa meio odiada por aqui. Quando planejaram a Av. Brasil, no Rio, década de 40, a grita foi enorme, tipo "para quê uma avenida tão larga?"

    ResponderExcluir
  5. Eduardo Martins09/04/10 18:17

    Comentário perfeito Bob!!

    Falta bom senso, educação e vergonha na cara desses governantes (e na maioria dos eleitores que os elege também).

    abraço

    ResponderExcluir
  6. No Brasil não existe planejamento de trânsito. É simplesmente ridículo ter que dividir uma avenida central como a Bandeirantes com caminhões carregados com todo tipo de produto perigoso por tanto tempo. É inadmissível a quantidade de curvas e acessos mal projetados, como o BS vem mostrando ao longo dos posts. O que dizer então de colocar pornto de ônibus em uma alça de acesso (em curva bastante fechada, por sinal) para a Marginal Tietê, como ocorre na Ponte do Piqueri?

    ResponderExcluir
  7. No Brasil não tem fiscalização. Se houvesse fiscalização intensa e permanente, mais da metade dos veículos sairiam das ruas. Sem contar os motoristas despreparados e ignorantes. Tem muito carro sem a minima condição para rodar quebrando, poluindo e atrapalhando o transito. Em SP os policiais parecem que estão anestesiados, ficam nas esquinas famosas fazendo pose ou nas esquinas de padarias comendo a querida coxinha. Enquanto isso o motorista/motoqueiro/piloto "Gerson" continua fazendo suas barbaridades básicas.

    ResponderExcluir
  8. Um os maiores malefícios que esta política de virar criminoso ao passar 1 km/h do limite, é levar a população ao engano de que a velocidade por si só é o que mata. Os motoristas estão dirigindo cada vez mais devagar sem a menor necessidade, atrapalhando a fluidez do tráfego.

    ResponderExcluir
  9. "Um os maiores malefícios que esta política de virar criminoso ao passar 1 km/h do limite"
    Levei uma multa por passar a estonteantes 101km/h na "rodovia" Anhanguera, é mole?
    Falando em radares, moro em Jundiaí, interior de São Paulo. A cidade não tinha nenhum radar, instalaram mais de 50 neste ano... saldo: 11,2 mil multas no primeiro mês (estou incluído), estimado um faturamento superior a 1 milhão de reais. Isso numa cidade onde os acidentes são raros e não ocorrem nas avenidas onde foram instalados os radares. Pura Multa S.A.!

    ResponderExcluir
  10. Renato

    Tem um programa de humor que mostra como são as multas por excesso de velocidade em alguns estados americanos. Vc tem o direito de ir recorrer pessoalmente, incluido o policial que te parou e multou. Raros são os casos de multas serem mantidas para quem levemente passou do limite, e muitos casos ela nem é feita, pois é o policial que deduz quem esta abusando e aí sim aciona o radar para confirmar a velocidade. Isso se chama fiscalizar e educar.

    Aqui é a coisa mais fácil, coloca-se um disparador automático e pronto. Vai recorrer contra a máquina, mesmo que seja 1 km/h? Sem chance.

    Mas nem tudo na terra do tio san são maravilhas. Já falei aqui: um amigo levou uma muita e foi abordado em um cruzamento deserto com visão para todos os sentido porque não deu uma seta. O policial estava a uma milha parado de tocaia. Isso é influenciar o uso automático da seta, o famoso "mas eu dei seta" sem olhar pra nada.

    Existe uma coisa simples que deixaram de ensinar nas escolas: lógica.

    ResponderExcluir
  11. Já estava sentindo falta deste seu post. Deu no "Pé na estrada" que eles inauguraram tudo na maior correria, sem placas de sinalização, enquanto os motoristas de caminhão esperavam para trabalhar, pois ainda faltava aterrar muita coisa! Depois, deu em um jornal que na Marginal, estavam dando ré adoidado, por errar a saída!
    Fala sério!
    Mh

    ResponderExcluir
  12. Mario,
    Ano de eleicao vai ser assim. Obras inauguradas pela metade. Seja o Lula com o PAC 1, 2, 3... e o Serra com todas as pontes, viadutos, rodoaneis e hospitais possiveis.

    O pedagio pra valer vem so em novembro.

    Ja perceberam que todos os problemas sempre surgem por conta de falta de educacao (e o ato de pensar), e fiscalizacao?

    ResponderExcluir
  13. As praças de pedágio no meio do Rodoanel já estão quase prontas. As placas dos radares já foram instaladas. Em breve radares funcionando. Sinalização, telefones de emergência, etc. só Deus sabe quando estarão instalados.

    Concordo que deveria estar tudo pronto há 30 anos... A parte norte levará mais 30?

    ResponderExcluir
  14. Passei pelo rodoanel no dia seguinte da inauguração e quase não vi placas de sinalização, nenhum posto de gasolina !!!! guard rails então , rarissimos, vi sim o 1° acidente , um vectra que caiu numa ribanceira sem guard rails é claro ! mas , pelo menos fizeram a obra, acho que os mandatos deveriam ser ANUAIS assim teriamos obras sempre e não daria tempo pra ficar costurando alianças e fazendo trocas , e pensar que a ideia do rodoanel nasceu nos anos 30... pode?

    ResponderExcluir
  15. I vamo qui vamo. Na anhanguera fui multado a 81 por hora.
    Ainda não andei no novo rodoanel, mas não se iludam. Logo teremos alguém ganhando "concorrencia" para instalar um posto BR com direito a um MacMata, que ninguem ~e de ferro.
    Bem bRasil il il il il...

    ResponderExcluir
  16. Bob,

    Mais um artigo brilhante e pertinente, obrigado.

    As questões de incompetência, falta de planejamento e da corrupção são muito antigas e sistêmicas, parecendo não depender muito de partido.

    No final das contas, parece não fazer tanta diferença assim o nosso voto, pois qualquer seja o(a) eleito(a), este(a) terá de se sujeitar ao sistema para exercer o poder.

    Como podemos, afinal, mudar esta situação?

    Abraços,
    Fernando Silva

    ResponderExcluir
  17. Complementando o que disseram, não existe fiscalização e quando o fazem, focam nas coisas erradas, ao invés de pararem os carros que estão caindo aos pedações, com pelicula escura, engate, rodas com o diametro maior que o original e etc... eles param os carros originais....

    ResponderExcluir
  18. Um artigo muito petinente mesmo. Parabéns, Bob

    UMA BRIGA QUE DÁ PARA COMPRAR:

    Bob e todos : o último feriado de Páscoa, em Minas , foi chuvoso e os índices de acidentes com vítimas triplicaram, 300 contra 100no ano passado.

    Acompanhando as pancadas pela TV, a maioria , a imensa maioria de tragédias que a TV dava mais destaque, foi de carros batendo DE FRENTE,vários deles atingindo caminhões .Pelos vídeos, muitos deles eram em curva,em pista simples,o carro invadindo a pista contrária e batendo no caminhão.

    Solicito à vocês que atuam em mídia que peçam,em nome da comunidade , a retirada de informes de fabricantes de pneus, e também vídeos postados por jornalistas na web ou veiculados na TV que ensinam colocar pneus novos atrás em vez de no eixo direcional.

    A revista CARRO fez o teste e os números falam por si só :

    Situação 1- Tudo pneu novo, foi a 90 km/h em curva sem aquaplanar

    Situação 2- Pneu novo na frente e meia vida atrás e também pneu perto do TWI atrás: foi a 80 km/h até aquaplanar

    Situação 3- Pneu novo atrás e pneu meia vida na frente: aquaplanou a 70 km/h na curva. Dado o resultado pífio, nem fizeram esse teste 3 com os pneus perto do TWI na frente

    Ou seja, a situação número 3,defendida por um vídeo e pelos fabricantes atualmente, representa simplesmente,na melhor das hipóteses, 10 km/h na margem de perigo de um motorista escorregar numa curva molhada e se espatifar,talvez num caminhão de 16toneladas.

    Óbvio que não é tão simples assim, mas se há evidências e/ou duvidas, melhor ficarem calados,concorda?

    ResponderExcluir
  19. Alexei

    Vc tem razão. O nível de besteiras em rede nacional aberta que divulga este programa é um deserviço à nação. Essa matéria dos pneus e do pular marchas deveria ser colocado na conta da Rede Globo as vidas perdidas e o consumo de combustível a mais, respectivamente.

    ResponderExcluir
  20. aqui... acho que existe uma margem de tolerância para as multas de excesso de velocidade aplicadas por "maquinas". Meu sogro recebeu uma autuação, pois havia passado a alguns km/h acima da maxima, no entanto não recebeu a multa. Fico surpreso ao ver que, pessoas muitas vezes bem informadas fazem criticas a radares, pois este é mais um caso onde uma minoria paga por uma maioria, ou é mentira que uma esmagadora porcentagem dos motorias soltos por ae desconhecem os próprios carros(em todos os aspectos possiveis) e dirigem como loucos, esquecem-se do que estudaram nas "chatas aulas" de legislação, dentre muitos outros fatos que poderiam fazer esta lista de problemas aumentar.... Tambem não sou a favor de radares, mas se única solução imediata é causar dor onde mais a sentimos, paciência.

    ResponderExcluir
  21. Anônimo

    Esses "alguns km/h" que seu sogro passou acima do limite da via, eram marcados no velocímetro?? Porque há uma diferença entre a velocidade indicada e a velocidade real.

    Vejo que você não é um leitor antigo do blog, pois o que se contesta aqui (blogueiros e a maioria dos leitores) não é multar ou não multar por excesso de velocidade, mas como isso é feito no Brasil. Multas por 101 km/h numa rodovia são uma aberração. Além da intolerância quanto à pequena margem acima, note que 100 km/h é um limite máximo muito baixo para uma rodovia de pista dupla.

    Se isso não é Indústria da Multa S.A., eu sou Carroll Shelby.


    Adriano

    ResponderExcluir
  22. hmmm.
    Entendo seu ponto de vista, Adriano, e você tem razão, não sou leitor antigo, infelizmente.
    Eu entendo, também, que limites de velocidades como estes também se enquadra em "justos pagando pelos pecadores".

    Só pra esclarecer aquele "alguns km/h", agora a noite pude pesquisar e localizei no site: http://www.cetsp.com.br/internew/faq/asp/faq_geral.asp , o que transcrevo na integra logo abaixo:
    "Qual a tolerância dos radares?
    Conforme determinação da Portaria no. 115 do INMETRO, a tolerância é de:
    - 7 km/h para velocidades até 100 km/h; e
    - 7% para velocidades acima de 100 km/h."

    Já em: http://www.igf.com.br/aprende/dicas/dicasResp.aspx?dica_Id=1345 , existe uma explicação, embora simples:
    "Qual é a tolerância do radar?

    Tecnicamente, não existe tolerância para o infrator e, sim, margem de erro admitida para o equipamento conforme consta da Portaria 115 do INMETRO, que determina como margem de erro máxima admitida:
    # 7 km/h para velocidades até 100 km/h;
    # 7% da velocidade medida para velocidades acima de 100 km/h."

    Saudações,
    A.M.B.

    ResponderExcluir
  23. Qt a "tolerancia" todos ja estamos cientes... AutoEsporte? esquece isso ae!

    Ontem peguei o trecho sul pela primeira vez... a pista ficou muito boa! Nao me orgulho em falar, mas aproveitei a situacao para andar um pouquinho acima da velocidade permitida... que tapete!

    Na volta (Regis-ABC) me confundi com a falta de sinalizacao e peguei a pista sentido Castelo e tive que pagar dois pedagios pra fazer o retorno, mas a mocinha do pedagio me passou um telefone para eu reclamar, veremos no que vai dar...

    Na volta estava chovendo e mesmo com pneus praticamente no TWI, andei forte... voces podem ate falar que foi irresponsabilidade minha, ate concordo, mas a pista esta tao boa, que o carro nao apresentou perda de estabilidade/aderencia em momento algum.

    Abs

    Fabio

    ps: depois posto sobre o resultado da reclamacao.

    ResponderExcluir
  24. Não acho que aqui falte planejamento, o que falta é "fazimento".
    O Metro de SP foi planejado em 1927 pela Light, o que está aí é igualzinho ao plano original, até o ramal de Vila Sonia é o mesmo. O Faria Lima contratou a empresa alemã Deconsult para passar a limpo o plano da Light, mas isso só no final dos anos 60, 40/50 anos depois.
    Esse rodoanel é apenas uma avenida perimetral, rodoanel tem que ficar a mais de 50 km de uma cidade e tem que ter uma "rationale" logística.
    Esse fica a 21 km e vai ser envolvido pela área urbana e virar outra avenida.

    ResponderExcluir
  25. Ainda não entendi, os caras falaram que não iam cobrar, a imprensa noticiou, mas meu filho falou que teve que pagar um pouco mais de R$ 4 ao pegar o rodoanel na imigrantes.

    Nem informação decente se tem mais, tanto do governo quanto da imprensa que está quietinha, comeu barriga e se mancou.

    ResponderExcluir
  26. Francisco V.G.12/04/10 07:53

    O pedágio da Imigrantes - saída Batistini - já existia. Apenas mudaram de lugar. Antes, ficava lá no fim da reta, agora, pouco depois do posto policial. A sinalização de fato é ridícula.

    ResponderExcluir
  27. Andei nesse fds no rodoanel, trecho sul. Ah... Nada de demais, fora os trechos de concreto que são desconfortáveis e a falta de olho de gato e faixas já apagadas, lembra muito a imigrantes (planalto).

    E o trecho oeste precisa urgente que asfaltem tudo, porque após a saída da castelo (sentido bandeirantes), o concreto está muito ruim.

    Por falar nisso, alguem conhece alguma estrada no Brasil, 100% de concreto, que seja confortável?

    A pista sul da imigrantes é ruim, o rodoanel também. engraçado é que tem viadutos na bandeirantes que o concreto parece bem regular.

    ResponderExcluir
  28. Bob,
    Parabéns pelo texto, é muito oportuno, e eu gostaria de destacar 1 questão:
    Em muitos trechos a superfície da estrada é péssima, perdendo em ondulação apenas para a ponte estaiada da marginal Pinheiros. Será que não dispomos de tecnologia para fazer algo melhor que aquilo?
    Aliás, infelizmente, sou leitor recente do AE e não sei se já se falou das vias dest ponte estaiada por aqui.
    Renato
    São Bernardo do Campo - SP

    ResponderExcluir
  29. Não achei as partes de concreto tão ruins assim e como falei acima (anônimo) rodei com um carro com pneus praticamente no TWI.
    Inclusive, acho que o trecho sul está bem melhor que "a melhor rodovia do Brasil"... principalmente por causa dos desníveis presentes na última.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.