HISTERIA CARBÔNICA PEGANDO FIRME

eFoto: UOL Carros

Slim Kallas( foto), comissário de Transportes da União Europeia, foi o porta-voz do bloco para anunciar  ontem as estratégias para conter as emissões de CO2, fazendo assim pleno coro a histeria carbônica que tomou conta do mundo. Pelo que foi anunciado, a União Europeia quer que carros a gasolina (subentende-se ciclo Otto) ou a diesel não possam mais circular nas cidades da UE em 2050. Os carros com o formato que tanto apreciamos teriam, assim, apenas mais trinta e nove anos de vida livre nessa parte do mundo.

O comissário de Transportes do bloco anunciou ainda que metade dos deslocamentos por distâncias a partir trezentos quilômetros seja feita por trens. Quem conheceu o mundo até aqui, pode ir se preparando para dias de Grande Irmão ainda mais rigorosos que no famoso filme "1984", de 1947.
O transporte de cargas também estaria na mira da UE, que quer redução de 40 por cento nas emissões de CO2, incluindo aviões queimando combustíveis "verdes".

O mais curioso é que Kallas não falou em carro elétrico, talvez para não assustar, mas o fato é que carros com motor a combustão fora do esquema urbano, não há outra saída. Se for eletricidade produzida por células a hidrogênio, menos mal, pois entendidos no assunto são unânimes em afirmar que não haverá energia elétrica para tanto carro elétrico.

Agora, convenhamos, todo esse rolo por causa de 15 por cento e dois por cento do total de CO2 gerado no mundo, transporte (automóveis, 10%) e aviação, respectivamente, é que não dá para entender. O jogo está mesmo equisito.

É como partir para uma mudança radical sem explorar todas as possibilidades, a exemplo da indústria automobilistica que vem reduzindo as emissòes de CO2 a passos largos. Mais ou menos como a vergonha paulistana chamada rodízio, implementada sem que fossem esgotadas todas as possibilidades de obtenção de maior fluidez do trânsito. Na base de a população que se dane.

No caso do carro elétrico, por exemplo, é fácil imaginar a parefernália de estações de carga pela cidades, fios para todo lado, brigas nas estações para quem vai "encher o tanque" primeiro - sim, não são três ou quatro minutos, mas em torno de quatro horas.

Duas coisas são certas. Uma, alguns estão visando uma fonte de lucros polpuda com essa mudança de cenário. Duas, a histeria carbônica pegou firme.

Tenho mesmo muita pena de quem tenha nascido de 1970 para cá. Vai ver  um mundo totalmente sem graça.

BS

68 comentários :

  1. Eu só tenho a certeza de que esse cara vai cair do cavalo. Pois do mesmo jeito que há interesses econômicos gigantescos em cima dessa histeria carbônica, há também as petrolíferas e montadoras de carros que basicamente sobrevivem dos carros com motor a combustão...

    E que esse Slim Kallas queime no fogo do inferno, é tudo o que desejo.

    ResponderExcluir
  2. Bom, pelo que vi neste post, a realidade de lá não é diferente da realidade daqui... só mudam as cifras.

    Políticos sem formação técnica e sem espírito crítico se corrompem, cedendo ao lobby de grandes conglomerados que, através da disseminação do caos, faturam bilhões e bilhões por ano, readequando por força de lei os costumes do pobre povo... :-(

    ResponderExcluir
  3. Bob, o que me causa estranheza é de fato o desacreditamento nos motores a combustão interna. Há tantos formatos para este em desenvolvimento e tanto espaço para os tradicionais otto e diesel se desenvolverem, que daqui a alguns poucos anos eles poluirão um mixaria mesmo. Acredito que daqui a alguns bons anos 0,5 L de deslocamento dará conta de impulsionar dignamente (seja carregando as baterias ou tocando as rodas)um carro médio. O grau de desenvolvimento atual dos motores é algo inimaginavel, por exemplo, há duas décadas. Imagine daqui pra frente...

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  4. Eles querem que todos andem em veículos com propulsão a íons de imediato!

    É como se voltássemos na época do BenHur e os obrigasse a promover campeonatos de demolição ao invés de corridas de bigas, sem ter ministrado, ao menos, autoescola para os Romanos...

    Peraí!

    Entre a realidade e a desejada ficção científica há um lapso considerável...

    O próprio Kirk acelerava sua moto e seu carro antes de pilotar a Enterprise!

    Esse Sr. Slim está viajando na maionese...

    Talles

    ResponderExcluir
  5. Se o dilema girasse apenas em torno das fontes alternativas de combustíveis, acho que estaria até de bom tamanho.
    Vamos ver até quando a "nossa casa" vai suportar o consumo frenético de seus "trocentos bilhões de pimpolhos" cedentos por carros novos ( pura bobagem ), porcarias eletrônicas, orgulho e diversão.
    Na verdade, quando as novas gerações se derem conta do que estamos preparando pra elas, muito além de estarem apenas num mundo com muito menos graça, eles terão que arregaçar as mangas, e enfrentar um desafio beirando a ficção!
    Cruzes!!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Essa parece daquelas saidas nao pensadas. A energia eletrica vai ser provida apartir do que ? De usinas nucleares que por causa do incidente do Japao o mundo está repensando sua viabilidade contra os potencias maleficios? Usinas termoeletricas que nao deixam de queimar combustiveis nao reutilizaveis e mesmo que sejam mais eficientes que a queima provida no carro perdem uma boa porcentagem na sua rede de distribuiçao ?

    Sempre que vem esse papo de carros eletricos a primeira duvida que vem a cabeça é essa: donde vao tirar tanta energia ?

    e outra, a extraçao de minerais para produçao das baterias nao sao relevantes ? a energia para que se gasta nao é valida ?

    Para mim, pessoas assim nao estao preocupadas na soluçao definitiva e melhor para todos, eles estao no grupo "que se danem todos"

    ResponderExcluir
  8. Não tenha pena de nós, Bob. E prometemos que não teremos raiva de vocês pelo que sua geração fez com o nosso planeta.
    Louvável essa política, as próximas gerações, muito além da minha, irão agradecer.

    ResponderExcluir
  9. É o medo da China. O medo da dependência de médio-orientais, venezuelanos.

    ResponderExcluir
  10. Bom mesmo é acelerar num motor ciclo diesel, um scania V8 por exemplo.só quem conhece e gosta sabe do que eu to falando.mas á a vida ,tudo muda, nem sempre pra melhor.e o que vão fazer com as baterias dos carros elétricos quando estas "morrerem". não se recicla nem pilha!

    ResponderExcluir
  11. Anônimo 16:54, você vem aqui apenas para criar conflitos. Não é o primeiro comentário que você deixa aqui certo?

    Nos meus 22 anos, possuo grande paixão por carros antigos e do 'romantismo' que havia no passado recente... Se você não gosta disso, abrace o homem da foto então.

    Concordo com Bob, estão dando foco no lugar errado (se a questão realmente for redução de emissões). Onde está o Euro 5 para os chaminés das empresas?

    abraço.

    GiovanniF

    ResponderExcluir
  12. Anônimo 17:17! você já acelerou um diesel dois tempos? Já tive o prazer de ver um GMC pisando fundo... coisa de louco... meu pai abriu um sorriso largo naquele dia.

    GiovanniF.

    ResponderExcluir
  13. Bob,

    são 39 anos e não 49, até 2050.
    Esse gringo aí chutou feito beque de fazenda. Não dá pra prever o que vai rolar.

    ResponderExcluir
  14. 17:23. CMC marítimo, esse´eu só vi no filme Christine, conhece? tem uma parte que da pra ouvir bem o motorista cambiando um. Já o Scania esse eu tive o prazer.

    ResponderExcluir
  15. É Bob,

    Está ficando cada vez mais chato mesmo. Um exemplo está aqui, em que nem se pode brincar com a dificuldade de algumas pessoas de aceitarem algumas coisas (veja nesse link: http://www.adnews.com.br/publicidade/113898.html). O Ministério Público transformou a censura no eufêmico termo de "classificação indicativa" e tudo que não seguir a cartilha do PC (Politicamente Correto)deverá ser banido da TV aberta e fechada. O ciclo Otto é tão odiado que a BMW, que insiste em usá-lo para queimar hidrogênio, não foi admitida em um "clube" formado por fabricantes de veículos movidos a hidrogênio pelo simples fato de não conduzir nenhum projeto de veículo movido à célula de combustível.
    Lembre que os hipongos de ontem são os executivos de amanhã, e os comunas de ontem são os sociais-democratas de hoje. E a melhor forma de "punir" a "indústria do carbono" supostamente responsável por todas as mazelas sociais, politicas e ambientais é demonizar o chamado "transporte individual". Tanto que a TV Cultura, no seu jornal noturno ancorado pela jornalista Madeleine Alves e dois convidados que nem perdi tempo de decorar seus nomes (um era advogado e outro sociólogo) comentaram que este seria o FIM do "transporte individual". Tipo, só teria transporte coletivo ambientalmente correto. Então, se alguém for acordado pela esposa porque a bolsa rompeu, ele terá que levá-la ao ponto de ônibus, tomar três linhas diferentes na integração para chegar no hospital? E se o trabalho de parto estiver adiantado chama os bombeiros? E eles virão do que? Queria que a Madeleine Alves e um escritor que afirmou no mesmo telejornal que industria automobilística é "atraso de vida" que respondessem a essa questão. E também espero que não passem a mesma vergonha que o excelentíssimo deputado Ivan Valente (PSOL-SP) que não soube explicar o que é a "democracia cubana" para a ex-modelo Mariana Weickert no extinto talk show Saca-rolha, junto com Marcelos Tas (atual CQC) e Lobão (que dispensa apresentações).

    ResponderExcluir
  16. Lucas
    Perfeito, penso exatamente o mesmo. O motor de combustão interna ainda tem um longo caminho a percorrer emitindo pouco.

    ResponderExcluir
  17. Rômulo Rostand29/03/11 17:38

    Piada de mal gosto. Mas, pelo sim pelo não vou investir em háras, combustível e emissões verdes. Afinal, depois que o polvo advinho morreu, as previsões agora podem estar mesmo com os asnos, de lá do antigo continente.

    ResponderExcluir
  18. Ai ai ai... acho até que demorou pros políticos darem o ar da graça. 39 anos é? não duro mais tudo isso... Lamento pelos que ficarão e que terão a imensa responsabilidade de encontrar alternativas. Esse rapa geral poderá ser postergado se resolverem o problema com o hdrogênio. Mas é inevitável. Gente demais, consumo demais, destruição demais, desperdício demais, poluição demais. Faltará água e o racionamente será brutal ou a raça humana irá pro vinagre. Fora isso, não tem solução, mesmo porque, não há como fabricar eletricidade em abundancia que, cada vez mais, é consumida como se não fosse finita.
    Catastrofísta, eu? não, amigos, apenas realista. As alegrias que pudemos vivenciar, jamais retornarão e a moçada irá aprender como viver com pouco. Isso se nenhuma anta apertar, antes, o botão errado.

    ResponderExcluir
  19. Pensata:

    “Quando o óleo de baleia começou a perder força, 150 anos atrás, por falta de baleias, ninguém ficou subsidiando a criação delas para manter o fornecimento de energia”

    De Richard Hoey, economista-chefe do BNY Mellon, o maior banco de custódia do mundo -- tem mais de US$ 25 trilhões em ativos, isso equivale a cinco vezes o Produto Interno Bruto (PIB) da China, o segundo maior do mundo.

    Via http://joaovillaverde.blogspot.com/2011/03/pensata.html

    ResponderExcluir
  20. Ainda bem que já dirigi muito nessa vida.

    Até lá já estarei bem velho, talvez nem vivo mais.

    Seria um tédio dirigir um carro sem ouvir nenhum ronco de aumento de rotações.

    O ronco do Ciclo Otto, que tanto nos entusiasma em dirigir, seja um V-12,10,8,6 ou um simples 4 cilindros, convencional ou supervalvulado.

    Teremos muita saudade dessa atual época, que não voltará mais.

    O homem cada vez mais caminha para não mais sê-lo.

    ResponderExcluir
  21. 1k2, disse também grandes verdades. Li depois que postei o meu coment. A saída, no caso, será fazer parte da nomenklatura governante.
    Já pensaram? Não posso ter um caso, mas sou piloto da ambulancia e mato a vontade de pilotar.
    Desculpem, hoje estou mais pro sarcasmo...

    ResponderExcluir
  22. Essa declaração é de uma cretinice medonha!
    Os ecochatos já colocaram a culpa pelo aquecimento global nos puns das vacas, nas queimadas da amazônia, e agora nos veículos.
    Falar e fácil, quero ver é propor algo realmente factível a curto prazo e que realmente resolva os problemas de logística do mundo de forma racional e barata.
    Você ficaria sem acessar a internet, tomar banho quente no frio, namorar gostoso no ar refrigerado do motel, ou estudar a noite com luz elétrica para economizar energia?
    A energia que proporcionou o desenvolvimento fantástico da humanidade nos últimos 140 anos é a mesma que garante o seu conforto, entretenimento e segurança.
    Garanto que nenhum europeu deixaria de desligar a calefação da sua casa no inverno em prol de salvar o planeta...
    Sejamos coerentes! Os fenômenos climáticos não foram fixos, imutáveis através dos anos como querem fazer-nos acreditar para justificar um calor ali, ou um frio acolá. Raríssimas pessoas viveram mais de 100 anos a ponto de poderem testemunhar com rigor científico que o mundo mudou (e mudará) radicalmente por causa da atividade humana.
    A terra sempre esteve e estará em constante mudança. Antes eramos a Pangea. Hoje somos 4 continentes físicos criados por bilhões de manifestações da natureza. O planeta é perpétuo. 78 anos de vida de um humano em média é nada comparado com a evolução do planeta. Cabe a nós nos adaptarmos.
    Não se esqueçam: na natureza, nada se perde, tudo se transforma.

    Bob, tenha dó dos europeus. Eles não tem etanol...

    ResponderExcluir
  23. Alexandre - BH -29/03/11 18:22

    O homem está perdido com as próprias invenções. O que antes era solução, agora torna-se problema. O automóvel é uma das máquinas mais fantásticas já criadas, mas ninguém sabe como resolver o caos no trânsito, que destino dar a montanhas de pneus usados ou como obter uma fonte de energia realmente interessante. Criamos tecnologias que muitas vezes se transformam em bestas indomáveis. Chernobyl e Fukushima são exemplos. Acho que a discussão nos próximos anos terá que ir além de motores de ciclo Otto ou elétricos.

    ResponderExcluir
  24. Arnaldo Keller
    Claro que são 39 anos, quem falou em 49? Leia com atenção!
    Brincadeirinha...escrevi 49 mesmo mas me toquei há instantes e acertei, depois fui ver se alguém havia comentado.

    ResponderExcluir
  25. Independentemente do uso de motores elétricos ou movidos por combustíveis, a sociedade baseada no uso do automóvel individual está com os dias contados. Não por decisão política, não por decisão do mercado, mas pela impossibilidade de planejar as cidades para tantos veículos.

    A equação que coloca a população crescente e o espaço ocupado por carros de um lado, não fecha com a capacidade das cidades absorverem a demanda do outro.

    São Paulo está beirando o colapso, mas até cidades pequenas, com menos de 100 mil habitantes também enfrentam engarrafamentos em suas principais vias, principalmente aquelas mais próximas dos grandes centros, que se comportam como cidades satélites ou cidades dormitórios.

    Em 30 ou 40 anos, veremos cada vez mais gente trabalhando em casa, ou voltando a morar nos velhos centros. Com certeza o mundo ficará mais chato, e não há mais uma nova América ou Austrália para ser descoberta.

    Portanto, curtam muito o entardecer da era do automóvel. Nossos netos não terão a mesma oportunidade.

    ResponderExcluir
  26. Quem ainda acha que o CO2 está causando o suposto aquecimento global deveria se informar um pouco mais:

    http://agfdag.wordpress.com/2010/11/27/canal-livre-recebe-o-climatologista-luiz-carlos-molion/

    Na idade média foi a caça às bruxas, no século XX foi a guerra fria, agora a moda é aquecimento global. O pessoal está com a memória muito curta. Alguém aí já esqueceu o último inverno no hemisfério norte?

    O clima da Terra é naturalmente instável, estabilidade seria o estranho. Se existisse mesmo um aquecimento (ao contrário do provado resfriamento global) seria consequencia de uma variedade imensa de fatores. Aquecimento causado pelo homem só nas grandes metrópoles com as ilhas de calor. Mas achar que globalmente fazemos alguma diferença seria muita pretensão de nossa parte.

    Os ecologistas deveriam estar mais preocupados com problemas reais, como a poluição desenfreada dos oceanos e rios, o desmatamento, o armazanamento e reciclagem do lixo etc. Estes sim problemas ecológicos reais e factíveis que devemos buscar soluções IMEDIATAMENTE.

    Quem diz que o CO2 traz algum problema climático deveria parar de respirar, pois expiramos CO2.

    Outra sugestão paara quem quer abrir os olhos e se aprofundar mais no assunto:

    http://agfdag.wordpress.com/videos/

    Agora sim, podem trazer as tochas, foices e ancinhos e me queimar na fogueira.

    ResponderExcluir
  27. Anônimo 18:39

    Acho que além de vc, fui o outro telespectador desse canal livre...
    Pra quem não sabe, é exibido na Band, aos domingos, depois da meia-noite. E divide e a minha atenção com o É notícia do Kennedy Alencar na Rede TV!

    Tem dia que o controle não para...

    ResponderExcluir
  28. Anônimo 29/3 16:54
    Que papo de bicho-grilo, esse seu. Pelo jeito é daqueles que contra o automóvel.

    ResponderExcluir
  29. Pois é, essa histeria carbônica ainda vai render muito (lê-se $$$). Quero ver se esse bacana europeu é tão consciente com o mundo que sequer anda de carro próprio, somente de transporte coletivo... E tanto barulho para resolver incríveis 15% das emissões de CO2. Afinal, o que são 85% diante de 15%?!!!

    Sugiro também enfiar uma rolha no fiofó de todas as vaquinhas europeias, já que o gás metano é muito mais danoso em termos de aquecimento global (aborve 23 vezes mais calor que o CO2, embora degrade mais rapidamente que este último).

    Enquanto isso, a gente vai procurando mais formas de infernizar a população mundial.

    ResponderExcluir
  30. Sabem o que está faltando para um cara desses? Café.
    Depois de carpir uns vinte alqueires, quero ver ele arrumar fôlego para falar tanta besteira!

    ResponderExcluir
  31. Caio Cavalcante29/03/11 19:49

    Projeto um tanto arriscado esse.
    Ainda é preciso desenvolver, e muito, a tecnologia de baterias e formas de recarga. A tecnologia mais promissora no momento utiliza o lítio como matéria prima. Esse metal encontra-se bastante disperso na natureza (é bastante reativo) e sua estração não é fácil, sendo encontrado sempre em pequenas quantidades, em rochas vulcânicas e sais naturais. As maiores reservas conhecidas se encontram no Chile e na Bolívia. Acredita-se que a Venezuela possua uma grande reserva, e os EUA divulgaram ter achado no Afeganistão. Posto isso, trata-se de uma commoditie que em sua maior parte está na mão de governos populistas e instáveis: Evo Morales já afirmou que não pretende deixar grupos estrangeiros explorarem o lítio boliviano. Assim, cai por terra a teoria de busca de independência dos europeus em relação aos produtores de petróleo. Eles apenas iriam passar a comer nas mãos de outros.

    No mais, como muitos já falaram, onde vamos encontrar toda a energia elétrica necessária? E a mudança drástica que as cidades precisarão passar para se adequar â distribuição de energia para a recarga dos automóveis? Seria necessário rever vários conceitos urbanos, será que dá tempo? Aliás, mudança de costume das pessoas inclusive: hoje a Nissan faz até um estudo do perfil de cada possível comprador do Leaf, pois não é todo mundo que se adequaria a utilizar um elétrico, e um usuário insatisfeito pode prejudicar todo o desenvolvimento do produto.

    Seria uma lástima ver esse progresso dos motores ciclo Otto e diesel ser interrompido por uma canetada e essa histeria coletiva. A política parece que já se aproveita disso, infelizmente.

    ResponderExcluir
  32. O motor ciclo otto ainda vai evoluir muito nesses próximos anos, a eletrônica vem ajudando muito nisso.
    Essa idéia pode mudar a qualquer momento.

    ResponderExcluir
  33. Eurpoeu delira e viaja na batatinha.

    Tenho um tio portugues....Completamente bairrista, chega a ser irritante. Incapaz de enxergar algo bom no mundo que não tenha vindo da Europa.

    Quero ver algumas coisas: Quero ver o Sr. Slim Kallas e a Uniao Europeia derrubar os fabricantes Ingleses, franceses, alemaes e espanhois de carros. Pago para ver! Acabar com o motor de combustão interna? Pago para ver também.

    Carro a energia eletrica? Da onde vão tirar tanta energia eletrica? Tem que fazer bastante usinas nucleares para suprir o consumo.

    A paranoia carbonica é enorme e nao tem prazo para acabar. ALiás, atee tem: A União Eurpeia é tão engessada, burocratica e amarrada economicamente falando que somente a Alemanha está em boas condições economicas. Grecia, Espanha Portugal, irlanda e dizem que a bola da vez agora é a França estão piores que o Brasil em materia de contas publicas.

    ResponderExcluir
  34. Nascí em 1970, sinto-me na situação do queijo japonês (Tofu)... Com alguma sorte, as carnes vermelhas gordas e os queijos amarelos e azuis me levam dessa para outra antes da concretização dessa sandice.

    ResponderExcluir
  35. Rodolfo Milet29/03/11 22:04

    Também sou de 1970, e quero estar vivo para ver se essa besteirada vai dar certo, creio que não pois será difícil encarar as grandes fabricantes européias e algumas americanas com subsidiárias lá (Ford,GM)e convence-las a tirar de circulação os carros a gasolina. Daqui a pouco vão querer que os aviões sejam elétricos também...

    ResponderExcluir
  36. No post sobre o Monza, comentei algo que combina mais com esse post:

    "Carro elétrico é o santo graal dos fabricantes assim como as TVs de LCD foram em relação as CRT, porque representa uma queda alucinógena no custo de produção."

    É essa explicação minha gente! Meio ambiente de c# é r0l4!!!!

    O custo de produção de um motor convencional, paga vários motorzinhos eletricos.

    Essa é a verdade!

    ResponderExcluir
  37. Quanta bobagem deixam esse homem falar! Mas também, é só isso que ele fará, falar e falar...
    É mais fácil criar um vilão, o "mr. automóvel satânico", do que dizer que quem polui realmente com impacto destruidor são outros setores, como indústria pesada. Que, se forem comprometidos, levarão à uma recessão mundial.
    Então é mais fácil ficar pegando no pé dos motoristas como se eles fossem os grandes culpados. Lava-se a consciência e ainda paga de bonzinho.

    ResponderExcluir
  38. Esse cara deve estar querendo se eleger a alguma coisa por lá.

    ResponderExcluir
  39. http://www.caradvice.com.au/110838/electric-cars-pollute-more-than-petrol-cars-report/

    E aí? O que o Slim Kallas teria a dizer sobre isso?

    ResponderExcluir
  40. Tirando o fato do mundo árabe entrar em guerra (o único recurso deles é o petróleo), não sei qual o motivo das fábricas não investirem no carro movido a ar comprimido ... na França tem um deles funcionando e no Brasil (acho que em Santa Catarina), tem um inventor que tem até patente deste motor, que não polui, muito pelo contrário, expele oxigênio ... seria um carro urbano ideal ... mesmo os rpodutos de petróleo não "morreriam de fome", pois ainda teriam os veículos à diesel (incluindo os barcos0, aviões e carros - sim, nem tondos migrariam para este novo veículo) ...

    Geraldo

    ResponderExcluir
  41. Será que ninguem enxerga que o grande problema é a quantidade excessiva de pessoas na Terra? mais de 6 BILHÕES !!!!! se a população hoje fosse por exemplo a metade da atual com certeza teriamos muito menos problemas, imagine metade da frota circulando,muito menos poluição e menos congestionamentos,o que nenhum governante tem coragem de encarar é o controle de natalidade, é algo impopular e que so da bons frutos a longo prazo, coisa que não interessa aos politicos !!!

    ResponderExcluir
  42. Arnaldo Keller30/03/11 08:35

    É isso aí, João Ferraz!

    Vamos começar é já com um verdadeiro pega-pra-capar!
    Quem é o primeiro da fila aí?

    ResponderExcluir
  43. É isso aí, João Ferraz...

    Provando estar disposto a ser coerente com sua opinião, quem você ofereceria para a esterilização forçada? Sua mãe e irmãs? Filhas?

    Por que você não vai morar na China?

    ResponderExcluir
  44. João Ferraz: subscrevo suas palavras.
    E acrescento que a grande culpa dos 6 bilhões de seres é dessa coisa matusalêmica chamada igreja, historicamente aliada de governos corruptos e ditaduras da pior espécie! (Há exceções, como tudo)
    Abs, Fred.

    ResponderExcluir
  45. Anônimo/Fred

    Dê a sua contribuição: jogue-se na frente do primeiro caminhão que encontrar.

    A lavagem cerebral politicamente correta mencionada pelo Bob Sharp está mesmo tornando a classe "mérdia" brasileira cada vez mais idiota.

    ResponderExcluir
  46. Uniblab, adorei sua explanação a respeito e seus poderosos argumentos.
    Realmente uma belíssima intervenção e uma grande contribuição à matéria que está sendo discutida. Sem falar de seus conselhos sapientíssimos que resolvem os problemas de uma vez por todas. Abraços do admirador! Fred.

    ResponderExcluir
  47. By the way, aproveitando a presença de autoridade no assunto com tanta riqueza vocabular, gostaria de perguntar ao nosso querido Uniblab se ele acredita em outras lavagens cerebrais do tipo da existência da camada de ozônio, envenenamento por césio, a Terra esférica, a evolução de Darwin, a teoria da relatividade e outros embustes em que a classe média vive caindo. Do admirador, Fred.

    ResponderExcluir
  48. Caro Bob,
    Como cheguei tarde na conversa e só li o blog na diagonal, pincei uma citação que denota uma profunda distorção de valor.
    O que se precisa não é "fluidez do trânsito" como você cita e sim eficiência e conforto na mobilidade pessoal.
    Com essa divergência essencial discutir o resto é perda de tempo.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  49. Até 2050, muita coisa vai rolar e nem sabemos o que vai acontecer e até onde a evloução dos motores vai chegar. Pode ser meio viagem minha, mas quando criança, eu imaginava carros voando em 2015, tipo "De Volta para o Futuro II". Talvez o triste dessa história seja ver a humanidade discutir diminuição de CO2 para...2050, ainda! Quando vou ver carros voando??

    João Paulo

    ResponderExcluir
  50. O Observador...30/03/11 14:23

    Tomara que dê certo....tomara mesmo...
    A mundo não precisa de mais carros emporcalhando as ruas...o mundo precisa de consciência, atitudes efetivas.
    Danem-se os motores a combustão seja de que diabo de ciclo estúpido possa ser...eu quero é que meus filhos e netos consigam sair nas ruas sem precisar disputar espaço com tranqueiras metálicas que servem apenas pra travar as ruas por onde circulamos.
    Abaixo o consumismo descabido, viva as bicicletas...!!!

    ResponderExcluir
  51. Paulo Ferreira30/03/11 15:38

    Esquecem fácil que a energia elétrica pros carros vai ter que sair de algum lugar também.

    Isso significa um possivel numero absurdo de termonucleares, termoelétricas comuns (cuspindo carbono) e campos infinitos de placas fotosensiveis que terão manutenção estupidamente cara.

    Talvez obriguem todos a andarem de bicicletas com cota mensal de flatulência.

    ResponderExcluir
  52. Paulo, não é porque as coisas são difíceis que a gente deve pensar que elas são impossíveis de serem feitas. E não é por isso também que a gente deve deixar tudo como está pra ver como é que fica. Tem um problema real: o mundo em que a gente vive está ficando doente. Há 40 anos era inimaginável ter expositores de qualidade do ar nas ruas de SP, hoje eles são paisagem. Desconfio que no dia em que uma resolução dessas for posta em prática a economia global encontra rapidinho um jeito de fazer energia limpa a partir de fonte renovável e sobretudo segura. O que acho que não pode é ver que o planeta tá ferrado e deixar rolar só porque a gente ama automóvel. Alguém aí tem algum outro lugar pra viver?

    ResponderExcluir
  53. Caro Fred,

    Uma coisa que todo mundo esquece, e que até um BRIC está passando por isso, é o chamado "inverno demográfico". Aqui esse fenômeno ocorrerá em 20 ou 30 anos, em que a população irá diminuir de tamanho devido ao menor número de filhos que os casais estão tendo. Pode reparar, quanto maior a renda, mais "egoísta" é o casal que prefere ter um ou dois filhos e isso contraria a lógica capitalista-cristã de "crescei-vos e multiplicai-vos para dominar a terra". No máximo em 20 ou 30 anos a África e a Ásia também entrarão em inverno demográfico, e aí deixaremos de receber, assim como a Europa e EUA, imigrantes que fariam o papel de mão de obra barata, aumentando alguns custos de produtos. Sim, sem crescimento da população não há novos mercados e isso significa um ambiente mais inóspito e selvagem para o empreendedor. E nesse futuro mundo cão, só os mais fortes sobrevivem. E para piorar os idosos serão maioria e sobrecarregarão os sistemas de previdências públicas e privadas que irão quebrar de vez, deixando um monte de idosos incapazes sem renda. E os Europeus se preocupando com 2 graus a mais na temperatura global...

    ResponderExcluir
  54. Para os que não sabem: controle de natalidade é somente orientar os casais a ter 2 filhos,é matematica pura, assim a população não se elevaria, não precisa esterilizar nem se matar ninguem, é so educar, ja seria um caminho.
    Se voces acreditam que Terra pode suportar um aumento sem fim no numero de pessoas estão enganados, os recursos não são infinitos e mesmo com os avanços da tecnologia não ha milagres ...

    ResponderExcluir
  55. Bob, a indústria precisa vender novidades....

    Carros mais econômicos são um chamariz para você trocar o seu velho modelo beberrão. Ainda mais na Europa onde o imposto é maior quando seu carro polui mais.

    Só que a galera se esquece de ver o quanto de polui para fazer um carro, transportá-lo, vende-lo, etc. Enquanto isso a indústria está mega aquecida vendendo cada vez mais carros. Logo eles, os vilões do aquecimento global. Veja que incoerência.

    ResponderExcluir
  56. Daniel San30/03/11 19:08

    Eu só acho que está tudo ligado:seja lá quem for viu uma mina de dinheiro nessa onda de carros elétricos e ajudou a criar a histeria carbônica.É a praga do politicamente correto em ação. Não é preciso ser sábio para perceber que toda essa história de poluição,emissões,etc,não está voltando em benefícios para o povo e muito menos para os motoristas,mas sim em novas obrigações,despesas,aporrinhações,perda de tempo...Fica mais do que claro que todo esse papo de emissões está beneficiando alguém que não somos nós,e o governo,como sempre,resolve as coisas na base da canetada,com o rodízio,análise de gases na inspeção veicular,etc.Não vai demorar vão sobretaxar os carros que poluírem demais,ou seja,daqui a pouco vamos ter de pagar imposto pra respirar...

    ResponderExcluir
  57. Paulo Ferreira30/03/11 21:09

    Anonimo de 16:06

    Olhe os dados citados no post! Esse fanatismo se da por conta de 15% da emissão de compostos de carbono no mundo! Que tal atacar antes os outros 85%?? Por exemplo: se diminuir 50% das emissões por conta desses 15% na real será uma diminuição de 7,5% do total ao passo que se diminuir 50% das outras fontes de emissão traria uma diminuição total de 42,5%. E aí? O que é melhor? Diminuir 42,5% ou 7,5%??

    Eles estão atacando o problema de forma super equivocada.

    E uma curiosidade, se não gosta de carros o que faz aqui?

    ResponderExcluir
  58. Caro 1k2, tem isso também, você tem razão. É mais um ingrediente do prato. O problema é que estão botando o prato no microondas, meu amigo. Procure no google pelo ARLA32, nova tecnologia a diesel que combaterá o NOx (óxido de nitrogênio). Na hora em que governos são pressionados pela opinião pública etc, e endurecem o jogo, a indústria sempre arranja um modo de solucionar o problema via tecnologia. Sem pressão, eles explodem o planeta, que se dane, o negócio é lucro. O capitalismo nunca foi tão selvagem. Abs. Fred

    ResponderExcluir
  59. Desencana, Bob, pois vai dar em nada. O que vai determinar o futuro, mesmo, será a evolução das tecnologias. A fala do cara vai car por terra...

    ResponderExcluir
  60. Paulo Ferreira, olha o fim do meu post: "...O que acho que não pode é ver que o planeta tá ferrado e deixar rolar só porque a gente ama automóvel." Amo automóvel. Aprendi a dirigir com 4 anos, trocando marchas na pickup Studebaker do meu tio. Procure no google o ARLA 32. É a favor do automóvel, não contra. Meu ponto é (aliás, nem é meu ponto, é fato, dado verificável cientificamente)que o diabo do planeta está sofrendo com emissões de uma enormidade de fontes, sobretudo automóveis. Alerta vermelho. O que os caras fizeram foi: bem, já que a indústria não faz, a gente faz, daí proibiram etc, etc nos países da União Européia. Ataque à indústria automobilística? Não. A favor do planeta. Tem mutreta aí no meio? Sei lá. Mas aparentemente é uma posição sensata (diante do perigo)e exequível (diante do tempo de colocação em prática). Não é nenhum bicho de 7 cabeças. Abs.

    ResponderExcluir
  61. Anunciada a queda do cavalo de Slim Kallas:

    http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/afp/2011/03/30/microalgas-alimentam-se-de-co2-para-produzir-biopetroleo.jhtm

    ResponderExcluir
  62. Paulo Ferreira01/04/11 15:59

    Desculpa pela falta de atenção anonimo que conversa comigo.

    A grande questão é que não é "sobretudo os automóveis". Se de um dia para o outro ninguém mais utilizasse automóveis sendo.. carros aviões e o diabo... 85% do problema continuaria aqui, e mais outro detalhe: obviamente seria penoso pra toda população mundial resolver estes 15%, enquanto que faria diferença para poucos de forma direta (frisando o "de forma direta") se fossem atras de melhorar os outros 85%... e poucos que nadam em dinheiro.

    ResponderExcluir
  63. Caros,

    Esqueçam qualquer forma de biocombustíveis. Apesar do álcool reter 10% do CO², do plantio ao consumo, ele ocupa áreas que segundo os eco-chatos socialistas adeptos da teologia da libertação deveriam ser usadas para a missão sagrada de produzir alimentos para a humanidade. Então usar a terra (ou o mar) para produzir combustíveis seria uma afronta ao princípio de que a vida é sagrada e estaríamos desvirtuando o uso de algo sagrado para fins comerciais. A conversa é desse nível para baixo, chegando ao ponto de sugerir que abandonemos os ônibus para adotarmos as bicicletas como alternativas de transporte para não usarmos combustível fóssil. Chavez e Fidel são adeptos dessa teoria de que a terra e a água são recursos sagrados só para vocês se situarem e se alguém trabalha com baterias sugiro achar algum íon de algum material que seja mais fácil de se encontrar, porque 90% do lítio está na Bolívia de Evo Morales, um outro tanto está no Chile e o restante espalhado por aí.
    O futuro é negro, chato e monótono como uma bela sessão de tai chi chuan.

    ResponderExcluir
  64. Podem ter certeza que ninguém dá a cara para uma notícia dessas sem ter cartas na manga. Trabalho nesse setor de pesquisa e já existem DEZENAS de soluções para reduzir a emissão não só de CO2, mas HC, CO, SO2, CHO, NOx, etc... em veículos movidos à combustão. Fala-se tanto em em carbono, mas e os demais? Por incrível que pareça uma das melhores tecnologias desenvolvidas no mundo é de um brasileiro. Está trancada a 7 chaves para ser divulgada no momento em que precisarem atingir estas metas que estão alardeando agora. Já poderia estar no mercado essas soluções. somente não estão por questões políticas. Enquanto isso o planeta e nossa saúde que se explodam....
    Não se apeguem a um mero discurso. Ele não é sem fundamento e esse cara não é maluco, só quer lucrar na hora certa.

    ResponderExcluir
  65. Uma curiosidade, esses que odeiam carro o que fazem aqui? Semeando discórdia?

    Vão pra algum blog ecológico!!

    ResponderExcluir
  66. Lá vem esses gringos falando mer..... É sempre assim: o primeiro mundo faz e acontece e depois querem estabelecer "metas" com esses papos furados que mais parecem discussão de tese acadêmica... Pra mim, esse tipo de assunto me enoja, pois, trata-se de pura hipocrisia.

    ResponderExcluir
  67. Concordo com o controle de natalidade... favelado adora encher o barraco de "filhos" pra "pedir" dinheiro no semáforo!!!
    Tem que amarrar as trompas mesmo!

    ResponderExcluir
  68. Pelo menos quando proibirem os carros de ciclo Otto (se proibirem) eu já estarei morto.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.