DIESEL: PROIBIDO PARA BRASILEIROS

Foto: 500blog.blogspot.com
O post de ontem do MB sobre a vitória do Audi TDI R15 Plus diesel em Paul Ricard me pôs a pensar -- mais uma vez -- sobre uma questão que incomoda muita gente e, claro, a mim também: o brasileiro não poder ter carro a diesel. Tudo porque o governo não deixa. A alegação é que diesel é para transporte de passageiros e carga e fim de conversa. Que seu preço é bem menor que o da gasolina por isso mesmo.
Tenho dito que o Brasil, por definição, "é uma ilha cercada de diesel por todos os lados" -- bem, não a leste, onde há um oceano, mas o resto é tudo. Em todos os outros países pode-se ter carro a diesel à vontade.
O presidente da Delphi, Gábor Deák, disse num simpósio algo que nunca esqueci. A Declaração Universal dos Direitos do Homem, da ONU, da qual o Brasil é signatário, diz em seu art. 27 inciso I: "Todo homem tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir as artes e participar do progresso cientíico e de fruir de seus benefícios". Portanto, uma flagrande desobediência do Brasil a um princípio básico expresso num documento que assinou: o brasileiro não poder ter carro a diesel. Como um Fiat Cinquecento com o motor  1,3 de 90 cv da foto.  Consumo? 20 km/l na cidade e 30,3 km/l na estrada. Não pode fruir desse progresso, nem dos seus benefícios. Mas fruir do progresso do etanol, pode...
A coisa começou em 1976, quando o então Conselho Nacional do Petróleo, diante de crise do petróleo iniciada três anos antes, determinou a proibição por motivo do perfil de consumo do Brasil ser acentuado em diesel e ser preciso conter sua importação, pois o preço do petróleo quadruplicara em três meses e importávamos 80% do que consumíamos. Assim, diesel só em veículos com carga útil de 1.000 kg para cima ou então de tração 4x4 mais reduzida.
Só que a crise foi embora, veio a segunda em 1979, que se foi também, mas a proibição persistiu. Não por lei, mas por uma Portaria, a de n° 23/94, baixada por um órgão que não existe mais, o Departamento Nacional de Combustíveis, sucedido pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Mas a portaria valendo...
Há os que alegam que o motor Diesel é sujo no sentido de poluir, que faz muita fumaça: tolice, é coisa do passado. Para isso existem os limites de emissões, aqui e em todo o mundo.
O governo dos EUA estabeleceu recentemente consumo médio de fabricante 16,6 km/l até o ano 2016 (hoje é de 11,7 km/l) e já se espera aumento da frota a diesel, apontada com uma das saídas para se chegar àquele consumo. Mas no Brasil não pode...
BS 


51 comentários :

  1. Que maravilha morar num pais com pouco cheiro de diesel. Sei que os limites de emissões modernos são melhor agora. Mas, ainda carro diesel moderno faz um cheiro ruim. Não quero pensar como seria em S.P. com milhoes de carros diesel "por cima" dos veículos carga útil que ja tem.

    ResponderExcluir
  2. Anonimo
    Em Buenos Aires ou cidades europeias onde há muito carro a diesel não se sente cheiro algum. Isso é coisa do passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o caso é que tem uns defensores de plantão do governo que nunca foram em um país desses e ficam falando asneiras. Graças a isso essa proibição persiste até hoje mesmo sendo ilegal( não tem mais nenhuma razão para que seja sustentada.A proibição era necessária apenas na época e o órgão que a criou nem existe mais),imoral ( quem pode comprar utilitários esportivos de mais de 100 mil podem usar livremente e abusiva. Isso é um verdadeiro atentado ao direito do consumidor de escolher o que é melhor para si.

      Excluir
  3. O preconceito de muitos contra os motores Diesel se deve principalmente aos ainda muitos caminhões MBB 1113, 1313... e ônibus com chassis OF/OH de 1900 e bolinha.
    Diesel já.

    ResponderExcluir
  4. Quem entende e mexe com motores diesel sabe que a poluição acentuada é falta de manutenção, mesmo nos motores mais antigos ela pode ser contida com relativa eficácia. Os motores novos, com injeção eletrônica, common rail, etc. são muito silenciosos, estáveis e econômicos. Só no Brasil mesmo, só no Brasil. O brasileiro paga R$42.000,00 pra comprar um carro 1.4 "flex" que faz no máximo 14km/l na gasolina, com calotas e rodas de aço estampado, roda 60.000km no máximo e vende ele pela metade do preço. Aqui é a festa, festa dos tapados, todo mundo reclama da economia mas parece "país de rico". Um carro Diesel, com seu motor robusto, econômico, etc., (leiam com ironia a partir daqui) bom deixa o Diesel pros Europeus que são tudo pobres né, países de terceiro mundo... o que há é plantar cana devastar floresta e poluir com as queimadas, isso é o que há. Ahh... pagar R$2,00 fora do estado de SP no litro do álcool também é chique.

    ResponderExcluir
  5. Só uma dúvida, procurei e não encontrei uma resposta que me esclarecesse. O diesel vendido aqui é subsidiado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o diesel começou a deixar de ser subsidiado ainda na década de 80 e o subsídio acabou definitivamente em Janeiro de 2001

      Excluir
  6. Anônimo

    Modernos motores a diesel têm queima muito mais otimizada. Não podemos compará-los as motores de desregulados de caminhões, que a vistoria do prefeito Kassab, criada para atacar o nosso bolso, não pega (não seria contra a vistoria, se fosse séria e não a roubalheira que é). Já usei várias vezes na Europa carros a diesel. Desempenho excelente, não soltam fumaça e não exalam aquele cheiro característico de bomba desregulada.
    Quanto a não ser permitido no Brasil, é mais uma das coisas que ninguém explica direito, mas pode ter certeza que algum político inescrupuloso (pleonasmo), está levando o dele, por isso.

    ResponderExcluir
  7. Mister Fórmula Finesse13/04/10 11:39

    Enquanto isso, trabalhadores morrem de tanta exaustão cortando cana para alimentar motores que são desenvolvidos pela mediana inferior de compromisso entre consumo e performance.

    Já não bastasse a contra mão em relação as margens de lucros e impostos aplicados sobre carros em relação a outros países, ainda temos que conviver com essa clausura energética.

    ResponderExcluir
  8. Não precisa ir longe.

    Há muitos turistas Argentinos, Uruguaios e até Paraguaios que usam carros leves à Diesel para viajar até as praias brasileiras.

    Fora o barulho característico, não se vê diferença alguma no cheiro e na emisão de fumaça, mesmo em carros mais antigos.

    Um abraço,

    Rafael Aun

    ResponderExcluir
  9. Sou contra o uso de diesel em todo e qualquer veículo no Brasil. Como o brasileiro é um Gerson por natureza, estou cansado de ver e respirar fumaça de veículos velhos e novos a diesel. Saiu da fabrica, ninguem mais vai atras de regulagem de motor, pra que, que se danem os outros. Isso dá certo na Europa pois o povo é civilizado. Vá em uma rua de São Paulo onde tenha uma escola e repare nas vans a diesel que circulam, muitas são novas e já despejam tufos de fumaça.

    ResponderExcluir
  10. Nós não temos direito nem por optar pela compra de um carro a álcool... algo que já seria muito vantajoso para quem mora em SP.
    Qt mais para optar por um carro a diesel... Hey Hey... estamos no Brasil!!!

    ResponderExcluir
  11. É muito cômodo falar "aah mas no Brasil não funciona". Assim NUNCA esse país evoluirá.

    ResponderExcluir
  12. Mister Fórmula Finesse13/04/10 13:38

    Bob, as próprias revistas especializadas são um tanto míopes a respeito: eu cansei de sugestionar avaliações com modelos "da Banda Oriental" de mesma carroceira dos seus irmãos brasileiros.

    Spacefox, Parati, Gol, Corsa Sedan e vários outros como vemos nas nossas ruas mas com propulsores a diesel.

    Não seria tão complicado avaliar esses carros em seus países de origem em contraponto com as versões movidas a gasolina/etanol...mesma carroceria, diferentes opções de motor. Que tipo de comportamento, vantagens e desvantagens surgiriam sobre essa alternativa tão bem explorada pelos outros países?

    Mas nenhuma revista nacional se dispôs a fazer esse tipo de comparativo que acho que esclareceria muita coisa em relação ao diesel "civil", uma pena, mas os chamados porta vozes dos consumidores - as tais "especializadas" - simplesmente se fecham em uma indiferença olímpica em relação ao tema.

    ResponderExcluir
  13. O Brasil importa pelo menos 10% de seu consumo em óleo diesel, mais ou menos 4 bilhões de litros. A maior parte é material de baixa qualidade, com excesso de enxôfre, recusado pelos europeus e por isso mais barato. Se liberado para os automóveis, será necessário comprar o mais refinado e gastar mais divisas. E os volumes importados crescerão exponencialmente. Aliás, este impasse já ocorreu nos anos 70 e causou aquele racionamento tão abominado por nós, motoristas. AGB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Brasil não tinha condições de suprir a quantidade de Álcool para criação de carros flex e se adequou. Por que com o diesel não poderia fazer o mesmo? Só não foi liberado ainda porque é vantajoso para as classes ( baixa e media ) se fosse para ferrar com as mesmas e favorecer as altas já tinha sido liberado há muito tempo

      Excluir
  14. Já citei em posts anteriores que vou trabalhar na maioria das vezes de bicicleta, os maiores poluidores que eu encontro no caminho são os ônibus coletivos, mesmo os novos com motores eletrônicos soltam uma fumaça que considero anormal, ao meu ver falta manutenção das empresas de coletivos e fiscalização por parte das autoridades. A fiscalização deveria ser feita com a mesma mão de ferro que e feita em nós motoristas que teem carro para fazer um passeio, ir ao trabalho,viajar, mas não e bem assim, me parece que os donos dessas empresas são entidades divinas e intocáveis eu pessoalmente nunca vi um ônibus ser parado em uma bitz fiscalizadora aqui em Belo Horizonte, já as peruas escolares que na qual a cada seis meses teem que pagar uma taxa absurda para a prefeitura liberar uma licença para que elas possam fazer o transporte escolar, essas sim sofrem várias blitz, mas e claro elas não são dos donos de empresas de ônibus em que pelo que sei muitas vezes teem os politicos por trás.
    Tenho uma teoria, já percebi que quando volta normalmente já a noite para casa, percebo que os ônibus liberam em quantidade maior de fumaça e fuligem, o cheiro tambem e mais irritante no escapamento, acho que essa pratica e pra despistar uma possível fiscalização, mas ela não existe, então creio que e para não incomodar mais que o normal.

    ResponderExcluir
  15. Também discordo do fato de o Brasil não ter opção de carro à Diesel... Adoraria ter um, com certeza.

    Mas acontece que a Matriz Energética do Brasil começou a ser desenhada por JK, ao trazer para o Grande ABC as montadoras de caminhões e após, no período militar, os Generais promoverem o sucateamento de nossa malha ferroviária, ao se renderem ao Lobby das montadoras.

    Hoje somente, com novos investimentos na reativação da malha ferroviária é que iremos reduzir esta dependência do Diesel, a medida que mais empresas optarem por transportar suas mercadorias por ferrovia.

    Também é importante salientar que a Petrobras está construindo 3 novas refinarias no Brasil: uma no Pernambuco e outras duas no Maranhão e Ceará, além de modernizar seu parque de refino para dispor ao mercado interno gasolina e diesel menos poluentes de acordo com os padrões internacionais vigentes.

    Se conseguirmos vencer a inércia e morosidade do nosso sistema político, podemos sonhar com carros à diesel ainda para o final desta década. Esta é minha esperança.

    ResponderExcluir
  16. Conforme citado acima, em SP, os ônibus também poluem muito, e apesar da regulamentação dos fretados, muitos continuam circulando pela cidade e diferentemente dos ônibus urbanos regulares, estes tem escapamento embaixo do veículo junto ao parachoque traseiro. Isto é um crime à saude publica, todos veiculos diesel deveriam lançar seus dejetos para cima, e não na cara da população. Esse pessoal que defende a utilização do óleo diesel deve morar em Campos do Jordão, Águas de São Pedro ou Petrópolis e nunca andaram nas metrópoles brasileiras, ou então desfilam sempre protegidos pelos seus ar-condicionados com filtro de carvão ativo...E não tem filhos pequenos que precisam fazer inalação constantemente para obter oxigênio puro.

    ResponderExcluir
  17. Motor diesel moderno é muito eficiente, econômico, polui pouco, não tem cheiro nenhum. Mas não pode, porque o nosso governo autoritário, estúpido e corrupto não deixa - diesel não pode! Mas motor flex pode, aquelas aberrações da engenharia, beberrões e ineficientes (e tem até incentivo fiscal pra eles). É mais vantajoso pro governo continuar alimentando a farsa do etanol como combustível do futuro. E também, aqui há essa coisa de achar que "estamos certos e todos os outros países do mundo estão errados", mesmo quando se trata daqueles que estão anos-luz na nossa frente em termos de progresso, desenvolvimento humano, tecnologia, etc. Aqui tudo o que há de mais atrasado, obsoleto, errado e desonesto sempre encontra terreno fértil pra se desenvolver. E o brasileiro ainda bate no peito com orgulho e se acha o melhor do mundo, o mais esperto, o mais sagaz, o mais inteligente e avançado.

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Seria bom poder ter opção do diesel, por conta do torque e economia de combustível.

    Quanto à produção nacional de diesel não ser adequada eu não sabia... se não tem jeito mesmo então há uma certa razão em proibir.

    Agora quanto ao cheiro e fumaça isso é passado de fato. No Brasil ainda acontece por todos os fatores aqui citados nos comentários. Se fosse assim Berlim, Milão, Paris, Istambul ou Londres seriam verdadeiros infernos...

    ResponderExcluir
  20. Boas, em primeiro ligar tenho estado a seguir este blog e só hoje vou escrever um comentário, Sou venezuelano, mas vivo em Portugal pois os meus pais são portugueses.
    mas voltando ao que interessa, eu pensava que no Brasil vocês pudessem ter carros a diesel, pois bem eu não gosto muito dos carros a diesel porque? simples, são carros poucos rotativos, não transmitem emoção e em alguns casos sofrem de turbo lang, mas claro tem as suas virtudes, são económicos e como consequência menos poluidores.
    Hoje em dia já existem carros "desportivos" a diesel um desses o Audi TT,ou até mesmo o Seat leon ou ibiza nas versões cupra ou seja versões desportivas.
    Aqui em Portugal os jovens gostam muitos do carro a diesel pois com tão poucas modificações se consegue ganhos de potencia grandes, mas para isso deitam camadas e camadas de fumo preto, temos muitos exemplos em Portugal, carros que saem com 110cv e ficam com 200cv com pouco, podem ver os vídeos a seguir:
    http://www.youtube.com/watch?v=T23JwL7QL_A

    http://www.youtube.com/watch?v=5ZS9HEWTzZ8

    http://www.youtube.com/watch?v=HX90IPMwZnc&feature=related

    http://www.youtube.com/watch?v=vsnA4-4L9Nc&feature=related

    há mais vídeos assim, é só procurar.
    Vocês falam que o europeu é civilizado, se fosse não utilizariam os diesel desta forma.

    Por último parabéns pelo blog, continuem a fazer um bom trabalho

    ResponderExcluir
  21. Meireles,

    Bom saber que em Portugal também tem estas barbaridades.

    Um abraço,

    Rafael Aun

    ResponderExcluir
  22. Pessoal & Bob,

    Diesel é subsidiado no preço e se paga por isso nos outros combustíveis.

    Dessa forma, precisaria tirar o subsidio dele para o tornar viável para consumo particular. Ou ainda, dois preços com e sem o subsidio.

    Aqui nos USA Diesel não vale a pena, é mais caro que gasolina premium devido à sua pouca oferta.

    Porém, um BMW 335dxi é uma coisa de louco. Boa demais. O mesmo com a X5 Diesel. O grande problema é o preço maior dos veículos à Diesel. Com os preços atuais da gasolina, seria preciso ficar com o carro pelo menos 5 anos para começar a valer a pena.

    Portanto, fazendo as contas não vale a pena ainda.

    Já o BMW 320 à diesel faz uns 64 mpg o que é delicioso. A BMW não iria traze-lo inicialmente, mas agora mudaram de idéia e vão fazer a versão Americana.

    Se o Diesel aqui tivesse maior oferta, consequentemente menor preço, então comprar um carro à diesel seria ótimo em termos de gastos. Ou seja, TOC (Total cost of ownership).

    Um amigo roda com BioDiesel (o processado) que não requer mudanças no motor.

    O problema do BioDiesel é que é preciso de alcóol para processa-lo e deixa-lo como Diesel. Por isso, em larga escala é ainda inviável.

    Ainda não teria um Diesel por não apresentar muitas vantagens. Se fosse, teria comprado um pickup full size Diesel. Mas o custo é tão grande que não vale a pena.

    ResponderExcluir
  23. Todas as ferrovias do mundo são deficitárias e subsidiadas pelos governos. Entretanto, as sociedades desenvolvidas consideram que suas vantagens superam esses dispêndios e mantem o transporte sobre trilhos. Os investimentos para estabelecer uma rede de trens são imensos e, atualmente, indisponíveis. Talvez mais adiante, com um plano de longa duração seja possível resgatar esse meio de transporte. AGB

    ResponderExcluir
  24. Quem acabou com a rede ferroviária não foi Kubitschek, nem os militares nem o "lobby" das montadoras. Os sindicatos é que causaram esse desastre com suas exigências absurdas. Imagino que os colegas desta página não tenham assistido, como eu, a pantomima de utilizar doze funcionários para levar uma caixa de 10 kg desde o caminhão até o vagão do trem. Aliás, a mesma estratégia brilhante foi aplicada ao transporte marítimo e fluvial. AGB

    ResponderExcluir
  25. Com o comentário de um anônimo surgiu uma dúvida. Porque os caminhões não tem os escapamentos "mirados" para cima?

    ResponderExcluir
  26. Na GM de São Caetano está em fase piloto de implantação a pick up Agile DIESEL para ser comercializada na Argentina, na contra-mão do hatchback. O motor é novo no continente, não é o 1.7 Turbo ou aspirado utilizado na família Corsa.

    ResponderExcluir
  27. Eu não vou discordar nem um pouco das evoluções dos motores diesel. Não vou usar argumentos ultrapassados como fumaça, cheiro ruim, barulho, vibração, porque além de praticamente não existirem, desvia o foco do real motivo da conversa: o político!
    Não há argumento tecnológico, prático, mecânico para a proibição. Ele é POLÍTICO única e exclusivamente.
    Mas não podemos fechar os olhos para o simples fato de que praticamente TODA nossa estrutura de transportes é rodoviária. Diria algo acima de 80% com relativa certeza.

    O Brasil na época da implantação do modelo de transporte copiou um modelo norteamericano que não levava em conta nossa potencialidade fluvial e hidroviária ou mesmo ferroviária, meios muito mais baratos de transporte de carga. Deu no que deu: essas estradas, os buracos, os caminhões com excesso de carga, velhos, motoristas mal capacitados. Nossos produtos, bens e serviços são basicamente transportados por via rodoviária.

    E por este motivo, seria um erro simplesmente querer permitir o diesel para carros de passeio. Porque absolutamente tudo se tornaria mais caro, inclusive o próprio diesel, não apenas pela lei da oferta e procura, mas também pelo frete. A gasolina? Esta também ficaria mais cara, só porque você quis rodar 30km/l num carro que vai custar mais (tanto pra comprar, quanto pra manter). Seu carro? Mais caro! Naturalmente, o diesel se tornaria mais escasso, o que elevaria seu preço e o de tudo que consumimos!

    Então não é tão simples quanto desejar um carro europeu que faz 20 km/l na cidade e não poder tê-lo!

    ResponderExcluir
  28. Leandro SIlveira14/04/10 00:03

    nem rpecisava ter carros diesel por aqui.. só os carros terem a msm qualidade e o msm reço dos europeus prá mim já seria ótimo...

    carros q fazem 25 km/l prá mim já seria sonhar alto d+...

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Interessante o comentário do Cadu Viterbo.

    Bom, me contentaria se nossos carros 1.0 a GASOLINA conseguissem um consumo urbano de 15 ou 16km/l como diversos 1.2 (twingo, corsa, clio, polo, fiesta...) aqui na Europa.

    ResponderExcluir
  31. Nossas refinarias todas estão em grandes reformas para melhorar o refino do Diesel.

    Já estou velho mas acredito que verei muitos automóveis movidos a Diesel sendo montados e rodando pelo nosso Brasil.

    ResponderExcluir
  32. Pessoal.
    Todos os coments tem sua parcela de razâo, mas nenhum focou o problema primordial. Vou tentar resumir pois o assunto é complexo.
    O Brasil produz 2.2 milhões de barris/dia e consome +/- a mesma coisa.
    O problema é que esse petróleo é em uns 90% de baixa qualidade, (petróleo pesado) e no seu refino, nas unidades existentes o aproveitamento para extração de óleo combustível (para caldeiras\) óleo diesel, gasolina , querosene e a parte nobre não é grande coisa. O que fazer? vende-se boa parte dessa produção para o exterior e se COMPRA petroleo leve (de alto custo) que, misturado ao nosso petróleo, permite um melhor desempenho industrial quando do craqueamento na refinaria (separação) do petróleo. Só aí o país já amarga um baita prejú, mas com os preços la em cima, a contabilidade continua do azul. Só que o volume de diesel produzido é insuficiente para a demanda (as refinarias foram projetadas para otimizar o fabrico de gasosa)aliado ainda ao baixo desempenho industrial, no aproveitamento desse petroleo - já misturado - com o importado, o que obriga a Petrobras a importar um oceano de óleo diesel onde quer que ele esteja disponível, pagando preço spot, sempre nas alturas para atender esse mercado em constante crescimento. Daí se importa diesel com alto teor de enxofre que é utilizado especialmente no interiorzão, pois provoca pouco (?) impacto ambiental. O diesel "bom" fica para consumo nos grandes centros. O assunto se agrava quando se olha o relacionamento entre os preços praticados. O combustivel é absurdamente caro, ao se considerar que o da gasolina A (sem adição de alcool), custa na refinaria, grosso modo 55% do preço de venda as distribuidoras que adicionarão o anidro e farão a distribuição aos postos onde abastecemos nossos possantes (mesmo os de 1 litrinho...rsrsrsrs). O resto é imposto. Só que se liberarem a fabricação de carros de passeio a diesel, o equilibrio no consumo entre os varios combustiveis será comprometido, pois aumentara a demanda pelo diesel, que forçara o governo a importar mais diesel CARO, que ficará com excedentes de gasolina de baixa qualidade, fabricada aqui dentro, e sem ter a quem vender pois é ruim, que permitirá galhofas presidenciais de "ajuda" ao 4º mundo, "doando" essa porcaria travestida de ajuda que... e que...e que...
    Os amigos são inteligentes para imaginar o replicamento e consequencias de todas essas variaveis e não quero aqui transformar um comentário numa aula do assunto, mesmo porque, só trabalho no meio e só vejo barbaridades.

    Finalizando afirmo que irá demorar um bocado (provavelmente nunca) a liberação do uso do diesel a bel prazer do comprador do equipamento, seja lá qual for; carrinho, carrão, caminhão, trator, aeronave etc.
    Gosto do cheiro discreto do diesel e a tecnologia já tem feito mais milagres com ele que com a gasolina.

    Abração Bob.

    ResponderExcluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. É errado. Porque um milionário pode andar com seu land rover a diesel. E eu tenho que ajudar encher o tanque dele. Comprando gasolina. Ele ganha 3 vezes. E eu não posso ter um mísero diesel 1.4? O Brasil é um páis muito injusto mesmo.

    ResponderExcluir
  35. bem lembrado meu caro Wallysson!
    (trocadalho mode on)

    ResponderExcluir
  36. Eu não acredito no comentário que disse que todas as ferrovias do mundo são defictárias, e consequente subsidiadas. De onde voce tirou essa informação???

    ResponderExcluir
  37. Zé da Silva15/04/10 09:39

    Ninguem lembrou da ferrovia do aço ? construimos os trilhos, depois compramos os trens com a bitola de medida diferente, resultado...tudo foi pro lixo....

    ResponderExcluir
  38. Alguém conhece algum argentino ou uruguaio com um carro a diesel? Seria legal saber como eles se comportam com essa gororoba vendida aqui.

    Li em algum lugar que motores diesel são (bem) mais caros do que sua contraparte a gasolina. Procede?

    De resto, muito boa a discussão aqui. Minha ex ainda dizia que discutir sobre carros era coisa de alienado...

    Fico triste que na escola não se discuta o assunto dessa maneira. Todo mundo depende de transporte na nossa sociedade, independente de gostar de carro ou não. Seria ótimo que os estudantes soubessem a razão de terem que acordar 2 horas mais cedo pra chegar na escola, porque as empresas de ônibus fazem o que bem entendem com eles (e com a gente), e porque no final das contas nós pagamos/subsidiamos absolutamente TUDO nesse país!

    Como diz o Bob, só formatando mesmo.

    ResponderExcluir
  39. Interessante, o povão pagando gasolina e álcool caríssimo e na bomba ao lado uma L200 enchendo o tanque de diesel e sai por aí, tranquila e com um motor parrudo que dura muito. Rico é inteligente por isso que é rico, pobre tá aí pra manter o rico, e só se ferra, e acredita nas aulinhas de história que um dia teve ou na rede Globo. Ahhh temos que lembrar que esses carros Diesel em sua maioria tem IPVA baixo, pois são "utilitários" né... nem precisa comentar mais nada. Brasileiro é fogo.

    ResponderExcluir
  40. No Estado de SP o preço do IPVA de picapes Diesel CD é de 4% como todos os outros mortais a gasolina.

    ResponderExcluir
  41. O IPVA destas coisas deveriam ser ao menos 30% do valor do carro.
    Aqui no DF to cansado de ver Hilux, F250, L200, S10 dirigidos por políticos.

    E concordo com o Rafael Ruivo, todo mundo vive reclamando nos botecos ou quando está dentro do carro, sobre o caótico trânsito, e ninguém faz nada, não se comenta no colégio ou faculdade e nem nas câmaras de vereadores e deputados sobre isto. O assunto sempre é o celular da moda, o processador multicore, ou outros supérfulos que nada fazem para melhorar as nossas vidas...

    ResponderExcluir
  42. Zé Tretinha16/04/10 11:28

    tô comprando uma L200 Savana... e enche minha paciência pra vc ver! passo em cimaaa!

    ResponderExcluir
  43. Não lembro muito onde li exatamente, mas o principal problema do Diesel nacional é a da emissão de enxofre resultante dos gases dele, que é extremamente elevada, se comparada às emissões provenientes de motores com diesel duma Europa, por exemplo.

    Inclusive nessa rápida "Googlada" tem essa questão respondida pelo Best Cars

    http://www2.uol.com.br/bestcars/ct/enxofre.htm

    Se isso procede, nem os motores atuais a diesel seriam páreos.

    Além da remota possibilidade do usineiro querer dar um jeito de batizar esse combustível por lei como faz com a gasolina (sarcasmo)

    ResponderExcluir
  44. carro a diesel nao tem graça. como entusiasta, o assunto é relevante.

    ResponderExcluir
  45. Se um motor a diesel atual for tão eficiente quanto um à gasolina e, principalmente econômico...Acredito que aí é que esteja a graça da coisa.

    Consolino

    ResponderExcluir
  46. Mark
    tb prefiro motores de ciclo otto... porém assista ao video... todos já devem conhecer o carro...

    http://www.youtube.com/watch?v=z4BrHzlOOQg

    ResponderExcluir
  47. Prezado Bob.

    Nossas cidades médias, grandes e gigantes já não estão saturadas ou supersaturadas de automóveis de passeio ?
    Liberar o diesel não seria um estímulo ainda maior para insistir no que já está insustentável ?
    A questão mais adequada não seria exigirmos do poder público transportes públicos convenientes, confortáveis e seguros em todos os aspectos ?
    Abraços.

    ResponderExcluir
  48. Eu sou totalmente favorável à liberação dos motores Diesel em veículos leves, não só pela economia mas pela segurança. Há um risco menor de incêndios e explosôes envolvendo veículos a diesel, não é à toa que as frotas militares de países signatários do Tratado do Atlântico Norte priorizam veículos a diesel. Quanto aos que comentaram sobre o brasileiro ser demasiado adepto da "Lei de Gérson", eu acabo vendo nisso não só um incentivo para manter a emissão de particulados sob controle, levando em conta que é causada por injeção excessiva e consequentemente causa um desperdício de diesel, como também para um interesse em aproveitar melhor alguns resíduos que às vezes são descartados de forma incorreta como óleo de fritura saturado, que pode servir não só para fazer biodiesel como até ser usado puro como combustível.

    http://dzulnutz.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.