É BRINCADEIRA?

Segunda-feira, 13 de dezembro de 2010, 15 horas. Acabo de sair da redação da revista Quatro Rodas (na Marginal Pinheiros) e sinto no rosto os primeiros pingos dessa pequena chuvinha de verão que travou a cidade inteira.

Tenho um compromisso marcado no Ipiranga às 18 horas. "Tempo de sobra", penso eu, já calculando que o caminho mais lógico seria pegar a Av. Pedroso de Morais para depois subir a Av. Rebouças. Logo depois, a dobradinha Av. Paulista + Rua Vergueiro se encarregaria do resto do percurso.

A chuva aumenta, a fluidez do trânsito diminui. Antes da subida da Rebouças, no cruzamento com a Av. Brasil, um verdadeiro "arranca-rabo" de motoristas e motociclistas, em uma peleja para ver quem é que tinha o direito de passar, devidamente registrado na foto acima: sem qualquer explicação lógica, os semáforos simplesmente passaram a operar em "amarelo piscante".

Absurdo dos absurdos. Começo a subida da Av. Rebouças e logo após o Hospital das Clínicas percebo que não há como trafegar pela Av. Paulista. A solução é descer a Consolação e depois acessar o centro pelo viaduto Nove de Julho, para depois então cair na Av. do Estado.

Já no final do viaduto Nove de Julho, tudo "amarelo piscante" de novo, no cruzamento da rua Santo Antônio e logo no começo do viaduto Jacareí. Novo princípio de "arranca-rabo": rua Maria Paula travada, agentes da CET terminando de bagunçar o trânsito na praça João Mendes e Av. do Estado totalmente parada.

Chego ao Ipiranga com 10 minutos de antecedência: Foram 2 horas e 50 minutos para percorrer apenas 15 quilômetros, tão estressado que sequer calculei a ridícula média horária. E tudo por causa de uma chuvinha de verão.

É brincadeira? Logo na cidade que não pode parar...

FB

55 comentários :

  1. Triste e revoltante realmente.
    Aqui em BH já aconteceu, várias vezes, de eu gastar 2 horas do alto da Av Raja Gabaglia até a Savassi (pra quem não conhece, aproximadamente uns 6 Km). Sempre em épocas de chuvas, por mais fracas que sejam, agarra muito.
    Não sei explicar o motivo. Porque o comportamento dos motoristas mudam tanto. Tá certo, é preciso mais cuidado, mas não justifica.
    Outro ponto. Os semáforos deviam ser considerados, e tratados, como um equipamento de segurança vital. Não há explicação para que ele parem de funcionar sob a chuva, onde são mais necessários. Se param, é porque falharam no projeto e não protegeram os componentes eletrônicos. Não interessa muito porque param, não deveriam sob hipótese nenhuma.

    Estressa só de falar sobre isso...

    Abs

    ResponderExcluir
  2. Coisas de São Paulo, outro dia demorei cerca de 3 horas de Higienopolis à São Bernardo do Campo, trajeto que faço normalmente em 1 hora. Mas tudo tende a melhorar quando começarem as ferias

    ResponderExcluir
  3. Marcelo Augusto14/12/10 16:37

    Boa parte da culpa é do próprios motoristas:

    andam feito lesmas;

    demoram a arrancar da imobilidade nos semáforos ou qualquer outra parada; demora 1 minuto para engatar e operar embreagem, depois falam que não gostam de caixa automática...

    tem preguiça/incompetência/falta de educação de acelerar até a velocidade permitida da via;

    confundem pista molhada com escorregadia, esta inexistente no Brasil, pois não há temperatura para isso, mas as rádios adoram o termo...

    dobram esquina mais lentos e com mais espaço que uma cegonha

    os motociclistas mesma coisa, só sabem andar rápido quando o corredor está parado.

    ResponderExcluir
  4. Aqui em Brasília está começando a ficar do mesmo jeito, começou a chover o trânsito diminui drasticamente a fluidez. Mas a última vez que enfrentei semáforo intermitente com trânsito tumultuado foi em um cruzamento que existe na transição Asa Sul-Asa Norte, antes de um viaduto. Há duas pistas que cortam a principal, que é a W3, para cima e para baixo. Foi um inferno e nenhuma autoridade de trânsito para organizar e acabar com a confusão.
    O batalhão de trânsito da PM só chegou 40 minutos depois. Agora o mais estranho disso tudo é que nesse dia não choveu, ou seja manutenção dos semáforos 0.
    Além disso uma dúvida, existe um Departamento de Trânsito e quem acaba organizando de fato é a PM...
    Para que então DETRAN???

    Rodolfo Milet
    Brasília-DF

    ResponderExcluir
  5. Sexta levei 1:30 da Guido Caloi até a Santo Amaro x Roberto Marinho!

    O que mais irrita é a ignorância do povo, cortesia é coisa rara!!!

    Via de regra, a pessoa liga a seta e o acéfalo ao lado cola no carro da frente.

    E assim seguimos... travados!

    ResponderExcluir
  6. Marcelo Augusto
    Parabéns pelas observações. É exatamente o que acontece e uma das causas do que estamos vivendo. Um primo fez exame de motorista nos EUA e ao parar num semáforo e pôr o câmbio manual em ponto-morto, levou bronca do examinador. Tem de ficar em primeira aguardando o verde para não haver demora ao arrancar, o que prejudica os demais. Outra coisa irritante por aqui é o sujeito parar muito longe carro da frente, às vezes dois ou mais carros. Sempre reclamo e até hoje todos atenderam. Sabe por que as rádios dizem "está chovendo e as pistas estão escorregadias"? Porque provavelmente um dia esse tipo de informação foi copiado de algum país avançado e adaptaram de "A temperatura está baixa e pode haver formação de gelo". É óbvio que pista molhada é escorregadia. Mas por causa de avisos como esse isso muitos motoristas têm medo do molhado.

    ResponderExcluir
  7. Bob,
    Acho mais irritante o sujeito que vive colando nos outros...
    Sempre respeitei a distância mínima, que possibilita ao menos enxergar os pneus do carro a frente (isto em situação "anda e para" logicamente).

    Sds

    ResponderExcluir
  8. Marcelo Augusto14/12/10 17:40

    Bob,

    Como o universo de carros é predominante de baixa cilindrda (os "mil" como gostam de falar), um dia fiz um teste para saber se é culpa do carro (é isso que muitos alegam por andar mais lento) ou do motorista.

    Peguei um Corsa sedã 1 litro (o novo, não o Classic) acho que um dos mais desfavoráveis em peso/potência/torque, e vi que é culpa dos motoristas. Arrancava tanquilo, e mesmo assim olhava pelo retrovisor e a distância do carro atrás era além do razoável. Mantinha velocidade máxima da via mesmo em aclives.

    Todo o condutor deveria ter noção que motor é para ser usado na sua plenitude, é feito para isso, não vai estragar. Outra, potência é resultado de carga mais rpm, um carro de 70 cv a 6000 rpm com pé na "casquinda" não gera esta potência nominal, mas a mesma que se estivesse a 2000 giros e pé no fundo. E de quebra gastando menos, já que uma das razões de muitos não dar giro é o medo do consumo. Esse simples esclarecimento como parte das matérias para se obter e renovar habilitação, faria um bem danado ao tráfego e a economia de combustível global.

    ResponderExcluir
  9. Vou ser apedrejado: mas podem reparar se normalmente esta demora de sair do lugar com o carro 1000 não é de uma motorista ...

    ResponderExcluir
  10. Acho que alguns aqui têm dificuldades de interpretação de texto. O post fala sobre semáforos que param de funcionar, mesmo nas mais leves chuvas.
    Tem gente que acha que por causa de alguns metros, o trânsito vai melhorar, o que é impossível com as ruas entupidas de carros.
    Eu paro o meu carro e desengato marcha. Em caso de colisão, meu motor não vai quebrar. Errado é a autoescola que ensino o contrário! Também paro a uma distância razoável do carro da frente. Danem-se os apressadinhos. Não é na malandragem que se faz uma sociedade melhor.

    ResponderExcluir
  11. Bob, como assim com carro manual.

    Lá se faz teste com esse tipo de transmissão? Não é tudo automático?

    ResponderExcluir
  12. Bob, obrigado pelo esclarecimento com a história do seu primo!
    Eu costumo deixar o carro em ponto morto no semáforo por causa de um tio meu que uma vez me disse que isso economizava a embreagem.
    De agora em diante não farei mais isso apesar de eu engatar rápido a primeira, às vezes fico surpreso em ver os carros que deixo pra trás quando o sinal abre.

    ResponderExcluir
  13. Marcelo Augusto14/12/10 20:01

    jopamacedo,

    Fazer o trânsito fluir é dever de todo condutor, ninguém tem o direito de virar obstáculo móvel na via. Questão de educação, cidadania e respeito ao próximo.

    A questão dos apressadinhos é interessante, nas estradas, basta não alugar a faixa esquerda que o problema acaba como um passe de mágica.

    ResponderExcluir
  14. Ainda bem que não peguei medo de pista molhada por causa dessa desinformação.
    Nunca percebi diferença no comportamento do carro.
    Ando com a mesma velocidade, pois confio nos meus pneus que ainda estão novos e com os sulcos profundos.
    O chato é ter que ficar mais atento para desviar das lesmas.
    Mas é claro que eu reduzo quando a visibilidade fica ruim de acordo com a intensidade da chuva.

    ResponderExcluir
  15. Nunca percebeu diferença???

    Cara, cuidado que tu pode estar indo pelo outro extremo.
    Em pista molhada, a diferença de comportamento do carro é muito obvia. Mas nada que exija que mudemos radicalmente o estilo de conduzir.

    ResponderExcluir
  16. Caio Ferrari, pelo menos nada que me assustasse.
    Não se preocupe, apesar disso, fico mais atento nessa situação.
    Compreendo que excesso de confiança também não é bom.

    ResponderExcluir
  17. A velocidade média do trânsito de São Paulo é de 25 km/h e nos picos da tarde, de 15 km/h, isso sem chuva. A média de pessoas por carro em São Paulo é de 1,8.
    Conclusão triste para nós que somos autoentusiastas, temos que repensar a forma de transporte em cidades. Pequenos carros elétricos, bicicletas elétricas com faixas exclusivas, etc. Deixe o seu super-sedan ou sua SUV de 2 toneladas na garagem e use-os para viajar. O problema é sério, e a solução também precisa ser séria.

    ResponderExcluir
  18. Roberto Araújo14/12/10 21:18

    Não posso deixar de ler alguns depoimentos aqui, e não lembrar que as maiores cagadas feitas no trânsito, quase sempre são obra daqueles que se acham os bons, e que todos os outros motoristas do planeta só servem para atrapalhar o "exímio piloto" que ele pensa que é.

    Pior que São Paulo e o resto do Brasil estão cheios dessa raça...

    ResponderExcluir
  19. Arthur Jacon14/12/10 21:57

    Goiânia, 17h20. Cai um toró daqueles sobre a marginal Botafogo. Imediatamente, justamente na parte expressa da avenida, é estancada a fluidez do tráfego. Logo à frente o motivo: dois condutores simplesmente pararam com medo da enxurrada. A água devia estar com uns 10 cm de altura e a enxurrada, devia ter uns cinco metros de largura. E os dois ali, paralisados pelo medo. Vai entender! Ziguezagueei, passei por ambos e fui embora, com pista limpa pela frente!

    ResponderExcluir
  20. Caio Cavalcante14/12/10 22:30

    Hoje choveu forte no Rio de Janeiro também, e gastei 1:20h num percusso de aprox. 5 km pela Lagoa Rodrigo de Freitas até o Humaitá. Uma hora cai na gargalhada ao ouvir no rádio que a prefeitura enviara uma equipe para "prontamente solucionar o alagamento da Av. Brasil". Ri de inacreditável, pois se trata de um local onde nas menores chuvas já a alagamento, e há muito tempo é assim! O que a prefeitura queria fazer após a cheia? Sugar a água? Ao invés de solucionar definitivamente, preferem fazer uma grande encenação

    ResponderExcluir
  21. Caio Cavalcante14/12/10 22:46

    Estive em São Paulo duas vezes de carro esse ano. Uma, de passagem em viagem para o Sul do Brasil. Noutra o motivo era visitar o Salão do Automóvel. Não deixei de comparar com o transito do Rio de Janeiro, onde moro. Embora São Paulo tenha um volume de tráfego, assim como os congestionamentos, muito maior e uma velocidade média muito abaixo do RJ, achei o trânsito paulistano mais ordenado e educado. O trânsito carioca está cada vez mais caótico, no sentido físico mesmo: carros trocando de pista o tempo inteiro e quase sempre sem dar sinal de seta, em vias com máxima de 80 km/h, por exemplo, carros a 20 km/h na pista da esquerda enquanto outros passam acima do limite pela direita, avanços de sinal a qualquer hora do dia e em locais que seria de se esperar maior educação das pessoas, a já citada lentidão do motoristas ao parar no sinal... Sei que muitas coisas não colaboram, como a colocação do postes dos sinais atrás (!!!) das linhas de parada, dificultando a visualização por parte dos motoristas (só eu já percebi isso no Rio), placas de trânsito em cima... enfim, um samba só!

    ResponderExcluir
  22. Sempre que paro no semáforo, eu desengato (já que sempre ouvi falar que é prejudicial a embreagem parar engatado), e procuro parar uma distância que ao menos enxergue o parachoque do carro da frente, mas quanto ao câmbio, sempre fico de olho no semáforo, quando vejo que o outro fechou, já engato a 1ª... quando sou o primeiro carro da fila e não tenho a possibilidade de ver o semáforo ao lado, fico com a marcha na 1ª mesmo.
    Eu sempre ando na minha, dentro da velocidade(sempre perto do limite máximo), o apressadinho alheio que saísse mais cedo da casa..

    ResponderExcluir
  23. Talles Wang15/12/10 00:45

    Bob,

    Bem lembrado essas "informações copiadas" de onde será que surgiu a expressão salve o planeta (salvar de quê? de quem?)... da expressão save the planet, o que significa preserve o planeta; essa é mais antiga: Deus é fiel, ora Deus é Deus, ponto. Surgiu da expressão que era colada nas caravanas do Jimmy Swegart onde nos carros se lia: God is the fuel, ou coisa parecida, portanto Deus é o combustível...
    Essas e muitas outras "adaptações" ao nosso português e tornam algumas expressões sem sentido...

    Um abração,
    Talles

    ResponderExcluir
  24. Acho um exagero sem tamanho ter que ficar com o carro engatado no semáforo. Até faço isso, mas só quando sei que não vai demorar. Se preocupar tanto em deixar espaço entre os carros é paranóia, muitas vezes o trânsito já está parado e ocorre de aparecer algum espaço. Eu vou colar na traseira do outro carro? Não, vou esperar abrir pra assim ter tempo de arrancar sem ter que parar novamente, só por fui apressado.

    ResponderExcluir
  25. Caio Cavalcante, tenho essa mesma impressão do Rio. Quando estive lá, percebi que os motoristas não respeitavam limite de velocidade, semáforo e nem faixa de pedestre. Aqui em SP temos problemas, talvez o pessoal do DF seja o mais educado (vi isso numa reportagem), mas acho que esse é um comportamento que os cariocas poderiam rever, para o bem de todos.

    Deus é fiel também acho estranho, Ele é O cara, não precisa ser fiel, nem devemos cobrar isso dele, seria desnecessário, não?

    ResponderExcluir
  26. Marcelo Augusto15/12/10 04:55

    De um bom tempo pra cá as embreagens são todas "chapéu chines". A resistência não é a mesma em todo o curso o pedal, sendo menor quando o pedal está todo premido. Carros automatizados usam o mesmo conjunto de acionamento, e trabalham o tempo todo com marcha engatada. Portanto, é feito pra isso, não estraga nada.

    ResponderExcluir
  27. Caro FB,
    O mais impressionante desta história é a questão dos semáforos...o abastecimento de energia elétrica da maior cidade do país deve ser um caco, pois qualquer dois pingo d´água já causa problema na rede...lamentável.

    ResponderExcluir
  28. É estranho ler que pista molhada é uma coisa e pista escorregadia é outra.

    Mas cada autoentusiasta acredita no que quiser.

    Eu prefiro não confiar 100% no piso, não sei ao certo o tempo que ficou sem chover e a situação do piso, do que arriscar uma colisão.

    Em SP a solução para melhorar o trãnsito não é o motorista que arranca mais rápido, porque esse, com certeza, vai parar mais rápido.

    ResponderExcluir
  29. Andando dentro do limite de velocidade permitido nunca percebi diferença entre pista seca ou molhada e somente engato a marcha se vejo que o semaforo já vai abrir (olhando o do outro sentido ou o de pedestres) ou então pelo tempo. Mas tem muito cara que parece que está dormindo e demora uma eternidade para arrancar.

    ResponderExcluir
  30. Ontem pensei sobre isso...
    Será que os limites de velocidade no Brasil são estipulados com base em situação de pista molhada?
    Como pudemos perceber, mesmo num blog bem frequentado, surgiram comentários do tipo "nunca percebi diferença nenhuma..."

    Sds

    ResponderExcluir
  31. Essa coisa de ficar com o carro engatado no semáforo, para depois arrancar na maior pressa, sob o pretexto de "agilziar" o trânsito, é uma das causas de atropelamento. A pessoa começa a atravessar a rua no sinal verde (para ele), no meio do caminho,o sinal muda. Aí, o motorista, sob o pretesto de "agilziar" o trânsito, arranca imediatamente.
    Dever do cidadão é ter cuidado, isso sim.

    ResponderExcluir
  32. Penso que devemos estar atentos para não atrasar a vida de ninguém, estando no trânsito ou não.

    Bem lembrado Jopa! Ainda mais com estes motoboys kamikazes... Todo cuidado é pouco e eles sempre são as vítimas perante a lei.

    ResponderExcluir
  33. Motoristas lentos atrapalham, no seco ou no molhado; motoristas que não acompanham o fluxo e deixam brechas atrapalham; mas enfim, o maior dos absurdos - e parece que poucos se dão conta - é um sistema de semáforos que não é a prova d'água. Temos há 6 anos esse prefeito marqueteiro que obriga particulares a limpar fachadas, mas que é incapaz de fazer a prefeitura pintar faixas (em vias expressas, na Bandeirantes, na 23 de maio, no acesso à Paulista). Temos um prefeito que adora câmeras e parecer em paradas & viradas culturais, mas que é incapaz de fazer semáforos funcionarem. Claro, isso sem falar em buracos, limpeza urbana, enchentes. Existe outro nome para isso, que não INCOMPETÊNCIA????

    ResponderExcluir
  34. Sucintamente?

    Incompetência de gestores públicos, em várias esferas.

    Steve.

    ResponderExcluir
  35. Jopamacedo,
    Atropelamento resulta de falta de atenção e em muitos casos desrespeito ao pedestre. Lembre-se, brasileiro só freia para cachorro, para pedestre buzina e acelera. Tem que ter cuidado, como você disse. Por exemplo, nunca arrancar do semáforo sem ter certeza de que não há ninguém na faixa. São incontáveis os imbecis que vêm se aproximando do semáforo fechado e ao notar que deu verde, continuam como só houvesse eles na rua.

    ResponderExcluir
  36. Anônimo 15/12 02:51
    Se todos mundo resolver deixar espaço para o carro da frente, haja espaço na cidade. Não custa nada movimentar um pouco o carro à frente quando abre espaço.

    ResponderExcluir
  37. Marcelo Augusto,
    Fusca 1100 de 25 cv tinha total desenvoltura no trânsito. Portanto, qualquer carro 1000 também têm, comentário perfeito o seu. Correta também sua observação sobre embreagens chapéu chinês, nada estraga nela ao aguardar o verde com o carro engatado.

    ResponderExcluir
  38. Jopamecedo
    Não como o motor quebrar estando o cêmbio em primeira e a embreagem desacoplada, e tomar uma batida por trás.

    ResponderExcluir
  39. Filipe,
    Nos baixos limites do Brasil, é indiferente estar seco ou molhado. Você está certo nisso. Como também está certo ao comentar que tem gente que parece que está dormindo. Sempre noto que ao arrancar normalmente num semáforo o carro de trás fica longe.
    Sempre digo que se nossos motoristas entrassem numa corrida, o ponteiro daria uma volta e os atingiria por trás ainda parados...

    ResponderExcluir
  40. Fabio,
    Em autoestradas como a Ayrton Senna e Carvalho Pinto a velocidade máxima com pista molhada cai de 120 para 100 km/h. Exagero, na minha opinião.

    ResponderExcluir
  41. Bob, eu não acho exagero diminuir a velocidade em dias de chuva.

    Os "motoristas" se matam no seco, plano, reto, com chuva então...

    Da mesma forma que na cidade, N fatores que nem sempre o motorista tem culpa e pode prever, podem ser evitados com uma velocidade menor em dias de chuva.

    Mas cada um cada um, prefiro pecar por ser mais prudente na chuva.

    E p/ mim está havendo confusão entre motorista lento e motorista prudente. Motorista lento não é motorista prudente.

    Da mesma forma que você não precisa ficar no semáforo com a primeira engatada. Você pode ficar de olho no amarelo do outro semáforo, e se não der, depois de um tempo parado engate a primeira. Acho que todos os motoristas tem uma noção de tempo de semáforo, mesmo esse variando. Se não conhece o semáforo, deixe engatado, se conhece, já tem o tempo.

    Da mesma forma que eu acho melhor colar no carro da frente, por causa dos cruzamentos.

    P/ entender o anda e para, e se é melhor arrancar rápido no anda e para, ou se é melhor arrancar lento, só vendo o trânsito de cima. Tenho minhas dúvidas... Acho que arrancar lento pode ser melhor.

    ResponderExcluir
  42. O problema é que se criou uma mentalidade de que alta velocidade e respeito às leis de trânsito são incompatíveis.
    Não demora muito o dia que aparecer um "gênio" proibindo as corridas automobilísticas alegando que elas incentivam as infrações de trânsito.

    ResponderExcluir
  43. Marcus Maia15/12/10 18:05

    Fabio,
    Por que você diz que com estes motoboys kamikazes... Todo cuidado é pouco e eles sempre são as vítimas perante a lei? Pois para mim e para a grande maioria é visível que esses animais sobre duas rodas em 99,99% dos acidentes são os culpados pelos acidentes.

    ResponderExcluir
  44. Pedro Navalha15/12/10 18:06

    Alta velocidade nunca matou ninguém, seja em pista seca ou molhada. O que mata é a parada repentina, às vezes num poste, outras vezes na traseira de outro carro, num muro...

    ResponderExcluir
  45. São Paulo é a cidade que não pode parar (pq não deve parar), mas é a cidade que um dia vai acabar parando, por conta da irresponsabilidade dos governantes, e outras cidades e capitais tb.

    A diferença no DF é que lá eles multam mesmo. Quando vc chega lá vindo de fora (se mudando de outro estado), eles logo avisam para respeitar pedestre pq a multa é pesada e vc não escapa dela. Eles até tentam fazer parecer civilizado aquele lugar.

    ResponderExcluir
  46. Pedro Navalha
    Você tem razão nisso. E digo mais, revólver também nunca matou ninguém, a menos que atirador acertasse o alvo...

    ResponderExcluir
  47. PietroCF
    A redução de velocidada da maioria na chuva é desnecessária, inclusive pelo fato de os nossos limites de velocidade serem normalmente baixos demais. Acho que a prudência deve ser exercida em qualquer situação, não só na chuva. Certo, motorista lento não é necessariamente motorista prudente. Isso de ficar com primeira engatada aguardando o verde é questão pessoal. O fato a registrar, entretanto, é que não abrevia a vida da embreagem, como muitos acreditam. Quando a ficar bem perto do carro da frente, é a atitude correta, pois se todo mundo deixar o espaço qua julgar conveniente, vai faltar rua logo. Não razão para arrancar lento. Uma das grandes vantagens dos trólebus sobre os ônibus de motor a combustão é justamente arrancar forte, evitando retenção desnecessária. Não prego arrancada tipo largada, mas sair com uma aceleração razoável, que o bom senso manda.

    ResponderExcluir
  48. Bob,
    Quanto a arrancar no semáforo, se tem algo que me deixa maluco é quando a escória da sociedade, vulgo motoboys, colocam as motos em diagonal a frente dos carros que estão logo atrás da faixa de pedestres... puuuuutz! Como se fossem donos da ruas!

    Olha, tive uma idéia para o próximo sábado de aleluia! Amarrar os motoboys nos postes da cidade! O que vocês acham da idéia?

    Lembro quando eu tinha o golzinho, já tão citado nos meus comentários mais antigos, com aquele carro, que mais parecia um carro de marginal, nenhum "cachorro loko" se colocava a frente, por que será né? Que coisa! Deu saudade daquela churrasqueira!

    Quanto à distância que devemos parar do carro da frente, lógico que nem 8 nem 80... A pessoa que cola no carro da frente não tem espaço nem para abrir para uma ambulância, se for o caso.

    Sds

    ResponderExcluir
  49. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  50. Não concordo que o principal problema do Brasil seja a quantidade de carros nas ruas.


    Sabemos que a sinalização das vias é falha e ultimamente visa multar e não educar; ainda há o despreparo e falta de educação da maioria dos motoristas e outras questões mais específicas (como o exceço de motoqueiros nas ruas).

    Em minha cidade solucionaram um dos pontos de congestionamento em uma das avenidas que dá acesso ao centro com o fechamento de uma saída para conversão e a adesão de 2 semáforos. O espaço continuou o mesmo, a quantidade de carros aumentou, mas o trânsito passou a fluir mais.

    Este vídeo é antigo, mas continua muito bacana para entender uma das origens dos congestionamentos:

    http://www.youtube.com/watch?v=Suugn-p5C1M

    Outra coisa que discordo é da invasão de carros grandes nas ruas. Parece ser a transferência de um problema de outro país para o nosso. Basta olhar para nossas ruas e avenidas... 90% dos carros tem dimensões pequenas. "Super-sedans" e "SUVs de 2 toneladas" são minoria. Os utilitários (e pseudo) que vejo em grande quantidade são pequenos, como Ecosport e Tucson. Famílias se apertam em Milles, Celtas e Gols da vida para viajar. Brasileiro compra carro por metro, mas a definição de "grande" em nossa terra é diferente da definição em outros países.

    Abraço

    ResponderExcluir
  51. Pedro,
    Este vídeo explica tudo. Eu já o conhecia mas vê-lo de novo é sempre bom. Recomendo que todos o assistam para entender como se formam a maioria dos congestionamentos.

    ResponderExcluir
  52. Poisé, Bob! O vídeo é simples, mas bastante explicativo.

    E só uma correção: escrevi "exceço" ao invés de "excesso".

    Abraço

    ResponderExcluir
  53. Eu já tinho visto esse video. Mostra a incapacidade das pessoas de manteram a velocidade constante.

    Na época que eu trabalhava ao lado da 23 de maio, na tutóia, era perfeitamente possível ver essas ondas.

    E não é causada somente por quem anda abaixo da velocidade.

    ResponderExcluir
  54. Corsário Viajante21/12/10 19:01

    É muito ruim pela conjunção de fatores.
    FATO: as pessoas dirigem mal. Isso quer dizer que não dirigem de acordo com as possibilidades da pista. Ou seja, se houver condição, vá mais rápido para dar fluidez. Se não houver, vá devagar e evite acidentes.
    Quantas vezes não tenho que esperar cinco faróis para cruzar a Av. do Estado na João Teodoro e está tudo livre, e não anda pq a galera demora para engatar a marcha e por o carro em movimento. É que nem a turma que entra no elevador e para na porta, emperra tudo.
    Ao mesmo tempo, as "otoridades" contribuem colocando limites ridículos (23 de maio a 70km/h é pedir trânsito! Aqui parece corrida de tartaruga!) e oferecendo as piores condições possíveis de sinalizaçao e piso.

    ResponderExcluir

Pedimos desculpas mas os comentários deste site estão desativados.
Por favor consulte www.autoentusiastas.com.br ou clique na aba contato da barra superior deste site.
Atenciosamente, Autoentusiastas.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.